conecte-se conosco


Entretenimento

33ª Bienal de São Paulo abre os trabalhos no Palácio Anchieta

Foi ao lado da esposa, Virgínia Casagrande, que o governador Renato Casagrande puxou a faixa para a abertura da mostra itinerante da 33ª Bienal de São Paulo em Vitória. “Afinidades afetivas” é o título da exposição, a 25ª que o Palácio Anchieta recebe em seu espaço cultural. É a primeira vez que o evento aporta […]

Publicados

em

Foi ao lado da esposa, Virgínia Casagrande, que o governador Renato Casagrande puxou a faixa para a abertura da mostra itinerante da 33ª Bienal de São Paulo em Vitória. “Afinidades afetivas” é o título da exposição, a 25ª que o Palácio Anchieta recebe em seu espaço cultural. É a primeira vez que o evento aporta no Espírito Santo desde o início do projeto de itinerância. Participaram da solenidade de abertura, ainda, o secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, o curador da exposição, Jacobo Crivelli Visconti, o diretor de Projetos da Isa CTEEP, Weberson Guioto  e o presidente da Fundação Bienal, Olympio da Veiga Pereira.

Em seu discurso, o governador parabenizou a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), destacou a importância de receber uma exposição com este recorte: “Cada um de nós tendo essa afinidade, podemos fazer do nosso Estado uma referência na atividade cultural”, assegurou.

Casagrande ainda falou sobre a importância da cultura para a sociedade. “É muito bom a gente poder cumprir nossa tarefa no governo de tornar a cultura presente na vida das pessoas. Nós queremos que seja assim. Nós temos um deserto de ideias e de importância política para a área cultural. Precisamos fazer uma compensação. Precisamos buscar parcerias cada vez mais intensas para compensar a desvalorização da política cultural que também acontece em alguns setores da administração pública brasileira. Estamos fortalecendo e vamos fortalecer a política dos editais, que é uma política fundamental; o Conselho Estadual de Cultura; a relação com as lideranças e entidades da área cultural. Jogar luz na nossa riqueza cultural é muito importante”, disse.

Abrindo os discursos da noite, o secretário Fabricio Noronha destacou o trabalho da equipe de montagem e da equipe de arte-educação que acompanhará os visitantes da exposição até 30 de junho. “A Bienal de São Paulo aqui é oportunidade de através da arte conectar, através da arte transformar. Nosso papel é reconhecer e oportunizar o protagonismo dos saberes e das expressões culturais como um todo, em toda sua multiplicidade, para que o Espírito Santo conheça e reconheça essa importância na sua formação e desenvolvimento. A arte segue adiante com essa itinerância, com afinidades afetivas. A arte segue adiante superando ódios e promovendo encontros de fazeres. De saberes. De estéticas.” pontuou.

O presidente da fundação Bienal celebrou a “união de afinidades entre a Fundação Bienal, o Governo do Estado do Espírito Santo e a Isa CTEEP”. Para Olympio, “a exposição é fruto do encontro entre a nossa missão, no sentido de promover e democratizar o acesso à arte contemporânea, de um Governo que enxerga a cultura como vetor de desenvolvimento social, e de uma empresa, que além de energia, sabe levar educação, cultura e inovação para os locais onde atua. Estar em sintonia com o cenário de seu tempo sempre foi e continua sendo um eixo fundamental da vida da Fundação Bienal. É muito bom dividir esse percurso com grandes parceiros”.

Também estiveram presentes na solenidade a vice-governadora Jaqueline Moraes, o secretário de Governo Tyago Hoffman e o maestro Helder Trefzger, da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo. Formada por mulheres, a banda da Fames “Tocata Brass” abriu os trabalhos com arranjos de sopro para grandes clássicos da MPB. A DJ Sista Ilú também participou do coquetel de abertura. As autoridades contaram ainda com um guia especial, o curador da mostra foi quem apresentou os trabalhos para o governador e demais autoridades.

Comentários Facebook
Propaganda

Entretenimento

Ricky Martin recebe ordem de restrição por violência doméstica

Publicados

em

Cantor Ricky Martin
Reprodução/Instagram – 03.07.2022

Cantor Ricky Martin

Ricky Martin se tornou alvo de uma ordem de restrição após ser acusado de violência doméstica em Porto Rico. Uma juíza da ilha caribenha emitiu a decisão, assim como informou a mídia local e a agência Associated Press (AP) neste sábado (2). 

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

Conforme a AP, o cantor assinou a ordem nesta sexta-feira (1), após as autoridades visitarem o bairro nobre na cidade Dorado, onde o cantor mora, para cumpri-la. A ordem ocorre visando proteger a pessoa que realizou a denúncia, com quem Martin estaria se relacionando fora do casamento com o pintor Jwan Yosef, com quem tem quatro filhos. 


O jornal porto-riquenho “El Vocero” noticiou que a ordem afirma que Ricky e a outra parte “tinham um relacionamento há sete meses”. “Eles se separaram há dois meses, mas Martin não aceita a separação. Ele liga para ele com frequência”, informa o veículo.

+ Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

O jornal ainda destacou que Martin foi visto “vagando em torno da residência em pelo menos três ocasiões”. Não se sabe o nome da pessoa que emitiu a ordem, já lei de Porto Rico garante o anonimato do denunciante.

À revista norte-americana “People”, representantes do cantor declararam que “as alegações contra Ricky Martin são completamente falsas e fabricadas”.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana