Quando lavar as mãos como Pôncio Pilatos é administrar

João não se estremece quando o Gaeco invade Vargem Alta à caça de provas ... E nem está aí com quem foi preso, exonerado, afastado do cargo. Sua missão é a de lavar as mãos.

Por Raul Marques e Tiago Turini

Dizem que a arte imita a vida; ou seria o contrário? Sabe-se que tal premissa é certa quando se fala de teatro, novelas e filmes. Vira-e-mexe um ator interpreta exatamente aquilo que ele é. Um mulherengo asqueroso; um eventual depressivo; um maluco beleza. Pois é! Pegue aí exemplos e divirta-se. Hum! Está com dificuldades? Não precisa ir longe não! Fique em Jaciguá, Distrito de Vargem Alta, na Paixão de Cristo! O prefeito, João Altoé vai interpretar Pôncio Pilatos. Não que ele seja assim, mas administrativamente está sendo. Duas operações gigantescas do Ministério Público e cadê João? Sim! Deve estar lavando as mãos, como se nada tivesse com isso.

Curiosa esta forma de se comportar. Não sai um discurso em defesa de quem cumpre com dignidade, honestidade e probidade seu papel de secretário ou funcionário público; como também não sai uma linha contra as figuras que são implicadas pelo MP-ES nas operações. Cadê João? Foi lavar as mãos.

Talvez seja realmente o melhor comportamento apesar da péssima escolha de alguns asseclas. Talvez não. Daí, na dúvida… Bom, João é o homem da caneta, e não tem nenhum Barrabás para soltar. Por isso, não se estremece quando o Gaeco invade Vargem Alta à caça de provas sobre vendas de serviços majorados para veículos e máquinas. E nem está aí com quem foi preso, exonerado, afastado do cargo. Costuma agir somente no final das operações, mesmo que sua missão seja a de lavar as mãos.

O mais irônico é que todas as duas operações tratavam de esquemas. Esquema, presume-se, tem o envolvimento de vários braços, daí a Quimera. Mas Pilatos não pensa assim. Sorry! João. Ele está limpo e então não importa quem, como, quando, onde, porque e o quê aconteceu. Importa é sair com as mãos lavadas, as mãos limpas e clarinhas.

Não está se sugerindo que João esteja envolvido. Está se pedindo que João saia do muro feito tucano em época de comissão de Previdência, feito tucano em votação no Congresso… Ou se é contra, ou se é a favor. Nunca se é neutro. Mesmo que você se ache de lado nenhum, há mais elementos que se prendem a um lado da história. Mas o caso de João é diferente. Infelizmente, é Semana Santa.

Se a vida seguir imitando a história… Pôncio Pilatos morreu sem poder, praticamente esquecido por quem tanto protegeu. Em 37 dc, lavou as mãos pela última vez e se suicidou.