conecte-se conosco

Política Nacional

Bancada feminina vai apoiar campanha em farmácias pelo fim da violência contra a mulher

Publicado


.

 

 

Imagine que um xis feito com batom ou esmalte possa salvar uma vida. Essa é a base da campanha Sinal Vermelho para a Violência contra a Mulher. A ideia é bem simples. Uma mulher que está sendo vítima de violência doméstica vai até uma farmácia, mostra o x desenhado na palma da mão, aí o atendente aciona a polícia que afasta o agressor e inicia os trâmites de atendimento a essa mulher.

A campanha lançada em 20 de junho foi uma iniciativa da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A presidente da AMB, Renata Gil, participou de audiência virtual promovida pela Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados e explicou que as farmácias foram os locais escolhidos por terem grande capilaridade.

“Nesse momento de pandemia as mulheres estão impedidas de sair das suas comunidades, a gente sabe que o grande volume de registros é feito por mulheres que vivem em comunidades carentes. Elas estão sem acesso às defensorias públicas, aos escritórios de advocacia dativos e aos centros de atendimento, seja por conta da deficiência do transporte público, seja em razão da situação de encarceramento que nós estamos vivendo cotidianamente”, disse.

Renata Gil lembrou que até agora, 10 mil farmácias estão participando da campanha, mas ainda há muito que ser feito, porque existem mais de 80 mil farmácias em todo o Brasil.

Pandemia e violência
A secretária da Mulher, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), afirmou que o objetivo da reunião foi que cada parlamentar possa replicar a campanha em seus estados para que as vítimas tomem conhecimento dessa alternativa de atendimento,  no momento atual em que as mulheres estão confinadas, muitas vezes, com seus agressores.

“A pandemia aumenta os níveis de estresse e de instabilidade econômica e sabemos que isso é um gatilho para a violência, pois os homens tendem a descontar suas frustrações em suas companheiras e assim, mulheres e crianças vítimas da violência acabam confinadas com seus agressores. Campanhas que alertem sobre o problema e facilitem a denúncia podem ajudar aquelas pessoas que estão sob vigilância constante e não conseguem denunciar quando estão em companhia do seu agressor”, disse a deputada.

Atualmente o Brasil ocupa o quinto lugar no número de casos de violência contra a mulher. E a violência doméstica ocupa o segundo lugar nas chamadas de emergência do número 190.

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Roberto Seabra

Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Bolsonaro responde crítica de seguidor: “alguém já te mandou tomar uma Caracu?”

Publicado

 

 

bolsonaro

Presidente publicou uma foto de café da manhã com a filha Laura. Reprodução//Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou atenção ao responder a crítica de um internauta no Facebook. “Alguém já te mandou tomar uma Caracu hoje”, disse Bolsonaro após um internauta comentar “Café da manhã com cloroquina! #Bolsonaro2022”.

A troca de farpas ocorreu nos comentários de uma foto publicada hoje pelo presidente, onde ele aparece tomanda café da manhã ao lado da filha, Laura. O presidente, que foi infectado pela Covid-19 no início deste mês e recentemente apontou o exame com resultado negativo, é conhecido por defender a hidroxicloroquina como tratamento viável pela doença.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, porém, não há comprovação clínica sobre a eficácia do medicamento no combate à nova doença. A hidroxicloroquina também foi rejeitada pela maioria dos estudos laboratoriais independentes em diferentes países.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana