conecte-se conosco

Agronegócio & Turismo

9 dicas de como economizar na viagem com o dólar em alta

Publicado

source

A sua viagem internacional está se aproximando, o dólar continua em alta e você já começou a se preocupar com a possibilidade de gastar mais do que o esperado. Não se desespere! É possível fazer alguns ajustes no roteiro e adotar técnicas para economizar na viagem dos sonhos.

Leia também: Vai viajar para o exterior? Saiba qual o melhor período para comprar dólar

mulher com dólar arrow-options
shutterstock

Planejamento é o segredo para conseguir economizar em uma viagem internacional com o dólar em alta

Para te ajudar nessa missão, o iG Turismo conversou com dois especialistas no assunto sobre como economizar na viagem mesmo com o dólar em alta. Selecionamos as melhores dicas para você curtir o destino sem sair do orçamento. Confira:

1. Compre dólar ainda no Brasil

A melhor coisa que você pode fazer é comprar dólar ainda no Brasil. Segundo José Marques da Costa, CEO da Câmbio Store, a possibilidade de fazer isso no destino é menor. “Ele até pode sacar do cartão de crédito, o que não é legal, pois pagará IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) muito mais caro”, fala.

2. Evite cartão de crédito

“As compras no cartão de crédito internacional devem ser evitadas na viagem, por causa do IOF que é alto, e principalmente pela taxa de câmbio que só será descoberta no fechamento da fatura”, explica o especialista. Isso significa que uma compra pode chegar com um valor mais alto no dia do fechamento da fatura do cartão, o que pode fazer você gastar bem mais do que o esperado.

Leia mais:  Autorizada a formação de Frente Parlamentar da Fiscalização Agropecuária do Espírito Santo

3. Compre ingressos de atrações com agências brasileiras

Marcella Paccas, especialista em turismo do blog Segredos de Viagem, dá a dica de comprar ingressos de atrações em agências brasileiras. Assim, você consegue parcelar os custos e pagar em reais.

Leia também: Dicas para aproveitar a primeira vez em Nova York sem passar perrengues

4. Não se empolgue no início da viagem

É comum se empolgar e comprar coisas por impulso, principalmente no inicio da viagem, quando o viajante está com mais dinheiro. Cuidado! Faça um planejamento de gastos diário para não chegar ao fim da viagem sem nada. “A recomendação é segurar a grana e gastar somente com o necessário”, diz José Marques da Costa.

5. Prepare sua própria refeição

“Jantar em restaurantes e provar o tempero de um chef local pode ser mais agradável durante uma viagem. Porém, em tempos de dólar alto , a dica é ser criativo para baratear uma refeição”, fala Marcella. Ela sugere comprar produtos locais no supermercado e jantar em algum espaço publico atraente. “Pode ser na frente da Torre Eiffel, em Paris, vendo o pôr do sol no mar, ou em qualquer outro ‘cenário’ agradável de sua preferência”, recomenda.

6. Faça os deslocamentos a pé

“Algumas cidades são bem convidativas para serem exploradas a pé. A dica é planejar geograficamente as atrações que você quer visitar e se deslocar entre elas a pé”, sugere Marcella. Dessa forma, gastos desnecessários com transporte são evitados, além de você se exercitar e conhecer melhor os lugares que passa.

Leia mais:  "Instagramável", ilha artificial feita de conchas faz sucesso entre turistas

Leia também: 7 destinos pelo mundo que são ótimos para fazer passeios turísticos a pé

7. Fuja dos lugares “pega-turistas”

Os moradores com certeza tão dicas de bons lugares para conhecer. Que tal conversar com eles e fugir dos lugares “pega-turistas”? “Com certeza você vai viver experiências mais autênticas e menos doloridas para o bolso”, comenta a especialista em turismo.

8. Evite lojas em aeroportos

“O viajante também deve evitar as lojas dos aeroportos, muita gente chega ao destino e já sai comprando o que vê pela frente, isso é um erro grave, já que os itens nos aeroportos costumam ser mais caros que o comum”, recomenda José Marques da Costa. 

Leia também: Comida, cultura e badalação: roteiro de 48 horas por Lima, no Peru

9. Esteja preparado

Para finalizar, Marcella fala para evitar resolver problemas de última hora na viagem, desses que te deixam vulnerável e te obrigam a aceitar pagar um valor mais alto por falta de opção. “Planeje sua viagem com antecedência e reserve os serviços indispensáveis. Pesquise também o valor médio das atividades que deseja fazer para não chegar totalmente despreparado”, diz.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio & Turismo

8 truques para escapar das roubadas no Rio de Janeiro

Publicado

source

O Rio de Janeiro continua lindo. Mas ainda carrega fama de cidade insegura para os turistas desavisados e isso não é à toa. Como muitas metrópoles do país, há arrastões em praias e assaltos nos calçadões, que não se podem prever, mas também há uma série de dicas que podem te ajudar a fugir de experiências desagradáveis ao visitar a Cidade Maravilhosa. 

Leia mais: 16 pontos turísticos no Rio de Janeiro para você conhecer e aproveitar

Rio de Janeiro arrow-options
shutterstock

Vista do Rio de Janeiro do Cristo Redentor


Prestar atenção a trajetos, usar alguns aplicativos e escolher o horário certo para alguns passeios pode te poupar de algumas roubadas no Rio de Janeiro .

1. Vai pegar um taxi? Cuidado com o trajeto

A tradição de dar umas voltas a mais como turista não deixou de existir com o advento dos aplicativos. A moda agora nos bancos de carros é que o valor final da corrida fica maior que o previsto por causa da bandeira dois. A dica é ficar de olho no Waze no seu próprio celular pra saber se o motorista não está rodando mais do que o necessário.

2. Vai seguir o caminho pelo Waze e não conhece a cidade? Cuidado rebrobado! 

Se a ideia é ir de carro ou mesmo alugar um por lá, cuidado ao seguir o caminho indicado pelo Waze. Ele até pode ser o mais rápido, mas pode não ser o mais seguro. Tente evitar trajetos que te levem para vias como Linha Vermelha ou Amarela, por exemplo. 

Ainda assim, tente andar com a internet em dia ou, no mínimo, um mapinha de papel da cidade (tem de graça em todo hotel). Se precisar pedir informação na rua dificilmente um carioca não dará: ele te explicará um caminho ou direção mesmo que não tenha a menor ideia do que esteja falando, sempre com muita simpatia.

Leia mais:  IBGE estima alta de 4,2% na produção agrícola do Brasil

3. O “alternativo” pode virar um problema

Bondinho do Pão de Açúcar arrow-options
shutterstock

Bondinho do Pão de Açúcar

Cuidado também com os “programas alternativos”, como tomar cerveja no simpático morro da Urca como opção à fila do passeio no bondinho. É de fato uma balada barata e a vista é linda, mas, assim como os banheiros dos bares que liberam as garrafas para serem tomadas na rua, o cartão postal tem um natural cheiro de urina que vai se adensando com o aumento de gente no point . Vá preparado. 

4. Vai aos Arcos da Lapa? Escolha bem o horário 

Os Arcos da Lapa são um cartão-postal do Rio de Janeiro e merecem fazer parte do seu roteiro. E a dica aqui é visitá-los sempre em boa companhia, de preferência à noite. Guarde a imagem da murada branca vista dos bares, depois de algumas cervejas. Passar por lá durante o dia significa desviar de sujeira disputando o chão com gente em situação de rua pedindo esmola. É melhor ficar com a ilusão noturna do Arqueduto Carioca.

Leia mais: Rio de Janeiro cai em ranking de cidades mais visitadas; Hong Kong lidera

arcos da lapa arrow-options
shutterstock

Arcos da Lapa


5. Cuidado com o exagero nas porções

Deixe bem claro que nos restaurantes que o seu prato é “pra um”. Sobretudo nos charmosos restaurantes antiguinhos, com garçons com meio século de profissão que parecem ter saído de uma charge do J. Carlos. Eles têm o hábito de servir a opção família, mesmo que você esteja sozinho. Uma versão raiz do documentário “Super Size Me”.

Leia mais:  Doença a bordo: passageiros são evacuados de cruzeiro após surto de norovírus

6. Calor escaldante x ar condicionado congelante

Praia de Copacabana arrow-options
shutterstock

Praia de Copacabana

Mesmo com o Sol brilhando, tenha sempre uma mantinha ou casaco a tiracolo. Principalmente no verão, todo lugar fechado parece ter seus aparelhos de ar condicionado calibrados com temperatura dos polos terrestres, como uma forma de compensação com o calor das ruas. E evite os shoppings centers nesses dias mais quentes: eles viram abrigos lotados de refugiados do calor das ruas cariocas, mal dá pra respirar.

7. Cuide bem do seu chope

Quando seu copo de chope estiver pela metade, cuide dele. Se em São Paulo o garçom já traria outro mesmo sem você pedir e, na Bahia, você ficasse com o copo vazio por muito tempo até chegar o segundo, no Rio de Janeiro, alguns bares são capazes de recolher sua bebida depois do terceiro gole “pra não ficar quente”. Fica caro.

Leia mais: Curta o fim de semana no Rio de Janeiro

8. “Não perturbe”

Lembre-se de deixar o aviso de “não perturbe” no lado de fora da porta durante à noite, caso não queria acordar com batidas na porta às sete da manhã com oferta de reposição de frigobar depois de uma noitada na praia.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana