conecte-se conosco

Nacional

Augusto Nunes agride Glenn Greenwald ao vivo durante entrevista

Publicado

source
Glenn Greenwald e Augusto Nunes no programa Pânico arrow-options
Reprodução/Youtube Joven Pan

Glenn Greenwald e Augusto Nunes começaram a discutir no início do programa

O jornalista Augusto Nunes agrediu nesta quinta-feira (7) o também jornalista Glenn Greenwald , do The Intercept . Os dois participavam do programa Pânico, da rádio Jovem Pan , que era também transmitido ao vivo em vídeo pelo internet.

Leia também: Além de Carlos Bolsonaro, veja quem mais apoiou a agressão de Nunes a Glenn

Logo no início do programa, Glenn disse que só descobriu que dividiria o programa com Augusto Nunes ao chegar no estúdio, mas afirmou que não teria problema em dialogar com ele. Logo em seguida, Glenn lembrou que Nunes disse que um juiz de menores deveria investigar nossos filhos”, referindo-se a um comentário feito por Nunes em que ele acusava o jornalista estrangeiro e seu marido, o deputado David Miranda, de negligência. “É a coisa mais nojenta que eu vi na minha vida”. 

“Ele ainda não sabe identificar ironias, não sabe identificar um ataque bem-humorado”, respondeu Augusto Nunes . “Eu disse apenas que o companheiro dele passa o tempo todo em Brasília e ele passa o tempo todo lidando com material roubado”, disse Nunes em referência às mensagens da Vaza Jato, “quem é que vai cuidar dos filhos?”.

Leia mais:  Receita e PF deflagram operação contra crimes tributários

Glenn Greenwald reagiu chamando-o de covarde diversas vezes. Augusto Nunes então tentou golpeá-lo. Glenn se protegeu e os dois levantaram, quando Nunes o acertou. A briga logo foi separada e o programa cortado. Assista:


Depois de já estarem separados, Glenn Greenwald tentou revidar, mas não acertou Augusto Nunes.

O nome de Augusto Nunes, de Glenn e ” Jovem Pan ” logo viraram três dos cinco assuntos mais comentados no Twitter no início desta tarde.

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

‘Onde está o presidente? Onde está o governador?’, desabafa tia de Ketellen

Publicado

source
Ketellen arrow-options
Arquivo da família

Ketellen foi atingida por bala perdida durante tiroteio

Ketellen Umbelino de Oliveira Gomes, de 5 anos, foi levada da capela até a sepultura, na tarde desta quinta-feira (14), no Cemitério do Murundu, em Realengo. Cerca de cem pessoas acompanharam o cortejo, embaixo de chuva, ao som de uma música que pedia “acalma o meu coração”.

Leia também: Witzel diz que violência no Rio está no patamar de ‘Nova York, Paris e Madrid’

Pai de Ketellen , Augusto Alves de Oliveira carregou o caixão da menina. Amparada, a mãe da criança usava uma camiseta com uma foto da filha e os dizeres: “Keke, nós te amamos”. Pouco antes do cortejo, uma tia de Ketellen desabafou sobre a insegurança e a violência que tirou a vida da sobrinha: “Onde está o presidente? Onde está o governador?”

Nesta terça-feira, Ketellen seguia para Escola Municipal Stella Guerra Duval acompanhada com a mãe quando foi atingida na perna durante um tiroteio na Rua Paula Neri, na localidade conhecida como Praça da Cohab. De acordo com a polícia, criminosos passaram em um carro e efetuaram disparos contra Davi Gabriel Martins do Nascimento, de 17 anos, que se encontrava no local, tinha envolvimento com o tráfico de drogas e era o alvo dos bandidos.

Leia mais:  Receita e PF deflagram operação contra crimes tributários

Leia também: Witzel lamenta morte de criança e crítica Bolsonaro: ‘Falta combatitividade’

A tia-avó da menina contou que a criança, ao ser ferida, pediu à mãe que não chorasse. Ketellen é a sexta criança morta com bala perdida em 2019. Além dela, morreram da mesma forma Ágatha Félix, de 8 anos (vítima de uma bala perdida no Alemão), Kauê dos Santos, de 12 anos (baleado durante operação policial no Chapadão), Kauê Rozário, de 11 anos (atingido por bala perdida na Vila Aliança), Kauan Peixoto, de 12 anos (morto durante um confronto entre policiais e bandido na favela da Chatuba, em Mesquita) e Jenifer Gomes, de 11 anos (baleada em Triagem).

Até setembro, a polícia não havia identificado a autoria de nenhum dos casos citados.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana