Confirmada a presença de pólvora nas mãos de jovem morto pela PM em Cariacica

O laudo pericial realizado no corpo do autônomo Cheslley de Oliveira Trabach, morto durante uma suposta troca de tiros com a polícia no bairro Vila Independência, em Cariacica, confirmou a presença de pólvora nas mãos do jovem. Segundo o delegado José Lopes, o exame é um indicativo de que ele pode ter utilizado arma de fogo. 

“Agora temos um laudo positivo de chumbo nas mãos do rapaz. Esse exame é um indicativo de que o jovem realmente pode ter utilizado uma arma de fogo no momento em que foi baleado e morto”, explicou.

O delegado contou que outros exames foram solicitados no  período de investigações. “Ainda contamos com o laudo cadavérico, que deve nos mostrar em que condição o tiro atingiu o corpo da vítima, se foi em longa ou curta distância. Além disso, nós iremos ouvir outras testemunhas e vamos puxar as câmeras de videomonitoramento da região, que devem mostrar novidades deste caso”, disse.

O delegado disse ainda que o inquérito foi destinado ao setor especial de investigação, chefiado pelo delegado titular Wanderson Prezotti. Além disso, José Lopes informou que a Corregedoria da Polícia Militar deve instaurar uma nova investigação para verificar a conduta dos policiais. 

No dia do crime, militares contaram que foram surpreendidos por dois jovens enquanto realizavam um patrulhamento na região. Ainda de acordo com informações da Polícia Militar, o suspeito estava portando um revólver calibre 38, com cinco munições. Ele também estaria com uma motocicleta roubada.

Após o conflito, moradores da região iniciaram uma manifestação e interditaram os dois sentidos da Rodovia do Contorno.

Familiares e amigos de Chesley contestaram a versão da polícia e afirmam que a vítima era um rapaz trabalhador e não tinha envolvimento com o crime. O pai do jovem,  Welton de Jesus Trabach, garantiu que o filho nunca teve uma arma de fogo e para ele, Chesley foi mais uma vítima da violência.

Cheslley morava com a mãe e a irmã mais nova em um bairro de Cariacica. Segundo a mãe, ele era um rapaz de boas atitudes. A notícia da morte dele deixou todos abalados inconformados.