conecte-se conosco

Saúde

Coleta de exames do Novembro Azul acontece nesta sexta-feira (8)

Publicado

O público masculino que foi contemplado com uma das 150 senhas para o exame de PSA distribuídas no início deste mês na Casa de Apoio ao Câncer, agora é a hora de realizar a coleta.

O laboratório de Análises Clínicas do Hospital Evangélico, a partir de 12h estará pronto para recebê-los, nesta sexta-feira (08).  De acordo com Marinete França, coordenadora dos Ambulatório do HECI, para melhor organização dos trabalhos, serão divididos em grupos. “Teremos 75 ao meio dia e depois mais 75 após as 14h, para que seja um atendimento mais ágil, com menor tempo de espera. ”, afirma.

Com um espaço todo reformado, mais amplo e repaginado, o laboratório do Heci vai conferir aos homens esta primeira fase da campanha. Porém, de acordo com o médico urologista Hernane Schwartz, somente o exame de PSA não basta para se chegar ao diagnóstico ou não de câncer de próstata. Ele deve ser feito juntamente ao toque retal. “Um exame não subs­titui o outro. Eles são com­plementares e importante para o diagnóstico precoce”, explica.

Leia mais:  Canabidiol ameniza efeitos da quimioterapia

E esta é a próxima fase da campanha. A entrega dos exames e a consulta serão feitas no dia 22 no Ambulatório 01, que fica na Rua Manoel Braga Machado, junto à sede administrativa do Hospital Evangélico.

O exame

O PSA é um exame de sangue que detecta qualquer anormalidade que possa estar ocorrendo na próstata. O aumento significa alguma alteração na glândula que cabe ao médico investigar se pode, de alguma forma, estar relacionando ao câncer. No geral, os médicos pedem a medição do PSA total, mas podem também requisitar a quantidade de PSA livre – ou seja, a quantidade que não está ligada a nenhuma proteína, se houver alterações nos resultados.

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Como usar a alimentação a seu favor para ajudar a controlar o diabetes

Publicado

source

Women's Health

O Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro, foi uma data criada em 1991 pela International Diabetes Foundation (IDF) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar a população sobre a doença.

Leia também: Será que seu filho tem diabetes? Saiba identificar os sintomas

diabetes arrow-options
shutterstock

Nesta quinta-feira, comemora-se o Dia Mundial do Diabetes, doença que, segundo a OMS, atinge 16 milhões de brasileiros

O diabetes é uma doença metabólica crônica que, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, atinge 16 milhões de brasileiros e cuja taxa de incidência cresceu 61,8% mundialmente, nos últimos dez anos. Mas ainda assim, muitas pessoas não sabem como controlar o diabetes!

Quais são os tipos de diabetes?

“O diabetes do tipo 1 geralmente é diagnosticado na infância ou adolescência e está relacionado a uma incapacidade do pâncreas em produzir a insulina, hormônio que regula o aproveitamento do açúcar no organismo e o nível de glicose no sangue”, conta Roberto Abrão Raduan, endocrinologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

“Já o tipo 2 ocorre quando o organismo não consegue usar de forma adequada a insulina que produz. Assim, o nível de glicose no sangue se mantém elevado. Esse tipo de diabetes é desenvolvido geralmente na vida adulta, mas com o crescimento da obesidade infantil existe um número cada vez maior da doença nessa população, causada pela má alimentação e pelo sedentarismo”, afirma o médico.

Leia mais:  Por que "Coringa" mexe tanto com a mente e com os sentimentos das pessoas?

Tem alguma diferença entre a alimentação de pacientes diagnosticados com diabetes dos tipos 1 e 2? Segundo Cristiane Hanashiro, nutricionista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, não há uma alteração específica na dieta de diabéticos dos tipos 1 e 2.

Leia também: Será que é diabetes? Confira 8 sinais sutis de que você pode estar com a doença

Ela ressalta, porém, que cuidar da alimentação com a ajuda de um profissional é importante para ambos. ’’É fundamental que os diabéticos busquem ajuda especializada e tenham um cardápio personalizado para as necessidades nutricionais, explica a profissional.

Como controlar a diabetes: alimentação como aliada

Embora os medicamentos sejam necessários para o tratamento, uma boa educação alimentar e a prática de atividades físicas são cruciais para a prevenção do diabetes. “A exposição a fatores de riscos como o consumo excessivo de doces e carboidratos aumentam a probabilidade do aparecimento da doença”, diz a nutricionista.

Segundo a especialista, fastfood, refrigerantes e alimentos industrializados são exemplos de alimentos que têm aumentado a incidência do diabetes, assim como o sobrepeso e a obesidade, que também são fatores de risco.

Leia mais:  Entenda o que é espondilite anquilosante, doença que afeta o cantor Zé Felipe

Dicas de planejamento de alimentação

De acordo com a nutricionista, recomenda-se que pessoas portadoras de diabetes dos tipos 1 e 2 sigam uma dieta saudável, cuidando tanto da qualidade quanto da quantidade de alimentos consumidos. Ela dá algumas dicas de alimentação para controlar o diabetes:

  1. Distribua os alimentos entre cinco e seis refeições por dia e não pule o café da manhã, pois o período de jejum durante o sono pode causar hipoglicemia;
  2. Frutas podem ser consumidas com casca ou bagaço e associadas com fibras como lichia, aveia e linhaça, que contribuem para reduzir o nível glicêmico;
  3. Evite frituras e diminua o consumo de gorduras animais como carnes gordas, queijos, leites, manteigas e derivados;
  4. Beba bastante água ao longo do dia;
  5. É importante sempre seguir as orientações médicas e de nutricionistas ao longo da vida.

A nutricionista também dá dicas de alimentos ricos em fibras e proteínas que podem ser utilizados para melhorar o quadro de diabetes . “Em geral, inhame, aipim, leguminosas, verduras, frutas com casca, ovos e iogurtes naturais ajudam a impedir a oscilação de taxas de glicose no sangue, algo que faz muito mal ao paciente diabético”, completa.

Leia também: Por desinformação, metade das pessoas com diabetes não sabe que tem a doença

Mas é sempre bom lembrar: nada substitui os medicamentos receitados pelo seu médico!

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana