conecte-se conosco


Estado

Clientes com cartão adicional agora também poderão utilizar as facilidades do Aplicativo Banestes Cartões

Publicados

em

 

O Aplicativo Banestes Cartões, que possibilita aos clientes que utilizam cartões de crédito do banco Banestes uma série de ferramentas para organização, controle, compras na internet, pagamentos de contas, dentre outros, foi aperfeiçoado e a partir de agora também permite o cadastro por clientes que tenham apenas cartão de crédito adicional, vinculado a outro correntista do banco.

“O aperfeiçoamento do Aplicativo Banestes Cartões tem como foco melhorar ainda mais a experiência do nosso cliente, contemplando agora também os portadores de cartão adicional do Banestes. O banco investe no aprimoramento de suas tecnologias para proporcionar cada vez mais praticidade e agilidade a todos os seus clientes. A ferramenta digital tem um ambiente de fácil navegação e funcionalidades muito úteis para o dia a dia dos clientes”, destaca o gerente de Inovações de Cartões do Banestes, Marcel Damásio.

O Aplicativo está disponível para download tanto para o sistema operacional Android quanto para iOS. Com um smartphone nas mãos, basta que o cliente do cartão adicional faça o download gratuito do App e realize o cadastro, por meio do número e da senha do cartão.

As funcionalidades disponíveis para os clientes de cartão adicional são: a visualização de timeline com a apresentação das compras na função crédito e saque no crédito em tempo real; consulta da fatura em aberto e das cinco últimas faturas fechadas; gerar cartão virtual Banescard para compras na internet; realizar o cadastro no Google Pay para cartões Visa; pagar contas com o cartão de crédito Banescard; e pagamentos via QR Code em maquininhas Cielo.

Além disso, os clientes têm acesso à informação sobre o melhor dia de compra e sobre limite disponível no cartão. Vale destacar que para ter acesso às funções Cartão Virtual Banescard e Cadastro no Google Pay, o cliente, neste caso, vai precisar habilitar o App em um caixa eletrônico de autoatendimento do Banestes (ATM).

O Aplicativo Banestes Cartões reúne toda a família de cartões Banestes (Banescard, Banestes Visa Platinum, Banestes Visa Internacional e Banestes Visa Gold) e segue o conceito de maior transparência e controle de gastos. Ele apresenta informações mais rápidas e de forma amigável aos clientes, que poderão acessá-las sem a necessidade de ir até a agência ou ligar para a central de atendimento.

Em caso de dúvidas, os clientes poderão entrar em contato por meio dos canais de atendimento disponibilizados pelo Banestes. Informações completas no site oficial www.banestes.com.br.

Saiba mais

Aplicativo Banestes Cartões disponível para clientes de cartão adicional. As funcionalidades disponíveis para este caso são:

  • Visualização de timeline com a apresentação das compras na função crédito e saque no crédito em tempo real.
  • Consulta da fatura em aberto e das cinco últimas faturas fechadas.
  • Acesso à informação de melhor dia de compra e limite disponível no cartão.
  • Gerar cartão virtual Banescard para compras na internet  – o cliente do cartão adicional precisa habilitar o App no ATM.
  • Realizar o cadastro no Google Pay para cartões Visa – o cliente do cartão adicional precisa habilitar o App no ATM.
  • Pagar contas com o cartão de crédito Banescard.
  • Pagamentos via QR Code em maquininhas Cielo.

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

MPES divulga nota a respeito do retorno das aulas presenciais

Publicados

em

Por

Desde o início da pandemia de Covid-19, o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) vem acompanhando todas as medidas adotadas pelo Governo Estadual, pelas prefeituras municipais e demais segmentos da sociedade para auxiliar nas ações de enfrentamento da pandemia e preservar os direitos constitucionais dos cidadãos. No decorrer desse acompanhamento, o MPES realiza reuniões e dialoga com diversos setores da sociedade.

Durante a decretação da quarentena e da situação de risco extremo em todos os municípios capixabas, no final de março, o MPES defendeu o fechamento das escolas e de outros setores, por se mostrar a medida mais eficaz, naquela circunstância, para frear o crescimento aceleradíssimo da contaminação, reduzir a lotação de UTIs por pacientes de Covid-19 e o número de mortos, o que se demonstrou acertado, diante das informações técnicas de que o quantitativo de óbitos seria muito maior.

Em razão dos novos indicadores apurados entre meados e o final de abril que apontavam a queda na transmissão, além da menor ocupação dos leitos de UTIs destinados à Covid-19, o MPES intensificou o diálogo, de forma virtual, com diversos segmentos da sociedade, ouvindo especialistas das áreas da saúde, representantes dos professores e profissionais da educação, dos pais e responsáveis de alunos, do Governo do Estado e dos municípios, para discutir a reabertura das escolas e o retorno das atividades escolares presenciais em municípios não incluídos na classificação de risco extremo.

Em paralelo, o MPES recebeu informações e documentos de diversas fontes em relação ao assunto, como o “Retorno Seguro nas Escolas”, da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP); a “Carta aberta às prefeitas e aos prefeitos eleitos (as) para que priorizem a reabertura segura das escolas”, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), além do posicionamento Sociedade Espiritossantense de Pediatria (Soespe) e da Sociedade de Infectologia do Espírito Santo (SIES) em relação ao retorno presencial das atividades de Educação Infantil e do Ensino Fundamental no Estado, datado de 29 de abril de 2021. Esses documentos, em síntese, alertam para os impactos educacionais significativos do fechamento das escolas e para a acentuada defasagem na aprendizagem causada pela pandemia de Covid-19, o que também sempre foi objeto de atenção pelo próprio Ministério Público, ponderando todos os direitos fundamentais envolvidos.

Assim, o MPES, de forma apartidária e partindo de premissas científicas, tem buscado conciliar os interesses dos diversos setores ouvidos, inclusive do próprio Estado, responsável pelas diretrizes e políticas públicas de saúde e educação referentes à pandemia, buscando equilibrá-los.

Portanto, sopesando todos os riscos envolvidos, o Ministério Público entende que no atual cenário é possível fazer movimentação cautelosa, organizada e equilibrada para o retorno das aulas presenciais, desde que com o devido cumprimento de todos os protocolos sanitários para evitar o contágio da doença. O retorno deve propiciar segurança a todos os envolvidos, liberdade das famílias em escolher entre o modelo híbrido e presencial, em busca de um estágio de maior normalidade das aulas, a fim de promover o efetivo cumprimento do art. 6º da Constituição Federal, que consagrou a saúde e a educação como direitos fundamentais sociais.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana