Perigo de desabastecimento? A maior fábrica de Nutella do mundo entra em greve

A maior fábrica de Nutella do mundo, na França, está com a produção parcialmente paralisada, há uma semana, devido a greve de funcionários. Localizada em Villers-Écalles, no norte do país, a sede produz cerca de 600 mil frascos por dia e é responsável por 25% da produção mundial do produto — e de parte da barra de chocolate Kinder Bueno. As informações são do jornal The Guardian.Conforme Fabrice Canchel, do sindicato Force Ouvrière (FO), 160 funcionários cruzaram os braços desde segunda-feira passada (27).

— Nenhum caminhão entrou ou saiu do local desde então — disse.

Segundo o The Guardian, a fabricação do Kinder Bueno foi interrompida por quase uma semana. A de Nutella opera com apenas uma das quatro linhas de produção, o que representa 20% da capacidade.

— As matérias-primas estão começando a ficar curtas — afirma Canchel.

Entre as demandas dos grevistas, está um aumento salarial de 4,5% e um bônus de 900 euros. A direção da empresa oferece aumento de 0,4% e afirma que o grupo é minoria entre os 400 funcionários do local.

“A prioridade da administração da fábrica é proteger os funcionários que não são notáveis e que são a maioria e querem continuar a trabalhar em boas condições”, disseram os gerentes da Ferrero na França, em comunicado. Eles acusam o sindicato de rejeitar uma possível negociação entre as partes.

Em mensagem interna, a direção teria dito que a greve é ilegal e ameaçado implementar uma ordem judicial para garantir acesso ao local. O comunicado diria também que os grevistas correm risco de serem multados caso não permitam a entrada e saída de produtos — as penalidades poderiam chegar a mil euros por hora e por pessoa.

Para Canchel, esta é uma “violação inaceitável do direito de greve”.