conecte-se conosco


Nacional

Coronavírus no RJ: 16 mil mortes e 223,6 mil casos confirmados no RJ

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informa que registra, até esta segunda-feira (31/08), 16.065 óbitos e 223.631 casos confirmados por coronavírus (Covid-19) no estado. Há ainda 463 óbitos em investigação e 347 foram descartados. Entre os casos confirmados, 202.227 pacientes se recuperaram da doença.

As 16.065 vítimas de Covid-19 no estado foram registradas nos seguintes municípios:

Rio de Janeiro – 9.663

Niterói – 365

Campos dos Goytacazes – 301

Macaé – 134

Rio das Ostras – 71

Itaperuna – 37

Bom Jesus do Itabapoana- 20

Porciúncula – 12

Santo Antônio de Pádua – 11

Italva – 6

Miracema – 3

Natividade – 3

Cardoso Moreira – 1

Os casos confirmados estão distribuídos da seguinte maneira:

Rio de Janeiro – 90.466

Niterói – 11.130

Campos dos Goytacazes – 4.488

Itaperuna – 2.500

Rio das Ostras – 1.693

Santo Antônio de Pádua – 997

Bom Jesus do Itabapoana – 700

Porciúncula – 551

Natividade – 466

Varre-Sai – 402

Miracema – 382

Italva – 328

Cardoso Moreira – 313

Laje do Muriaé – 224

São José de Ubá – 134

Para mais informações, acesse o painel de monitoramento de casos no Estado do Rio de Janeiro em painel.saude.rj.gov.br.

Fonte: Núcleo de Imprensa Governo do Rio de Janeiro

Comentários Facebook

Nacional

Morte de Marcelo Arruda: policial penal usará tornozeleira eletrônica

Publicados

em

José da Rocha Guaranho, atirador bolsonarista
Reprodução – 11/07/2022

José da Rocha Guaranho, atirador bolsonarista

O policial penal federal Jorge José da Rocha Guaranho , de 38 anos, vai ficar em prisão domiciliar e será monitorado por tornozeleira eletrônica. A decisão do juiz Gustavo Germano Francisco Arguello foi publicada na noite desta quarta-feira e atende ao pedido da defesa do acusado. Guaranho é réu por homicídio qualificado pela morte do dirigente petista Marcelo Arruda, em 10 de julho.

Guaranho havia deixado o Hospital Ministro Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu, no final da tarde desta quarta-feira, após receber alta.

Na última quinta-feira, Guaranho chegou a ter um primeiro pedido rejeitado pelo Judiciário. Na ocasião, seus advogados pediram pela revogação de sua prisão preventiva ou a conversão dela em domiciliar, mas o magistrado alegou que a conversão para a domiciliar seria possível caso o agente penal estivesse ‘extremamente debilitado por motivo de doença grave’.

O magistrado, no entanto, mudou seu posicionamento após receber ofício da direção do Complexo Médico Penal (CMP). O documento afirmava que o “CMP não reúne no atual momento as condições estruturais, técnicas e de pessoal, necessárias para prestar o atendimento necessário para manutenção da vida dele, sem expô-lo a grave risco”.

Arguello sustentou, em sua decisão, que o cenário exposto pelo CMP impediu a manutenção da prisão preventiva após a alta hospitalar.

“Assim, considerando a peculiar situação que envolve o requerente e a incapacidade estatal de conferir ao preso a devida assistência médica durante a prisão cautelar, mister se faz a substituição da prisão preventiva pela prisão domiciliar”, escreveu o magistrado.

O agente penal José Guaranho matou a tiros o guarda municipal e petista Marcelo Arruda, que comemorava seu aniversário de 50 anos, na madrugada de 10 de julho. Ex-candidato a vice-prefeito na chapa do PT de 2020 em Foz do Iguaçu (PR), Arruda fazia uma festa com tema do seu próprio partido quando foi alvejado por Guaranho, na sede da Associação Esportiva Saúde Física Itaipu.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana