conecte-se conosco

Mundo

17% da população de Londres contraiu a Covid-19, diz estudo

Publicado


source
Boris Johnson
Pippa Fowles/Fotos Públicas

Governo de Boris Johnson encomendou 10 milhões de testes de anticorpos para rastrear a contaminação do vírus

O secretário de saúde do Reino Unido, Matt Hancock, afirma que estudos de anticorpos comprovam que 17% da população de Londres contraiu a Covid-19. Para o resto do Reino Unido, as autoridades estimam contaminação de 5% dos habitantes.

LEIA MAIS: Favelas do Rio têm mais óbitos que Paraná e outros 12 estados

Os exames de anticorpos não detectam o novo coronavírus (Sars-CoV-2), mas sim a resposta imune do organismo. Se os anticorpos são detectados em um paciente, conclui-se que ele já pegou a doença e se recuperou, mesmo nos casos assintomáticos ou leves.

O governo do Reino Unido já fez a encomenda de 10 milhões de testes de anticorpos para rastrear quantas pessoas contraíram o novo coronavírus no país. Ainda que pesquisadores de todo o mundo não tenham um consenso sobre o tempo que os anticorpos atuam no corpo, há a expectativa de que a imunidade dure algo entre um ou dois anos.

“Para saber o verdadeiro grau de contaminação do novo coronavírus, precisamos de testes de anticorpos em larga escala”, afirma Hancock. “É um marco importante que representará o progresso do nosso programa nacional de testes.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Mundo

Reino Unido oferece visto a milhões de cidadãos de Hong Kong

Publicado


source
hong kong
Reprodução/StandNews

A oferta do primeiro-ministro só entraria em jogo se a China avançar com novas leis de segurança que tiram Hong Kong de suas liberdades tradicionais


O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, abriu o caminho para o que ele chamou de uma das “maiores mudanças” já feitas no sistema de vistos britânico, afirmando que estava pronto para oferecer o direito de viver e trabalhar no Reino Unido a qualquer um dos quase 3 milhões de cidadãos de Hong Kong elegíveis para um passaporte nacional britânico no exterior, informou a Reuters.

Veja também: Primeiro ministro canadense responde pergunta sobre Trump com silêncio; assista

A oferta do primeiro-ministro, no entanto, só entraria em jogo se a China avançar com novas leis de segurança que tiram Hong Kong de suas liberdades tradicionais.

Johnson escreveu no Times que, se as leis de segurança fossem seguidas, “a Grã-Bretanha não teria escolha a não ser manter nossos profundos laços de história e amizade com o povo de Hong Kong”.

“Hoje, cerca de 350 mil pessoas possuem passaportes nacionais britânicos (estrangeiros) e outras 2,5 milhões de pessoas seriam elegíveis para se candidatar a eles. Atualmente, esses passaportes permitem o acesso sem visto por até seis meses”, afirmou

“Se a China impuser sua lei de segurança nacional, o governo britânico mudará suas regras de imigração e permitirá que qualquer portador desses passaportes de Hong Kong venha ao Reino Unido por um período renovável de 12 meses e receba mais direitos de imigração, incluindo o direito ao trabalho. o que os colocaria no caminho para a cidadania”, acrescentou Johnson.

O primeiro-ministro finalizou, dizendo que “isso representaria uma das maiores mudanças em nosso sistema de vistos na história. Se for necessário, a Grã-Bretanha dará esse passo e o fará de bom grado.”

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana