conecte-se conosco

Agronegócio & Turismo

Brasileiros barrados no México têm prejuízo de até R$ 14 mil: “Foi desumano”

Publicado

source

Segundo o Instituto Nacional de Migração (INM) do México, 1.958 brasileiros foram impedidos de entrar no México somente em 2019. O número de casos aumentou no mês de dezembro e fez com que o Consulado-Geral do Brasil emitisse uma nota, no início desta semana, pedindo cautela aos brasileiros que queiram visitar o país latino.

Leia também: Sem burocracia – quais países no mundo o brasileiro não precisa de visto?

O México não exige visto de entrada para brasileiros desde 2013, porém algumas regras são indicadas pelo Itamaraty como essenciais para entrar no país:

  • Passaporte com pelo menos seis meses de validade;
  • Comprovantes de hospedagem, ônibus/avião doméstico ou locação de carro;
  • Passagem de retorno ao Brasil;
  • 10.000 dólares (ou equivalente) como garantia financeira; entre outras garantias.

Porém, estar com toda a documentação em mãos não tem sido garantia de entrada no México. Lucas Bacellar e sua esposa Driele escolheram Cancún para passar a Lua de Mel no mês de setembro. O casal reservou lancha, hotel, passeios, mas na hora de passar na imigração, o sonho virou pesadelo.

casal arrow-options
Arquivo pessoal

Lucas e Driele passariam a Lua de Mel em Cancún, mas foram impedidos de entrar no México

“Nós mostramos todos os comprovantes na imigração e uma moça nos conduziu até uma sala. Ficamos lá em torno de duas a três horas esperando uma explicação. Depois desse tempo, nos chamaram separadamente para entrevistas. Perguntaram o que estávamos fazendo lá e o que queríamos. Mesmo com todos os comprovantes e até fotos do casamento não nos deixaram entrar. Eles disseram que não cumpríamos os requisitos, mas não explicaram quais eram”, conta Lucas ao iG Turismo.

Leia mais:  Em Bom Jesus do Norte agricultura recebe reforço com dois novos tratores

Segundo o assistente administrativo, o casal ficou 24 horas trancado na sala do aeroporto, sem celular e documentos, com um grupo de brasileiros e estrangeiros, sem água ou comida. “Fomos tratados como animais. Tinha brasileiros com crianças de colo. Nesse tempo só levaram um hambúrguer gelado e deixaram um galão de água com a boca pra cima, mas não tinha copo”, lembra.

Constrangimento parecido passou Alex Sandro, brigadista que viajou sozinho para o país e passou 20 horas dentro de uma  sala no aeroporto com 26 pessoas entre brasileiros, peruanos, chineses e venezuelanos.”Nunca pensei que iria passar por uma humilhação dessas. Saí no meio do aeroporto com os tênis sem cadarço, porque eles não queriam que colocasse, e passei na frente de várias pessoas que ficaram me olhando como se eu tivesse feito algum crime”, comenta.

alex sandro arrow-options
Arquivo pessoal

Alex Sandro também foi barrado em viagem a turismo para o México

Tanto Lucas quanto Alex Sandro tiveram prejuízos financeiros. Lucas e a mulher gastaram R$ 14 mil ao todo, mas só conseguiram recuperar um crédito de R$ 6 mil na CVC, empresa pela qual reservaram os pacotes e seguro viagem. Ao chegarem no Brasil, procuraram o Consulado do México, mas não tiveram ajuda.

Leia mais:  Sexo, doença e novidades para temporada: o que bombou sobre cruzeiros em 2019

Já o prejuízo do brigadista ficou em torno de R$ 3.500 com a agência de turismo, que informou também não haver reembolso. Apesar da frustração, Alex Sandro afirma que tentará voltar para visitar o país. “Quero voltar, só não sei quando. Planejei essa viagem por quase dois anos e agora não estou em condições de gastar tudo novamente”, conclui.

Em nota enviada à reportagem, o Ministério das Relações Exteriores diz que foi informado pelas autoridades mexicanas que as inadmissões têm sido por “inconsistências de informações fornecidas pelos brasileiros, tais como reservas de hotel inexistente ou o desconhecimento do nome das pessoas com quem alegadamente se hospedariam”.

Leia também: 10 atrações imperdíveis para conhecer no México

Sobre futuros casos de inadmissões de brasileiros no México , o Itamaraty garantiu que está atuando com as autoridades mexicanas para “demandar respeito aos cidadãos brasileiros”, mas alegou que a decisão é soberana e que o Consulado-Geral não tem recurso legal para interferir.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio & Turismo

Vai para Orlando? Saiba as vantagens de se hospedar na Disney ou na Universal

Publicado

source

Ir à Orlando é um sonho para muita gente, e, como qualquer outra viagem, exige planejamento – que inclui, claro, hospedagem. Saber onde vai ficar pode fazer toda a diferença para a sua viagem e é aí que os hotéis Resort dos complexos entram. Tanto o Walt Disney World quanto o Universal Orlando oferecem opções de hotéis para os turistas que querem ter a “experiência completa”.  

Leia também: Alugar casa ou reservar hotel? Veja qual o melhor tipo de estadia em Orlando

Cabana Bay Beach arrow-options
Divulgação

Universal’s Cabana Bay Beach Resort

Mas, afinal, vale a pena ficar hospedado dentro dos complexos da Disney ou Universal? Isso, na verdade, vai depende da experiência que você quer ter em Orlando . Os hotéis Resort oferecem uma série de benefícios para quem fica por lá, além de serem temáticos – o que significa que, sim, você pode ficar no quarto do seu personagem preferido dependendo do hotel que escolher.

Porém, o preço, por exemplo, é uma questão que faz muita gente dar preferência por ficar fora. Uma diária para dois adultos no  Universal’s Endless Summer Resort que é o hotel da categoria “Value”, a mais barata no Universal Orlando, sai por R$ 490. Já no  Disney’s All Star Movies , um dos mais econômicos no Walt Disney World Resort, custa R$ 470. Em comparação, cotações no  Booking.com  mostram hotéis fora dos complexos com diárias a partir de R$ 130**.

Leia também: 6 dicas para evitar perrengues nos parques do Universal Orlando Resort

Opções de hotéis da Disney e da Universal

Todos os hotéis possuem restaurantes e piscinas (em alguns mais de uma). É importante lembrar que os quartos, em ambos os casos, variam entre duplos, com uma ou duas camas king size, e suítes familiares, para grupos com cinco pessoas ou mais. Além disso, as opções de hospedagem variam entre “econômica” e “deluxe”, cujos preços e benefícios variam.

Veja as opções de hotéis no Walt Disney World Resort :

Disney's Art of Animation arrow-options
Divulgação

Disney’s Art of Animation


  • Econômicos:

Disney’s All Star Movies; Disney’s All Star Sports; Disney’s All Star Music; Disney’s Pop Century; Disney’s Art of Animation

  • Intermediários:
Leia mais:  O que fazer nos feriados de 2020? Veja os melhores destinos nacionais

Coronado Springs Resort; Port Orleans Resort-Riverside; Port Orleans Resort-French Quarter; Caribbean Beach Resort. 

  • Deluxe:

Animal Kingdom Lodge; Wilderness Lodge; Contemporary Resort; Polynesian Resort; Yacht Club Resort; Beach Club Resort; Grand Floridian Resort & Spa; BoardWalk Inn

  • Deluxe Villas:

Old Key West Resort; BoardWalk Villas; The Villas at Wilderness Lodge; Beach Club Villas; Saratoga Springs Resort & Spa; Bay Lake Tower at Disney’s Contemporary Resort; The Villas at Disney’s Animal Kingdom Lodge; 

  • Outros hotéis oficiais do Walt Disney World Resort:

Walt Disney World Swan; Walt Disney World Dolphin; Buena Vista Palace; Doubletree Guest Suites Resort; Wyndham Lake Buena Vista; Hilton; Holiday Inn; Hotel Royal Plaza; Best Western Lake Buena Vista Resort Hotel; Fort Wilderness Resort & Campground; Wilderness Cabins. 

Veja as opções de hotéis no Universal Orlando Resort :

Universal's Endless Summer Resort arrow-options
Divulgação

Universal’s Endless Summer Resort


  • Value/Econômico:

Endless Summer Resort – Surfside Inn & Suites

  • Prime Value/Econômico (mais confortável do que o “value”):

Cabana Bay Beach Resort; Aventura Hotel

  • Preferred/ Intermediários:

Loews Sapphire Falls Resort

  • Premier/Deluxe:

Hard Rock Hotel; Loews Portofino Bay Hotel; Loews Royal Pacific Resort

Leia também: 6 passeios em Orlando que podem ser feitos gastando menos de US$ 20

Comparando hotéis: Disney x Universal

Disney's All Stars Movies arrow-options
Divulgação

Disney’s All Stars Movies

O maior diferencial de ficar nesses hotéis são os benefícios para hóspedes, como por exemplo, transportes para os parques e o sistema de “horas extras”, que permite entrada e/ou saída em horários diferentes do público geral.

No Walt Disney World Resort, os principais benefícios incluem: 

  • acesso antecipado FastPass+, agendando horários para entrar nas atrações sem fila;
  • horas mágicas, com entrada e saída uma hora antes ou depois do horário de funcionamento dos parques da Disney;
  • MagicBands, as pulseirinhas personalizadas que dão acesso aos partes e hotéis;
  • transporte do aeroporto ao hotel e do hotel para os parques;
  • estacionamento gratuitos em todos os parques;
  • possibilidade de reserva do plano de refeições;
  • experiência mágica de estar em um ambiente temático durante a estadia. 

Já no Universal Orlando Resort, os hóspedes têm direito a:

  • entrada antecipada em uma hora nos parques da Universal;
  • Universal Express Unlimited grátis (o fura-fila da Universal);
  • lugares prioritários em restaurantes selecionados no complexo;
  • transporte gratuito do hotel para os parques;
  • possibilidade de pagar suas despesas e compras, dentro de todo o complexo, através do cartão-chave do seu quarto;
  • entrega de mercadorias compradas no complexo dentro do hotel;
  • aparições dos personagens do Universal Orlando; programa de Golf Universal Orlando;
  • decoração temática. 
Leia mais:  Produtor rural de Cachoeiro que emite nota fiscal concorre a prêmios

Esses benefícios podem variar dependendo das categorias mencionadas no tópico anterior. A reportagem do iG Turismo  viajou à Orlando e ficou hospedada em ambos complexos. No caso do transporte, especialmente se você opta por não alugar carro, ficar dentro dos hotéis pode ser muito prático, e as horas extras ajudam quem quer curtir ao máximo os parques, pois várias das atrações mais populares estão disponíveis para hóspedes.

Afinal, qual hotel escolher em Orlando?

Saber qual complexo se hospedar vai depender, também, quais parques são sua prioridade. Vale lembrar, como também já viveu a reportagem, que a saída dos parques da Disney , por exemplo, é complicada – até mais do que os da Universal. Então, se a ideia é, por exemplo, priorizar a turma do Mickey, vale mais ir para os hotéis da Disney. Entretanto, alguns benefícios da Universal, como o fura-fila, só estão inclusos para os hóspedes do complexo. É importante colocar todos esses fatores na balança antes de fechar a hospedagem. 

Além disso, o mais divertido é aproveitar também as dependências do hotel – os resorts dos complexos podem ser uma boa opção para quem tem um dia livre, por exemplo. Aí terá tempo de curtir piscina, atrações dos personagens e o que mais for oferecido pelo local. 

Já se a ideia é sair cedinho e só voltar para dormir – e você tiver alugado um carro, por exemplo – a economia de ficar fora dos complexos pode ser uma boa opção na viagem para Orlando,  já que diversos benefícios, como os fastpass da Disney, estão disponíveis para todos. 

* Reprtagem viajou a convite do Universal Orlando Resort e a convite da Visit Orlando

** Valores consultados em 17 de janeiro de 2020 e sujeitos a mudanças

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana