Melhorar a autoestima pode evitar o estresse e possíveis dores de cabeça

Arte: Thiago Couto/Hoje ES

A autoexigência para se encaixar em um padrão, seja de vida, de beleza ou social, podem gerar expectativas que podem desencadear de dores na cabeça a problemas no sono. 

Essa afirmação é de acordo com um estudo feito pela University of Bath e pela York St John University, que concluiu que a busca pelo perfeccionismo é constante e contribui para o aumento da ansiedade nos indivíduos. Além deste estudo, a pesquisa feita pela WGSN Mindset e encomendada pela marca de remédios, Neosaldina, mostra que a luta para se encaixar em padrões estéticos pode gerar estresse, esgotamento cerebral e autoexigência, comportamentos que podem ser ‘gatilhos’ de dores de cabeça e se tornar cada vez mais comuns no futuro.

Entender o impacto que a pressão externa causa na saúde da mente e do corpo é um dos caminhos para lidar melhor com a autoestima e aceitação. Quem explica essa questão é Carolinie Figueiredo, atriz, educadora parental e terapeuta Thetahealer: 

“O nosso ‘físico’ expressa aquilo que estamos vivendo. Quando não entramos em um processo de autocuidado ou não percebemos que a nossa autoestima não está adequada, existe uma perda de saúde, que podem resultar em estresse e dores de cabeça. A partir do momento que o corpo se manifesta é porque provavelmente tem alguma coisa errada dentro da nossa mente”.

A consultora de imagem Carla Lemos, fundadora do blog Modices, conhecido por abordar questões de autoestima e autoimagem, já enfrentou as consequências da busca pelo padrão ideal. 

“As expressões do corpo quando estamos sob pressão são inúmeras. Minha primeira crise de gastrite nervosa foi aos 12 anos, por exemplo. Não aceitava meu corpo, quem eu era. Muita coisa mudou, faço uso de terapias alternativas e trabalho meu autocuidado para lidar com a ansiedade e estresse”, conta.

A dupla elenca formas de se ter o autocuidado e aceitação ajudando a aliviar a pressão e o estresse e, consequentemente, uma possível dor de cabeça.

“Não é egoísmo olhar para si, fazer pilates ou meditação, por exemplo. Às vezes eu paro tudo que estou fazendo e tomo um banho para relaxar. Ali é o momento que separo para cuidar de mim e organizar os pensamentos”, diz Carolinie. 

“Fazer terapia é bastante interessante, além de trocar experiências com pessoas que já passaram por situações semelhantes. Olhar para si no espelho e entoar elogios também ajuda e muito nesse processo”, completa Carla.

A pressão para conseguir uma vaga no tão sonhado curso de Medicina, fez com a já sofreu a estudante de medicina, Nathália Lopes, 24, sofresse com fortes dores de cabeça e sensação de esgotamento. Ela conta que durante o período de estudos no curso pré vestibular, ela não se sentia segura, competia com seus colegas de sala de aula quem estudava por mais horas e tinha muito medo de não conseguir entrar no curso,  que hoje cursa na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em Macaé.

“Foi um período de muito estudo, mas  também muito sombrio para a minha saúde mental. Teve momentos que eu não me sentia capaz, achava que estudava pouco mesmo estudando até 14 horas por dia, consequentemente meu eu passei a sentir muitas dores de cabeça e insônia. Tive que procurar ajuda de um terapeuta para aumentar a imagem positiva de mim mesma  e hoje não sinto mais dores como eu sentia antes”, disse a estudante.

Quem também teve crises de ansiedade e dores de cabeça, foi a mãe de primeira viagem, Adrielly Miguel, 30. A autoexigência para ser uma mãe completa em sua primeira gestação a fez recorrer a ajuda psicológica.

“Eu me cobrava muito, queria que tudo saísse perfeito para o meu filho mesmo sabendo que isso é impossível, ficava estressada por qualquer motivo, e com isso, passei a não dormir direito, tive crises de ansiedade fortíssimas que me atrapalhavam a fazer coisas simples, como  amamentar o meu bebê. Hoje com acompanhamento profissional, eu consigo ter uma vida mais leve e acompanhar o desenvolvimento do meu filho com a tranquilidade de que não sou perfeita”, relatou a designer.