Dallagnol teria montado plano de negócios para faturar com a Operação Lava-Jato

O procurador federal e coordenador da força-tarefa da operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, teria montado um plano de negócios para lucrar com a fama conquistada nas investigações. Ao lado do também procurador Roberto Pozzobon, ele fez planos para ganhar dinheiro, paralelamente à atuação no Ministério Público Federal, participando de eventos e palestras aproveitando a visibilidade e os contatos obtidos durante as investigações do caso de corrupção. É o que apontam mensagens obtidas pelo site The Intercept Brasil analisadas em conjunto com a Folha – que publicou o conteúdo neste domingo (14/07/2019).

Além de palestras sobre temas correlatos à operação – como ética e combate à criminalidade – Deltan cogitou, inclusive, entrar para o ramo de palestras motivacionais e de auto-ajuda. O objetivo dessas últimas, segundo o que indica o conteúdo publicado pelo jornais, era atrair o público mais jovem.

Em um chat sobre o tema criado no fim do ano passado, Deltan e um colega da Lava Jato discutiram a constituição de uma empresa na qual eles não apareceriam formalmente como sócios, para evitar questionamentos legais e críticas. Como procuradores, eles não podem figurar como sócios-administradores de empresas. Dessa forma, as esposas deles poderiam figurar como sócias.