conecte-se conosco


Saúde

Agosto Dourado: Como amamentar sem dor e desconforto?

Publicados

em

Especialista da Unime dá algumas orientações para ajudar as mamães neste processo

Este mês é marcado pela campanha nacional “Agosto Dourado”, que tem como objetivo trazer ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. A amamentação é um momento de interação entre mãe e filho, além de trazer vários benefícios à saúde de ambos. No entanto, às vezes esse processo pode trazer dor e desconforto para as mamães.

O pediatra e professor do curso de Medicina da Unime Lauro de Freitas, Hans Greve, dá algumas orientações. “É importante contar com orientação de um especialista, principalmente se for a primeira gestação. O médico irá orientar sobre a posição correta da amamentação, como evitar engasgos do recém-nascido, assim também como auxiliamos no processo para evitar os ferimentos e amenizar as dores nas mamas”, explica.

Com todos esses cuidados, a amamentação se torna ainda mais prazerosa neste vínculo de amor entre mãe e filho. Além disso, o bebê pode usufruir dos benefícios para a saúde. “A recomendação é que o bebê seja alimentado apenas com leite materno até os seis meses de idade, quando tudo ocorre normalmente. Isso é fundamental para que a criança tenha um bom desenvolvimento, com sistema imunológico bem formado, evitando problemas de saúde provenientes da má nutrição”, pontua.

Por meio do leite materno, o bebê recebe os anticorpos da mãe que o protegem contra doenças como diarreia e infecções, principalmente as respiratórias. O risco de asma, diabetes e obesidade é menor em crianças amamentadas, mesmo depois que elas param de mamar.

Confira três dicas para deixar esse momento ainda mais confortável e especial:

  1. Atenção: a dor pode ser um sinal de pega incorreta. Procure um pediatra ou consultor de amamentação para avaliação nesses casos;
  2. Tente observar a necessidade do seu filho, de acordo com a livre demanda, para que ele não esteja com muita fome na hora de amamentar, pois o bebê pode estar estressado e não amamentar corretamente;
  3. Se você ouvir qualquer barulho na boca do bebê durante a mamada, é porque algo está errado. Estalos na língua ou som semelhante a um beijo não devem fazer parte desse momento, apenas ruídos da sucção e deglutição. Caso escute qualquer coisa além disso, tire o bebê do seio e recomece. Se persistir, vale tentar mudar a posição.

 

Comentários Facebook

Saúde

Rotina equilibrada de sono deve ser praticada para manter o corpo saudável

Publicados

em

Por

O sono é responsável por uma série de funções no corpo humano e é fundamental para manter o organismo funcionando corretamente. Com isso, a atividade mantém o equilíbrio emocional, restabelecendo a disposição para realizar as atividades do dia a dia. O humor também é afetado drasticamente, já que um sono de má qualidade pode gerar estresse e irritabilidade.

Segundo dados de um estudo recente, envolvendo membros da Associação Brasileira do Sono e analisando a rotina de 2.635 adultos de várias regiões do país, 65,5% deles foram classificados como “maus dormidores”, ou seja, pessoas que não têm uma boa qualidade de sono. No repouso noturno o organismo desempenha funções como o reparo dos tecidos e o crescimento muscular. É nesse momento que ocorre a reposição de energias e a regulação do metabolismo, fatores determinantes para manter corpo e mente saudáveis.

A otorrinolaringologista e especialista em medicina do sono da Unimed Vitória Zuleika Paim explica que uma noite de sono equilibrada auxilia na consolidação da memória, principalmente na fase REM, que é o estágio final do ciclo do sono e quando os sonhos acontecem, com duração entre 10 e 20 minutos. Os principais benefícios são o fortalecimento do sistema imunológico e a liberação de alguns hormônios, como o responsável pelo crescimento. “Na fase REM do sono, durante os sonhos, os acontecimentos são repassados e os traumas são reprocessados. Com isso, o sono é essencial também para saúde mental”.

É possível saber, com sinais no dia a dia, quando se está dormindo mal. Os indícios são: sonolência excessiva durante o dia; facilidade para dormir a qualquer hora e lugar; dificuldade de concentração e foco durante o dia; memória ruim e alterações no humor. Por exemplo, dormir mais nos fins de semana pode ser a consequência de poucas horas de sono durante os dias da semana. Praticar uma rotina com redução de horas de sono é nocivo à saúde, porque enfraquece o sistema imunológico, aumenta os riscos cardiovasculares e de distúrbios metabólicos, como o maior risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, além de aumentar os riscos associados a alguns tipos de câncer.

Zuleika alerta que as necessidades de um repouso noturno variam conforme cada época da vida e vai diminuindo com a idade. Os recém-nascidos devem dormir por mais de 14 horas por dia, adolescentes de 8 a 10 horas, adultos de 7 a 9 horas e idosos entre 7 e 8 horas. “Dormir cronicamente menos de 6 horas por dia é considerado uma forma grave de insônia. Uma pequena parcela da população pode ter uma necessidade de sono menor que seis horas, determinada geneticamente e sem prejuízo para saúde, mas isso é raro. Se a pessoa tem o sono noturno reparador, em quantidade adequada, não deveria sentir sonolência durante o dia”.

Insônia

Segundo a Associação Brasileira do Sono (ABS), a insônia atinge 73 milhões de brasileiros. A insônia não é apenas um incômodo. É um distúrbio relacionado ao aumento do risco de doença cardiovascular, morte, depressão, obesidade e presença de índices elevados de gordura no sangue, além de ansiedade, fadiga e hipertensão. Em quadros crônicos, tem relação com os acidentes de trânsito, domésticos e no trabalho.

O diagnóstico é realizado por meio do histórico clínico do paciente. Deve ser procurado um médico para que o profissional investigue os aspectos emocionais da pessoa, se há sinais de depressão ou ansiedade, e os hábitos que podem causar mudanças no sono, como consumo excessivo de café e a prática de exercícios físicos perto da hora de dormir.

Dicas para uma melhor rotina de sono:

– Não dormir durante o dia

– Fazer refeições leves à noite

– Evitar cafeína (café, mate, chocolates, refrigerantes) após as 16 horas

– Manter um horário regular para dormir e acordar todos os dias, inclusive aos finais de semana

– Se expor à claridade durante o dia, principalmente pela manhã. A luz é o principal sincronizador do relógio biológico

– Reduzir os estímulos luminosos durante a noite, incluindo as telas, sobretudo nas duas horas que antecedem o sono

– Praticar atividades físicas regularmente. Se possível evitar o período da noite

– Escrever os afazeres do dia seguinte em um papel, cerca de duas horas antes de dormir, para ajuda a acalmar a mente

– Atenção para o quarto de dormir: deve estar escuro e silencioso. Temperaturas mais frias favorecem o sono

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana