Espírito Santo registra queda de homicídios dolosos pelo quinto mês consecutivo

Foto: Secom

O Espírito Santo registrou queda no índice de homicídios dolosos pelo quinto mês seguido em 2019. Ao todo, foram 439 mortes de janeiro a maio deste ano contra 510 assassinatos no mesmo período de 2018, o que corresponde a 71 vidas poupadas. Somente em maio, em relação ao mesmo mês do ano anterior, foram 12 casos a menos, representando 13% de redução.

O governador do Estado, Renato Casagrande, destacou que os trabalhos estão resultando em dados positivos, mas ressaltou que deseja melhorar os indicadores a cada dia, reduzindo o número de vidas perdidas no Espírito Santo. “Os resultados continuam positivos, mas mortes são mortes. A gente nunca deve comemorar. Temos que seguir trabalhando e implementando políticas para preservar a vida dos capixabas”, afirmou.

Mantendo a tendência de redução de violência, o Estado fechou os cinco primeiros meses do ano, novamente, com o menor número de homicídios da série história em 23 anos, sendo os 439 homicídios registrados representando 38 casos a menos que 1996, que era o menor resultado desde então.

Todas as informações foram divulgadas, nesta quarta-feira (12), durante a reunião mensal de avaliação do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, realizada sob a liderança do governador Casagrande. Foram apresentados indicadores e discutidas as ações aplicadas de enfrentamento e prevenção à violência e à criminalidade, com foco, principalmente, nos crimes letais (homicídio, feminicídio, latrocínio e lesão corporal).

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, destacou o trabalho positivo, mesmo com as dificuldades encontradas. “Nos crimes letais intencionais temos uma redução de 77 casos e nos primeiros dias de junho estão se mantendo. Em homicídios dolosos temos uma redução de 71 casos. Estamos com o melhor número da série histórica em 23 anos. Observando o contexto de dificuldade, precisamos dar mais ênfase ainda para essa redução”, asseverou.

Regiões

No quadrimestre, houve uma queda no número de homicídios dolosos em todas as regiões do Estado, sendo o maior índice na região serrana (- 42%), com redução de 26 para 15 casos em relação a 2018; seguida da sul (-30%), de 40 para 28 casos; da Metropolitana (- 12%), de 289 para 254 casos; da norte (-10%), de 107 para 96 casos; e da noroeste (-4%), de 48 para 46 casos. Municípios como Aracruz e Cariacica, que haviam apresentado resultados altos em abril, foram os destaques positivos, com oito e uma morte registradas no mês de maio, respectivamente.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cariacica, Tarik Souki, as operações e prisões realizadas demonstraram o resultado efetivo da atuação policial e dos ajustes realizados, em parceria com a Polícia Militar.

“As operações integradas estão mostrando o resultado. Foram 35 prisões, apreensões de armas, drogas e o enfraquecimento das quadrilhas do tráfico que atuavam na região e estavam cometendo esses homicídios. Não vamos diminuir os esforços contínuos para colocar os homicidas atrás das grades”, garantiu o delegado.

Somente nos primeiros quatro meses deste ano, foram realizadas prisões de 714 de homicidas no Espírito Santo e apreendidas 1.329 armas. No Espírito Santo, o Governo se prepara para colocar em funcionamento, ainda neste ano, a Delegacia de Investigação de Comércio Ilícito das Armas, Munições e Explosivos (Desarme), o que tende a aumentar essas apreensões.

Durante a reunião, foi informado ainda que houve queda nos registros de furtos e roubos de veículos (-15,7%) e roubo de celular (-19%).

A reunião contou com presenças de representantes das polícias Civil, Militar e Federal, da Polícia Rodoviária Federal, do Ministério Público e da Defensoria Pública do Estado, da Procuradoria Geral do Estado (PGE), do Poder Judiciário, além dos secretários de Estado da Justiça, Luiz Carlos Cruz, e de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, que é o coordenador executivo do Programa.

Instituto Sou da Paz

A reunião de apresentação dos resultados do Estado Presente contou com participação do diretor executivo do Instituto Sou da Paz, Ivan Marques, e da assessora da Diretoria, Carolina Ricardo. Os dois estiveram no Espírito Santo para propor parcerias na implementação das políticas públicas de redução da criminalidade.

“Temos 20 anos de história de redução de letalidade violenta no País. Começamos com o trabalho de convencimento do desarmamento e segue com a redução de circulação de armas para diminuir a letalidade. Os dados do Atlas da Violência comprovam que uma sociedade menos armada, com um poder público capaz de tirar a arma da mão do criminoso, consegue construir uma sociedade mais segura. O Sou da Paz tem se aprimorado em pesquisas e apoio a governos que pretendem implantar políticas públicas da redução da criminalidade”, disse Ivan Marques.

O diretor do Instituto Sou da Paz ainda elogiou as diretrizes de prisão qualificada de homicidas e foco nas apreensões de armas de fogo, do Programa Estado Presente.