Governador e ministra da Agricultura dão início à colheita do café Conilon no Espírito Santo

O governador Renato Casagrande, junto com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, participou, nesta sexta-feira (24), do 12º Marco do Início da Colheita do Café, no município de Águia Branca, na região noroeste do Estado. A solenidade reuniu autoridades, lideranças políticas, produtores rurais e pessoas associadas ao agronegócio do setor. O Espírito Santo é o segundo maior produtor de café do País e o primeiro de café Conilon.

Em seu pronunciamento, Casagrande agradeceu a vinda da ministra e destacou a importância da cafeicultura na economia capixaba.

“É uma alegria receber a ministra Tereza Cristina, que foi nossa colega em Brasília. Estar aqui com as nossas bancadas federal e estadual, com nossa equipe de governo recebendo a ministra é uma grande oportunidade de mostrar o que a gente faz de melhor. Temos uma agricultura formada por pequenas propriedades, que têm uma alta produtividade e sustenta na época da colheita cerca de 400 mil pessoas. Essa é uma oportunidade de a ministra conhecer um pouco mais das potencialidades e também dos desafios de nossa cafeicultura, estreitando cada vez mais nossa relação”, afirmou.

Casagrande falou ainda sobre o trabalho de resgaste do sistema público agrícola que será realizado neste Governo após a falta de investimento nos últimos anos. Ele lembrou ainda das dificuldades enfrentadas pelos agricultores em decorrência dos últimos períodos de estiagem. “Nossa expectativa é que a gente, tanto o Governo Federal quanto o estadual, possa encontrar um caminho que alivie as dívidas dos produtores rurais”, destacou.

Sobre este ponto, a ministra Tereza Cristina afirmou que essa situação já é de conhecimento do Governo e que soluções estão sendo avaliadas. “Estamos vendo alguns programas que possam diminuir essa perda que esses produtores tiveram para que eles possam continuar produzindo. O pior dos mundos é que eles saiam da atividade e percam suas propriedades. É isso que a gente está tentando fazer para dar um tempo para eles se reprogramarem, produzirem novamente e ir pagando da maneira que eles conseguirem”, adiantou. 

O secretário de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, lembrou sobre o desenvolvimento da cafeicultura no Espírito Santo, que é um grande diferencial no País: “Temos um processo de pesquisa intenso, que produz publicações internacionais, possuímos um trabalho de extensão rural de sucesso por meio do Incaper, que realiza pesquisas e leva novas tecnologias ao produtor, fazendo com que a cafeicultura se torne um ponto de equilíbrio da grande maioria dos nossos municípios, além de fonte de empregos e renda”, pontou.

Para Foletto, a vinda da ministra é muito oportuna para sensibilizá-la em relação ao trabalho que é desenvolvido no Espírito Santo.

“Há grandes empresas que trabalham com café no mundo e que hoje também investem no Espírito Santo, pois sabem o que se produz aqui. A presença da ministra servirá para que possamos abrir um canal de diálogo, para que, quando tivermos qualquer demanda, não apenas do café, mas do agro capixaba em geral, ela possa nos atender. O Governo Federal é indutor do desenvolvimento no País e precisa conhecer o que está sendo feito aqui na agricultura. A importância do café para o Estado e para a agricultura familiar”, reforçou.

Também presente ao evento, o diretor do Incaper, Antonio Carlos Machado, falou sobre o lançamento da colheita da safra do café Conilon. “É um marco para a agricultura capixaba e o Estado é referência brasileira e mundial no desenvolvimento da cafeicultura do Conilon. A produtividade evoluiu muito nos últimos anos, graças às tecnologias desenvolvidas pelo Incaper em parceria com o Governo do Estado e com diversas instituições”, disse.

Anfitrião do maior evento da cafeicultura do Conilon no Espírito Santo, o produtor rural Gilberto Aloqui Kubit celebrou a oportunidade de receber o evento com a presença do governador Casagrande e da ministra Tereza Cristina. “Fico feliz em ter a minha propriedade como referência em qualidade de café Conilon. Nós produtores rurais temos que investir cada vez mais nas tecnologias e aplicá-las no campo para que a cafeicultura capixaba seja sempre exemplo para outros estados”, asseverou.

Além do marco do início da colheita, a propriedade também recebeu a 11ª edição do Noroeste Café Conilon, que contou com palestras sobre melhorias oportunidades na cadeira produtiva e firmas sustentáveis na produção do café. A vice-governadora Jaqueline Moraes também participou da solenidade.