conecte-se conosco


Nacional

Corpo de vereador assassinado em Duque de Caxias será enterrado nesta quinta

Publicados

em


source
Corpo de vereador assassinado em Duque de Caxias será enterrado nesta quinta
Reprodução

Corpo de vereador assassinado em Duque de Caxias será enterrado nesta quinta

O corpo do  vereador de Duque de Caxias, Sandro do Sindicato, será enterrado na manhã desta quinta-feira (14) na capela do cemitério Nossa Senhora do Pilar, no município da Baixada Fluminense. Um velório acontece desde as 5h, na igreja Adonai, e o sepultamento está marcado para as 10h. Sandro, de 42 anos, foi assassinado a tiros no bairro do Pilar, na quarta-feira (13).

Vereador pelo Solidariedade em primeiro mandato e eleito com mais de 3 mil votos, Sandro estava em uma van quando foi baleado por tiros de fuzil. O veículo estava na Estrada do Pilar, no bairro Pilar, em Duque de Caxias. Ele morreu na hora. Segundo Marcos Silva Faria, irmão do vereador, ele estava indo para a Reduc, o local onde ele ajudava os trabalhadores. O vereador era muito conhecido por sua luta junto ao Sindicato dos Trabalhadores de Caxias. “Ele estava indo para a Reduc, ele sempre se reunia com trabalhadores, essa era uma causa pela qual ele lutava muito”.

Marcos disse ainda que a notícia da morte do irmão pegou a todos de surpresa e afirma que Sandro não tinha desafetos e era muito querido. “Meu irmão era muito querido por todos. Se ele tivesse alguma desavença ou se estivesse sendo ameaçado eu saberia, nós éramos muito amigos. A família não faz ideia do que possa ter acontecido, mas acreditamos na justiça e esperamos que tudo seja esclarecido. Meu irmão vai deixar um legado”.

Caxias tem três assassinatos de vereador em sete meses

Sandro é o terceiro vereador morto no município em um intervalo de sete meses. Em março, o vereador Danilo Francisco da Silva (MDB), conhecido como Danilo do Mercado, e o filho dele, Gabriel da Silva, de 25 anos, foram executados em plena luz do dia na Praça Jardim Primavera. Quem assumiu a cadeira do político foi a filha do traficante Fernandinho Beira-Mar, Fernanda Costa.

Em setembro, o ex-policial Joaquim José Quinze Santos Alexandre, o Quinzé, de 66 anos, foi morto a tiros na estrada São João-Caxias, no limite entre Caxias e São João de Meriti. No lugar dele, assumiu Elson da Batata (PL), que já foi preso por suposta agressão contra sua ex-esposa.

Com a morte de Sandro, já são 26 os políticos assassinados no estado do Rio desde 2018. Só na Baixada Fluminense, desde 2016, foram contabilizadas 29 mortes de pessoas ligadas à política na região. De acordo com a polícia, boa parte dos crimes tem relação com disputas que envolvem milícias. Em 2020 a Polícia Civil criou uma força-tarefa para investigar a suspeita de exclusividade de curral eleitoral em área de atuação de grupos paramilitares. A força-tarefa foi criada após o assassinato dos candidatos a vereador de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Mauro Miranda da Rocha, em setembro, e de Domingos Barbosa Cabral, 20 dias depois.

Comentários Facebook
Propaganda

Nacional

Supermercado do RJ vende cabeça de peixe em bandeja

Publicados

em

 

 

source
Carcaça de peixe à venda em mercado do RJ

Carcaça de peixe à venda em mercado do RJ – Reprodução

Uma parte do peixe que costuma ser descartada chamou atenção de cariocas ao aparecer à venda em bandejas no supermercado. Na cidade de Valença, no sul do Rio de Janeiro, está sendo comercializado avulso, sem o corpo do pescado.

A imagem foi compartilhada pela página “Barra Mansa Forte” nas redes sociais. “É a primeira vez que se vê na bandeja uma parte que nem todos consumiam, sendo descartada”, diz o post.

A comercialização da cabeça de peixe é apenas um entre os recentes episódios onde partes que geralmente não eram comercializadas passaram a ocupar as vitrines dos mercados no Brasil, em razão da crise econômica que levou grande parte da população à fome no país.

No Pará, restos de peixe como vísceras, espinhas e cabeça também estão sendo vendidos. O quilo custa R$ 3,90.

Em Santa Catarina, após a repercussão de uma placa cobrando R$ 4 por kg de osso em um mercado, o Procon-SC emitiu uma nota técnica recomendando que os estabelecimentos evitassem a cobrança de ossos destinadas ao consumo humano.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana