conecte-se conosco

Cidades

Cachoeiro volta ao risco baixo para Covid-19; confira o que muda

Publicado

Atividades econômicas poderão voltar a funcionar sem limitação de horário, mas mantendo medidas preventivas. Foto: Márcia Leal/PMCI

 

.

Cachoeiro de Itapemirim retornou ao grau de risco “baixo” no Mapa de Risco Covid-19, estabelecido pelo governo estadual. Com isso, haverá flexibilização no funcionamento das atividades econômicas, a partir deste sábado (8), conforme decreto publicado em edição extraordinária do Diário Oficial do Município, na noite desta sexta (7).

Todas as atividades comerciais, shopping centers, galerias e centros comerciais e, também, restaurantes e bares poderão funcionar sem limitação de dias e horário. Contudo, os estabelecimentos deverão continuar adotando medidas sanitárias.

As atividades comerciais no interior de shopping centers, galerias e centros comerciais deverão limitar a entrada de clientes, respeitando a proporção de 01 (um) cliente por cada 10 m² (dez metros quadrados) no shopping e nas lojas e em galerias e centros comerciais, no interior de cada loja, com limitação a 02 (duas) pessoa por família, sendo proibida a entrada de menores de 10 (dez) anos, na hipótese de formação de fila de espera deverá utilizar faixas ou marcações para limitar a distância mínima de 1,5 m (um metro e cinquenta centímetros) entre clientes.

Já as atividades de bares e restaurantes deverão promover a higienização de seus clientes na entrada do estabelecimento, controlando também o acesso às suas instalações, visando ocupar no máximo 60% de cadeiras e mesas, permitindo o afastamento mínimo de 1,5 m (um metro e cinquenta centímetros metros) entre as mesas, evitando aglomeração de pessoas.

As atividades essenciais e prestadores de serviços, por sua vez, deverão promover a higienização de seus clientes na entrada do estabelecimento, controlando também o acesso às suas instalações, com atendimento de pessoas em até 60% (sessenta por cento) da sua capacidade, com limitação a 02 (duas) pessoas por família, e que os caixas atendam até 05 (cinco) pessoas, por caixa aberto, sendo proibida a entrada de menores de 10 (dez) anos.

“A nova classificação mostra que estamos adotando medidas eficazes, com resultados que garantam retorno às atividades com cuidado e responsabilidade. O cachoeirense apoiou as medidas e, dessa forma, vamos continuar avançando, sem perder de vista todos cuidados de higiene, distanciamento e isolamento social”, destacou o prefeito Victor Coelho.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Pandemia adia implantação da Área Verde do estacionamento rotativo

Publicado


.

A implantação da Área Verde do estacionamento rotativo de Cachoeiro foi adiada, por tempo indeterminado, em função da pandemia do novo coronavírus. O início do funcionamento estava programado para este mês.

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, o adiamento é necessário para evitar que o aumento do fluxo de pessoas, observado no centro da cidade, onde o serviço já se encontra em operação, na Área Azul, também ocorra nas regiões que receberão a expansão do rotativo, em um momento em que os níveis de contaminação ainda inspiram muitos cuidados.

“A maior disponibilidade de vagas e a facilidade de acesso da população, inclusive, daquela residente nos municípios do entorno, certamente, aumentaria a movimentação das pessoas nesses locais, em uma conjuntura de necessário isolamento social. Isso poderia acarretar uma piora dos níveis de risco de contágio em Cacheiro e, até mesmo, em outras cidades, com graves implicações para a saúde pública e para a economia da região. Queremos evitar isso”, explica o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Jonei Petri.

Petri salienta que, além de uma importante ferramenta de gestão do espaço público, o estacionamento rotativo fomenta comércio, serviços e transporte público.

“Com a cobrança pelo uso das vagas, a tendência é que, por exemplo, mais pessoas recorram ao serviço de transporte público, neste momento de crise sanitária, em que é necessário minimizar os riscos de transmissão nesse modal, considerados altos pelas autoridades de saúde”, avalia.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana