conecte-se conosco

Cidades

Coronavírus: equipe que fiscaliza suspensão do comércio é reforçada

Publicado

.
Fiscais de diversos setores da Prefeitura foram convocados para a tarefa
Foto: Divulgação/PMCI

A Prefeitura de Cachoeiro reforçou a equipe de fiscalização responsável por verificar o cumprimento da ordem de suspensão temporária do funcionamento do comércio, de serviços e de templos religiosos, medida adotada no município para contenção do novo coronavírus.

Em decreto publicado nesta quarta-feira (25), a administração municipal autoriza, em caráter excepcional, que auditores fiscais de defesa do consumidor (Procon), de meio ambiente, de obras, de transportes e de vigilância sanitária atuem nesse trabalho, que já vem sendo desempenhado pelos fiscais de posturas.  

Os servidores estão autorizados a lavrar notificações e autuações. O estabelecimento que descumpre a ordem de suspensão de funcionamento é notificado para encerrar, de imediato, as suas atividades.

Caso não seja feito o fechamento imediato, será aplicada a penalidade de cassação da licença de localização e funcionamento. Os fiscais também poderão requisitar força policial para cumprimento da determinação.

“A equipe de fiscalização vai atuar, principalmente, atendendo as denúncias feitas por meio dos canais oficiais disponibilizados para isso. Por isso, é fundamental que os moradores colaborem denunciando os estabelecimentos que continuam pondo em risco a saúde da população”, explica o secretário de Desenvolvimento Urbano de Cachoeiro, Jonei Petri, que coordena o trabalho da equipe de fiscalização.

Canais para denúncia

Para denunciar os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que não cumprem a determinação de paralisar, temporariamente, suas atividades, os moradores devem ligar para o número 190 (Ciodes) ou acionar a Ouvidoria Geral do Município pelo telefone (28) 98814-3357 (ligações e WhatsApp) e pelo portal www.cachoeiro.es.gov.br (clique, sequencialmente, em: “Ouvidoria”, “Ouvidoria Geral” e “Denúncia”).

De sábado (21) até esta terça-feira (25), a Ouvidoria recebeu cerca de 100 denúncias e 277 pedidos de informações sobre funcionamento do comércio.

Apoio da Guarda Municipal

Além dos auditores fiscais, o trabalho de fiscalização do comércio conta com o apoio da Guarda Civil Municipal, que, de sábado (21) até esta terça-feira (25), atendeu 242 ocorrências para orientar donos de estabelecimentos abertos a cumprirem a determinação de suspensão das atividades.  

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Higienização correta das residências contribui para combater coronavírus

Publicado

.
Mistura de água sanitária e água comum ajuda a eliminar gotículas do vírus em superfícies
Foto: Ilustrativa

A higienização correta das residências contribui para combater o novo coronavírus (Covid-19). Isso porque a aplicação de produtos higienizadores elimina gotículas do vírus que podem se acumular na superfície de materiais.

Para ambientes e objetos, a mistura de água sanitária e água comum é muito eficaz. “O desinfetante contém em sua formulação o hipoclorito de sódio, que, por sua vez, gera cloro ativo, que ataca e inativa o coronavírus”, explica Fábio Gava, gerente de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Cachoeiro.

Entretanto, as pessoas devem ficar atentas ao uso correto de produtos de limpeza. “Não adianta usar a água sanitária pura, tem que ser diluída em água para haver o efeito esperado e, inclusive, evitar o efeito contrário”, ressalta Gava.

A concentração mais comum da água sanitária usada no combate ao novo coronavírus para higienizar objetos é uma solução com 10 ml do produto para 1 litro de água. Neste caso, pode ser aplicado com borrifadores ou pano limpo.

Essa solução pode ser usada para higienizar embalagens e superfícies de chaves, maçanetas, corrimãos, torneiras e interruptores. Pode ser aplicado, também, em móveis, como camas, aparadores, cabeceiras, cadeiras e escrivaninhas, e nos banheiros, em pias, vasos sanitários, aparadores, torneiras e azulejos.

Já para a limpeza e higienização de pisos, calçadas e objetos que têm contato direto com o solo, como base de bengalas e de andadores, pneus e sola de calçados, a solução deve conter 50 ml de água sanitária para 1 litro de água. Para preparar maiores quantidades, multiplique na mesma proporção.

Outra orientação é o uso de luvas não descartáveis durante a aplicação, por se tratar de um produto que pode causar irritações quando em contato com a pele.

Água, sabão e álcool

No caso de vestimentas e roupas de cama, devem ser utilizados água e sabão, dentro dos padrões indicados no produto. O mesmo vale para a higiene pessoal – nesse caso, o uso de álcool em gel 70% é uma alternativa para quando não houver possibilidade de uso de água e sabão.

Aplicação em áreas públicas

O hipoclorito de sódio também está sendo aplicado pela Prefeitura de Cachoeiro para higienização de vários locais públicos. As áreas higienizadas incluem unidades básicas de saúde (UBS), Centro de Saúde Paulo Pereira Gomes (PPG), Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Marbrasa, Central de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa Sul), além de hospitais e diversos abrigos de ônibus.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana