conecte-se conosco

Política Nacional

CCJ aprova proposta que institui o Janeiro Branco, para promoção da saúde mental

Publicado

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou três datas comemorativas e duas homenagens. Como tramitam em caráter conclusivo, as cinco propostas devem seguir para o Senado, a menos que haja recurso para análise do Plenário.

O Projeto de Lei 1836/19 institui a campanha Janeiro Branco, que dedica o mês à promoção da saúde mental.  O relator, deputado Alencar Santana Braga (PT-SP), recomendou a aprovação.

Elói Corrêa/Governo da Bahia
Campanha de prevenção ao suicídio e conscientização sobre a depressão realizada na Bahia

O Projeto de Lei 1938/15, do ex-deputado Paulo Foletto, institui a Semana Nacional de Luta e Conscientização sobre a Depressão, que deverá ser celebrada anualmente na semana que compreender 10 de outubro, o Dia Mundial da Saúde Mental. O relator, deputado Fábio Trad (PSD-MS), recomendou a aprovação.

O Projeto de Lei 2260/19 institui o Dia Nacional da Pessoa Surdocega em 12 de novembro, na forma do substitutivo adotado pela Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência ao projeto do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG). O relator, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), recomendou a aprovação.

Terra do Gaitaço
O Projeto de Lei 6993/13 confere a Almirante Tamandaré do Sul (RS) o título de “Terra do Gaitaço”. Em 2012, disse o autor, deputado Giovani Cherini (PL-RS), foi batido na cidade o recorde mundial de acordeonistas em exibição musical, com 1.004. O relator, deputado Márcio Biolchi (MDB-RS), recomendou a aprovação.

O Projeto de Lei 342/19 denomina “Joaquim de Azevedo Mancebo” o aeroporto de Macaé (RJ). O homenageado, disse a autora, deputada Soraya Santos (PL-RJ), foi o responsável pela instalação, nos anos 60, do campo de pouso que deu origem ao aeroporto. O relator, deputado Gurgel (PSL-RJ), recomendou a aprovação.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Wilson Silveira

Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

“Rajadão da Damares”: ministra canta paródia de Pabllo Vittar em Deepfake; assista

Publicado

 

 

Damares
Reprodução/Youtube

Um vídeo que utiliza a técnica de deepfake e mostra a ministra Damares Alves , responsável pela pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo Jair Bolsonaro, cantando uma paródia da música “Rajadão”, de Pabllo Vittar, está divertindo as pessoas nas redes sociais.

Nas imagens, produzidas pelo jornalista Bruno Sartori, que já divulgou outros vídeos musicais envolvendo integrantes do atual governo, Damares aparece falando sobre as quedas nos outros ministérios e alertando o presidente sobre um “eunuco infiel”.

Além da ministra, a música traz participações do próprio Bolsonaro, dos ex-ministros Sérgio Moro, Nelson Teich, Luiz Henrique Mandetta, com trechos de falas reais, junto com atuações de dança de Damares, da primeira-dama Michelle Bolsonaro e de Regina Duarte , ex-comandante da Secretaria de Cultura .

O que é o Deepfake?

Esta é uma tecnologia que usa inteligência artificial (IA) para criar vídeos falsos, mas bastante realistas, de pessoas fazendo coisas que elas nunca fizeram na vida real. Em sua maioria, colocam pessoas famosas em situações inusitadas, mas que podem ser usadas também para divulgar conteúdo pornográfico ou difamatório, como nas chamadas “fake news”.

Os vídeos são criados da seguinte forma: o programado fornece milhares de fotos da pessoa que será utilizada e estas imagens são processadas por uma rede neural. A partir daí, o computador aprende como é a face deste indivíduo e suas características, e começa a “costurar” as imagens sobre o vídeo original, criando a ilusão de que o deepfake é verdadeiro.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana