Deputado de Cachoeiro propõe que escola bíblica seja patrimônio imaterial do Estado

Sessão solene realizada na última segunda-feira (10) foi uma iniciativa do deputado Pastor Marcos Mansur / Foto: Lissa De Paula

O Deputado Marcos Mansur (PSDB), de Cachoeiro de Itapemirim, conhecido como Pastor Mansur, propôs na tarde desta terça-feira (11), com caráter de urgência, a aprovação do projeto de resolução 122/2019, que declara como patrimônio imaterial, a escola bíblica dominical, no âmbito do Espírito Santo.

De acordo com o Deputado, o reconhecimento se dá pelo significado do que se refere patrimônio imaterial e as práticas já existentes nas igrejas evangélicas no Estado.

Segundo ele, tudo aquilo que é considerado como práticas, representações, técnicas expressões, conhecimentos e técnicas que as comunidades reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural, prática que

“Na verdade, é apenas um reconhecimento daquilo que já existe como prática de estudo bíblico, em todas as igrejas cristãs, que é chamamos de escola bíblica dominical e queremos que a Casa reconheça como patrimônio imaterial das igrejas evangélicas daqui do Estado. Que fique registrado e que se torne lei este reconhecimento“, disse o deputado enquanto discursava na tribuna da Assembleia Legislativa.

Para justificar e angariar votos a favor na votação do projeto que acontece amanhã, o deputado acrescentou que o projeto não gera despesa para o Estado e que ele é apenas um reconhecimento de uma tradição cultural religiosa existente nas igrejas evangélicas.

“Gostaria de dizer e até lamentar que eu queria que este projeto tivesse sido votado até antes, porque ontem à noite (segunda-feira), tivemos um belíssimo evento com mais de dez convenções das Assembleias de Deus comemorando e celebrando os 108 anos do estabelecimento da igreja no Brasil. Essa Casa foi abençoada na noite de ontem. Nós transformamos uma sessão solene em um culto solene em que todos os 30 deputados foram abençoados“, enfatizou o deputado.