conecte-se conosco

Estado

Cinco pessoas estão curadas do Coronavírus no Espírito Santo, diz Secretaria de Saúde

Publicado

Das 26 pessoas que foram diagnosticadas com o novo coronavírus (Covid-19) no Espírito Santo, cinco já se curaram da infecção, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Esses cinco pacientes curados constam no levantamento de 26 casos registrados no estado e divulgado neste domingo (22) pelo Ministério da Saúde. Dos 21 pacientes ainda infectados, 15 estão em isolamento residencial e seis estão internados – sendo um deles em UTI. 696 casos são considerados suspeitos e os pacientes aguardam retorno do exame.

Para tentar evitar a escalada de casos no estado, o governador Renato Casagrande adotou uma série de medidas para restringir aglomerações e dificultar a disseminação do vírus, como o fechamento dos comércios não essenciais por 15 dias e convocação de homens do Corpo de Bombeiros e do Exército para irem às ruas conscientizar a população nas principais vias de todo o estado.

Apesar da maioria dos capixabas respeitarem a quarentena, cenas de festas particulares, bares abertos, aglomerações em supermercados, pessoas se exercitando nos calçadões e tomando sol nas faixas de areia foram observadas em algumas cidades neste fim de semana.

Acompanhe em tempo real os números do Coronavírus no Brasil com mapa interativo atualizado pelo Ministério da Saúde clicando aqui.

Comentários Facebook
publicidade

Estado

Secretário de Segurança diz que desconhece investigação alegada por delegado de Piúma

Publicado

por

A Polícia Civil e a Secretaria de Estado de Segurança não tinham informações sobre suposta investigação que motivou ação de delegado de Piúma e dois soldados da Polícia Militar e uma residência localizada no bairro Morada do Sol, em Vila Velha, na noite de quarta-feira (28). O delegado David de Santana Gomes e os soldados juliano Araújo dos Santos e Cleyton Correia Gavi foram flagrados na ação após denúncia e tiveram que prestar esclarecimentos na Delegacia de Vila Velha.

De acordo com o titular da Sesp, secretário Alexandre Ramalho, as investigações para entender a atuação do delegado e dos militares já começaram nas corregedorias das polícias Civil e Militar. E que podem durar até 60 dias. Ele destacou, no entanto, que inicialmente ela não pareceu correta. Disse ainda que o delegado David terá que esclarecer que investigação foi a que motivou sua diligência em uma região que não está na sua competência, bem como a solicitação do apoio de justamente dois militares que estão afastados por problemas médicos.

“Tudo isso merece ser apurado. Uma atuação como essa, do delegado, só seria justificada se fizesse parte de uma investigação de sua delegacia ou o caso de situação emergencial, onde, caso ele não atuasse, perderia o flagrante, por exemplo. Agora, no caso de uma atuação programada, há todo um rito, diferentemente. Queremos saber por que convocar um policial militar afastado por problema psiquiátrico e outro por problema ortopédico”, destacou Alexandre Ramalho, sem dizer qual problema médico afastou qual soldado.

Com as dispensas médicas dadas pelo Hospital da Policia Militar (HPM) em vigor, os militares responderão pela investigação da corregedoria afastados, enquanto o delegado vai continuar trabalhando em Piúma ou em outra função dentro da Polícia Civil, conforme definição do delegado chefe, Darcy José Arruda.

“Eles continuarão em atuação, o delegado-geral e o comando da PMES estão avaliando se permanecem ou não no local durante a apuração. Não podemos fazer nenhum tipo de juízo de valor no momento, apenas colher as informações e continuar procedendo para que a verdade, além de tudo, prevaleça”.

A operação aconteceu em uma residência de propriedade de um irmão de policial militar com patente de capitão locado na Corregedoria da PMES e que foi alugada por meio de site de compra e aluguel de imóveis.

Com informações de Alexandre de Souza

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana