conecte-se conosco

Cidades

Assinado convênio de R$ 16,4 milhões para recuperação de vias urbanas

Publicado


.
Prefeitura realizará processo licitatório para contratação de empresa responsável pelos serviços
Foto: Divulgação/PMCI

A Prefeitura de Cachoeiro firmou um convênio com o Governo do Estado do Espírito Santo para o repasse de R$ 16,4 milhões, valor destinado a obras de recuperação de mais de 12 mil metros lineares de vias públicas do município. A solenidade de assinatura do convênio foi realizada, na tarde desta sexta-feira (3), por videoconferência.

O valor será repassado em parcelas iguais de pouco mais de R$ 2,7 milhões, com a primeira parcela a ser paga na semana que vem. Com a assinatura do convênio, a prefeitura lançará, nas próximas semanas, um edital de processo licitatório para contratação da empresa que executará as obras. A expectativa é de que as intervenções sejam iniciadas até o fim do ano.

A previsão é de que sejam utilizados 21,4 mil toneladas de massa asfáltica no recapeamento de 254,7 mil metros quadrados de ruas. Também deverão ser feitos mais de 32 mil metros lineares de meio-fio e 5,8 mil metros quadrados de novas sinalizações horizontais.

As intervenções deverão contemplar, pelo menos, 18 vias em diversos bairros. A escolha se deu após mapeamento de locais da cidade com grande circulação de veículos, incluindo as principais vias de acesso a Cachoeiro, que mais precisam de reparos estruturais, como a Linha Vermelha e as avenidas Fioravante Cypriano (Rodovia do Gavião) e Aristides Campos.

“Nos últimos três anos e meio, passamos por muitos momentos desafiadores, mas nunca quisemos parar para lamentar. Uma das maiores demandas de Cachoeiro, que é a cidade-polo da região Sul do Espírito Santo, é a pavimentação de vias públicas e hoje estamos muito felizes de firmar esse convênio”, afirmou o prefeito Victor Coelho, durante a solenidade virtual.

“Cachoeiro é uma cidade muito grande, que cresceu muito e de forma não muito ordenada. Sabemos da necessidade dessas obras e, prontamente, nos colocamos à disposição para realizar esse convênio, um dos maiores que fizemos até agora”, completou o governador Renato Casagrande.

Confira a lista de vias contempladas:

Rua Dirceu Alves de Medeiros, no bairro Vila Rica (trevo da Ilha até avenida Nossa Senhora da Consolação)

Avenida Domingos Alcino Dadalto, entre os bairros Jardim Itapemirim e IBC (trevo do Sesi até a PF)

Avenida Fioravante Cypriano (Rodovia do Gavião) – Central Parque/Aeroporto

Rua Joana Carlete Fiório – Aeroporto (atrás do Parque de Exposições)

Avenida Rui Pinto Bandeira, no bairro de mesmo nome, até rodovia Ricardo Barbieri, no bairro Boa Vista (trevo até saída para Atílio Vivácqua)

Avenida José Félix Cheim (Linha Vermelha), com início no bairro Jardim América e término no bairro São Francisco De Assis (Casa das Panelas até subida da Revil)

Avenida Aristides Campos (Posto Senna, no bairro Gilberto Machado, até trevo da Selita)

Avenida Carly Levy Ramos, rua Brahim Depes, rua Alziro Viana e avenida Doutor Ubaldo Caetano Gonçalves – entre os bairros Aquidaban e Ibitiquara (posto da Ilha da Luz até os fundos do Tiro de Guerra)

Rua José Rosa Machado, no bairro Novo Parque (trevo da escola Inah Werneck até supermercado Polonini)

Rodovia Engenheiro Fabiano Vivacqua, entre os bairros Central Parque e Waldir Furtado Amorim (trevo da Coca-Cola até o Bolo de Noiva)

Avenida Francisco Mardegan até avenida Jones dos Santos Neves, entre os bairros Waldir Furtado Amorim e Jardim América (Bolo de Noiva até trevo de Jardim América)

Ruas Costa Pereira, Jerônimo Ribeiro e Dona Joana, no Centro

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Auxílio emergencial é pago ao ex-pastor George, acusado de matar os irmãos Kauã e Joaquim, em Linhares

Publicado

por

Georgeval consta na base de dados da Dataprev como um dos beneficiários do auxílio emergencial. Reprodução

Auxílio emergencial é pago ao ex-pastor George, acusado de matar os irmãos Kauã e Joaquim. Mesmo detido em uma unidade prisional em Viana, Georgeval Alves Gonçalves, figura central de um dos crimes mais brutais já cometidos no Espírito Santo obteve acesso a R$ 1.800 do auxílio emergencial do governo federal.

Ele é acusado de homicídio duplamente qualificado, estupro de vulnerável e tortura praticada contra o filho de 3 anos e o enteado, de 6. O caso aconteceu em Linhares, em abril de 2018.

Segundo registros do Dataprev, Georgeval, conhecido na época do crime como pastor George Alves, recebeu até o momento pelo menos três parcelas de R$ 600 reais. Outras duas ainda estão pendentes.Não é possível saber se ele sacou ou utilizou o dinheiro.
Como é inscrito no CadÚnico, o cadastro nacional de famílias em situação de pobreza, Georgeval não precisou baixar o aplicativo da Caixa e fazer o cadastro para acessar o benefício. Pelas regras do auxílio, todos os inscritos no CadÚnico recebem automaticamente o recurso contanto que cumpram os requisitos mínimos.
Como A Gazeta já apontou em outras ocasiões, uma falha no sistema do governo federal acabou pagando automaticamente o auxílio até para quem não se encaixava nas regras do programa, que é destinado às pessoas em situação de pobreza por conta da pandemia de coronavírus.  Pessoas que cumprem pena em regime fechado, como é o caso de Georgeval, não poderiam receber, mas os dados não foram cruzados.

 A reportagem tenta contato com a defesa de Georgeval.

O Ministério da Cidadania, responsável pela gestão do auxílio emergencial, informou em nota que as informações que estão sendo inseridas no site e no aplicativo do benefício são cruzadas com vários bancos de dados oficiais de documentação e situação econômica e social. “Até o momento, o Governo Federal recuperou, R$ 83,6 milhões pagos a pessoas que não se enquadravam nos critérios para recebimento do benefício”, disse.

Ainda segundo o ministério, quem quiser denunciar algum pagamento irregular, pode fazê-lo pelo sistema Fala.Br (Plataforma integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da CGU), ou pelos telefones 121 ou 0800–707–2003.

O crime aconteceu no dia 21 de abril de 2018, na residência onde a família morava no Centro de Linhares, Região Norte do Estado. As crianças morreram após terem sido abusadas sexualmente e queimadas vivas. Elas estavam em casa, com o pastor. A mãe estava em Minas Gerais, com o filho mais novo do casal.

Delegada com aposentadoria de R$ 20 mil recebe auxílio emergencial no ES

Sete dias após o crime o ex-pastor foi preso, ainda durante o inquérito policial. Ele permanece no Centro de Detenção Provisória de Viana 2, na Grande Vitória.

Em maio do ano passado, o juiz André Bijos Dadalto, concluiu pela pronúncia do ex-pastor George, levando o líder religioso a júri popular. Na mesma decisão, o magistrado entendeu que Juliana não deveria responder pelos crimes pelo qual foi denunciada.

Após a sentença, dada na primeira instância, os advogados de defesa de Georgeval entraram com recurso no Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) pedindo que a decisão seja revista.

Fonte: Gazetaonline

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana