Paciente com câncer se casa dentro do Hospital Dório Silva

A cerimônia que aconteceu na manhã de sexta-feira (6) e reuniu quatro dos cinco filhos do casal, netos, amigos próximos e profissionais da unidade hospitalar

O diagnóstico de um câncer no intestino levou a dona de casa Sandra Lúcia de Oliveira, de 62 anos, a ficar internada desde o dia 22 de agosto no Hospital Estadual Dório Silva. Contudo, a situação não impediu que, vestida de branco, com um arranjo de flores nos cabelos e buquê, a Sandra Lúcia realizasse o sonho de se casar com o companheiro, com quem vive há 50 anos. “Os sonhos não podem acabar”, disse emocionada.

A cerimônia que aconteceu na manhã de sexta-feira (6) e reuniu quatro dos cinco filhos do casal, netos, amigos próximos e profissionais da unidade hospitalar. Uma das filhas do casal contou que esse era o maior sonho da mãe.

“Há seis anos fizemos uma cerimônia para eles em casa, algo bem simples, mas ela sempre quis se casar recebendo as bênçãos de Deus. Na última quarta-feira, ela tornou a dizer que gostaria de se casar, e queria estar vestida de branco. Ela pediu também para trazer alguns amigos próximos que ela gostaria de rever e contar que o sonho não acaba”, contou a filha da noiva, Gracielle Oliveira.

Nesse dia, os filhos e o companheiro decidiram que iriam realizar o sonho da dona de casa. Providenciaram o vestido branco e os acessórios, chamaram os amigos, o pastor da igreja onde o casal congrega e alinharam com os profissionais do hospital para garantir que as emoções não interferissem na saúde da paciente.

“Ela disse que estava muito cansada e queria muito realizar este sonho. Ela ficou muito emocionada durante a cerimônia. O coraçãozinho ficou agitado, mas é normal por conta de tudo o que aconteceu. Agora ela está muito feliz e agradecida”, disse a filha de Sandra Lúcia.

Humanização

O processo de humanização no atendimento hospitalar requer algumas mudanças de valores, comportamentos, conceitos e práticas. Muitas vezes, isso exige dos profissionais um reposicionamento no que se refere ao atendimento aos pacientes.

A diretora-geral do Hospital Dório Silva, Katiana Erler, destacou que, de uma forma geral, as organizações de saúde pública têm buscado se adaptar a essa transformação e no hospital os profissionais já têm essa visão de mudança cultural e transformação de cuidado.

Ela destacou que antigamente a instituição era o centro do cuidado, mas a partir desse processo de transformação, o paciente e sua família passaram a ser a figura central do processo de tratamento. “Esse novo modelo é uma exigência dos usuários do sistema e uma das iniciativas é a mudança cultural, a maneira como concebemos a prestação desse cuidado. Esse relacionamento beneficia de forma sistêmica e evidente a ligação da experiência do paciente e uma melhor performance dos nossos indicadores de qualidade”, destacou.

Ainda de acordo com a diretora-geral, essa humanização traz vivacidade nas relações de trabalho. “Conseguimos ter uma melhoria no impacto na medida da segurança do paciente, na melhora clínica do paciente e diminuição nas readmissões. Até os desfechos dos casos são melhores”, ressaltou.

Para a realização do casamento de Sandra Lucia, uma equipe multidisciplinar do hospital trabalhou e ficou de prontidão. Participaram a psicóloga Ana Paula Biss Nunes, a médica intensivista Alessandra de Medeiros Magalhães, a fisioterapeuta Camyla Bittencourt, a gerente de núcleo, Graziela Rodrigues, a enfermeira coordenadora Milena Boldrini da Silva, a enfermeira Fernanda da Penha Reames Gomes, a intensivista de rotina, Mariângela Couto Teixeira, e os técnicos de enfermagem Selma Estevam, Yndaiara Zucoloto, Shirley Mara Barros, Naiara de Paula Oliveira, Sinedria da Cunha Barbosa, José Marcos Nascimento, Paula Ferreira Cesar, Rosymara Martins de Paula, Aldo Walle Alves da Silva, Iolanda Brito da Silva, Sergio dos Santos Machado, Vania Cristina de Góes Pires, Jackeline Sales Sampaio.