Bancada capixaba em Brasília quer uma Embrapa para o Espírito Santo

A Agência Congresso publicou que a Bancada Capixaba está empenhada em levar uma unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para o Espírito Santo, mas a crise financeira pode atrasar o projeto.

O coordenador da bancada, deputado Da Vitória (Cidadania), disse à Agência Congressoque o deputado Evair de Melo (PP) está a frente desse projeto,por ser mais ligado ao setor agropecuário.

“Ele [Evair] tem afirmado a importância para a economia do estado, portanto estamos apoiando. E dialogaremos com os demais membros para uma decisão coletiva.”, disse D Vitória.

Benefícios

A Embrapa tem a missão de gerar soluções tecnológicas para a sociedade brasileira. Está presente em 25 unidades da federação e no Distrito Federal.

Espírito Santo e Rio Grande do Norte são os uncos estados que não contam com Embrapa.

Motivo

Quando a Embrapa foi criada, procurou-se consolidar centros de pesquisa próximos às cadeias produtivas, relacionadas a cada centro. Como a Embrapa Soja, em Londrina, PR.

Isso é o que informa nota do órgão enviada à Agência Congresso. “No início vários estados ficaram sem sediar unidades da Embrapa, o que não é um problema, porque a atuação dos centros é nacional, não estadual”.

A Embrapa explicou que seus centros de pesquisa tem mandato nacional e não regional ou estadual. Para isso existem os institutos de pesquisa agropecuária estaduais.

No Espírito Santo, tem o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e o Rio Grande do Norte tem a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn). 

Não há uma relação  direta entre a criação de uma unidade de pesquisa e a geração de empregos. Isso vai depender da atuação nacional daquele centro de pesquisa e o impacto das tecnologias geradas por aquele centro terá sempre alcance nacional.

“Por ser uma empresa nacional, os impactos gerados pela implementação de uma nova unidade da Embrapa sairia do âmbito regional e atingiria todo o país.”

Mas é possível afirmar que um novo centro de pesquisa demandaria profissionais das mais variadas áreas, desde a construção até o seu funcionamento pleno.

Sai ou não sai?

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ao qual a Embrapa é vinculada, junto com o Governo Federal, acionista majoritário da estatal, são os responsáveis por determinar a criação de uma nova unidade de pesquisa.

O deputado Evair de Melo disse que as negociações estão em andamento, “já foi feito estudo, levantamento de demanda, e agora estamos definindo a modelagem”, disse.

Evair disse ainda que “a bancada e o governo do estado estão unidos nessa conquista” e que estão apostando na possibilidade de este ano [2019] o Espírito Santo sediar uma unidade da Embrapa.

Segundo a nota recebida pela Agência Congresso, a empresa diz que essa é uma demanda antiga da bancada capixaba, de levar uma unidade da Embrapa ao estado. Entretanto, o assunto ainda está pendente para decisão da Diretoria da Embrapa e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em virtude da situação financeira do país.