Policiais são mortos em ataque à sede da polícia

Um homem de 45 anos matou policiais a facadas na sede da polícia de Paris, nesta quinta-feira (03/10/2019). A prefeita da capital da França, Anne Hidalgo, confirmou o atentado pelo Twitter. Segundo agências internacionais, ao menos cinco pessoas morreram.

O criminoso foi morto por homens das forças de segurança. As autoridades francesas ainda não divulgaram a identidade das vítimas. O agressor é um agente administrativo da Diretoria de Informação da polícia.Os investigadores acreditam que um conflito pessoal teria motivado a investida. O agressor, abatido no hall de entrada da sede da polícia, era lotado na Diretoria de Inteligência.A sede da polícia fica na Île de la Cité foi bloqueada pelas forças de segurança e a estação de metrô Cité, fechada. O presidente da Francês, Emmanuel Macron, esteve no local da tragédia para “mostrar seu apoio e solidariedade a todos os funcionários da sede da polícia”, divulgou o Palácio de l’Élysée, em comunicado.

A prefeita da cidade lamentou as mortes. “Prestaremos homenagem às vítimas e saudaremos o compromisso inabalável de membros da polícia com a segurança dos parisienses. Nós sabemos o que lhes devemos”, escreveu no Twitter.

Ela ainda disse que “Paris está de luto”.”Vários policiais perderam a vida. Em meu nome e dos parisienses, meus primeiros pensamentos vão para as famílias das vítimas e seus parentes”, finalizou.O ataque aconteceu por volta das 13h do horário local (8h em Brasília), no pátio do edifício da sede da polícia. O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, acompanha as investigações, mas ainda não deu detalhes.

Loïc Travers, chefe local da polícia, disse à TVs francesas que a morte do agressor foi “autodefesa”. “Colegas morreram como resultado de um ataque com faca. Temos outro colega que está muito chocado. O autor que foi baleado por outro colega no contexto de uma situação de autodefesa a priori”, destacou.

Ele ressaltou ainda que o agressor “era um funcionário, a priori, modelo, que não dava problemas”, contou.