Sul do Estado recebe oficina para pôr em prática ações de preservação da água

Durante as atividades, os participantes puderam conhecer melhor o Manual Operativo (MOP), identificar as ações e seus respectivos responsáveis

Os Comitês das Bacias Hidrográficas dos rios Novo, Itapemirim e Itabapoana receberam a equipe da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh) para uma oficina em Cachoeiro de Itapemirim. O encontro aconteceu no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) do município.

Realizada pela Agerh, com o apoio do Ifes e dos Comitês das Bacias Hidrográficas (CBH’s), a oficina reuniu cerca de 30 pessoas, entre elas a presidente do CBH Itapemirim, Carina Silva; o presidente do CBH Rio Novo, Julio Glauco Silva; e a representante do CBH Itabapoana, Dalva Ringuier; além de outros atores da gestão de recursos hídricos do sul do Estado.

Durante as atividades, os participantes puderam conhecer melhor o Manual Operativo (MOP), identificar as ações e seus respectivos responsáveis, simular a elaboração de fluxos para o processo relativo a essas informações e, também, contribuir para melhorias das metodologias aplicadas pela Agerh e pelos CBH’s em seus planos de recursos hídricos.

A região sul foi a segunda a receber uma Oficina de Capacitação para o MOP no Estado. Os Comitês das Bacias dos rios Itaúnas e São Mateus, no norte do Estado, foram os primeiros a serem capacitados, no início do mês de setembro, em Boa Esperança.

O que são Manuais Operativos?

O Manual Operativo (MOP) aplicado à gestão de Recursos Hídricos consiste no detalhamento das ações e atividades para serem executadas em um determinado intervalo de tempo. As ações necessárias para a recuperação e preservação de bacias são descritas nos Planos de Recursos Hídricos. Com este instrumento em mãos, os Comitês de Bacias Hidrográficas (CBH’s) poderão evoluir com mais regularidade, na implementação dos planos.

O MOP orienta os responsáveis a tirarem as ações do papel e as colocarem em prática por meio de fluxogramas e fichas, onde são identificados, também, os responsáveis pelas tarefas. É uma estratégia recém-empregada no Brasil e o Espírito Santo é o primeiro, em nível de gestão de bacias estaduais, a construir Manuais Operativos para suas bacias hidrográficas.

O trabalho é coordenado pela Agerh, em parceria com o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (Fapes), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama) e a Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb). A sociedade também é ouvida por meio de consultas e oficinas.

A equipe está elaborando Manuais Operativos para nove Planos de Recursos Hídricos do Espírito Santo, entre eles, o Plano Estadual de Recursos Hídricos (Perh/ES). O projeto conta ainda com o desenvolvimento de pesquisas e relatórios técnicos escritos por pesquisadores selecionados pela Agerh, em conjunto com os CBH’s.