conecte-se conosco


Estado

Covid-19: Mais de 93 mil pessoas já se infectaram no ES; veja situação nesta segunda (10)

Publicados

em

O Espírito Santo registrou, até as 17h00 desta segunda-feira (10), 2.764 mortes por Covid-19. O número total de casos confirmados chegou a 93.069, sendo que destes, 78.744 pacientes já estão curados. Os dados são divulgados na plataforma Painel Covid-19, do Governo do Estado.

Em relação aos números divulgados no domingo (09), o aumento é de 1.278 novos casos, 29 mortes a mais e 1.268 curados.

Municípios com mais casos

Os 15 municípios com mais casos confirmados são: Vila Velha (13.503), Vitória (12.250), Serra (12.117), Cariacica (9.528), Linhares (4.945), Colatina (4.365), Cachoeiro de Itapemirim (3.962), Aracruz (2.600), Guarapari (2.257), São Mateus (1.680), Viana (1.491), São Gabriel da Palha (1.125), Marataízes (1.042), Castelo (935) e Itapemirim (813). (Clique aqui e veja lista completa)

Leia também:

Publicada Portaria Conjunta entre Secretarias de Educação e da Saúde com diretrizes sobre retorno às aulas presenciais no ES

Mais um período do Inquérito Sorológico da Covid-19 começará nesta segunda-feira (10)

Coramara e Gilson Carone recebem barreiras sanitárias nesta semana, em Cachoeiro

Frentes parlamentares da Ales focam atividades na pandemia

Mortes nos municípios

Dos óbitos, 1.560 são homens e 1.204 mulheres. Eles estão distribuídos da seguinte maneira nos municípios capixabas: Serra (445), Vila Velha (432), Vitória (380), Cariacica (356), Cachoeiro de Itapemirim (118), Colatina (87), Guarapari (87), Linhares (80), Aracruz (58), Viana (58), São Mateus (46), Marataízes (44), Itapemirim (39), Castelo (25), Nova Venécia (24), Iúna (20), Anchieta (18), Marechal Floriano (17), Presidente Kennedy (17), Barra de São Francisco (16), Fundão (16),Pinheiros (15), São Gabriel da Palha (15), Afonso Cláudio (14), Alegre (14), Baixo Guandu (14), Boa Esperança (12), Guaçuí (12), Piúma (11), Rio Novo do Sul (11), Conceição da Barra (10), Ibatiba (10), Pedro Canário (10), Vargem Alta (10), Vila Valério (10), Ibiraçu (9), Muqui (9), Sooretama (9), Venda Nova do Imigrante (9), Domingos Martins (8), Ecoporanga (8), Santa Maria de Jetibá (8), Santa Teresa (8), São Domingos do Norte (8), Alto Rio Novo (7), Jerônimo Monteiro (7), Rio Bananal (7), Santa Leopoldina (7), Água Doce do Norte (6), Jaguaré (6), João Neiva (6), Montanha (6), Pancas (6),  São Roque do Canaã (6), Alfredo Chaves (5), Bom Jesus do Norte (5), Mantenópolis (5), Atílio Vivácqua (4), Ibitirama (4), Irupi (4), Mimoso do Sul (4), Muniz Freire (4), Águia Branca (3), Conceição do Castelo (3), Marilândia (3), São José do Calçado (3), Apiacá (2), Laranja da Terra (2), Dores do Rio Preto (1), Itaguaçu (1), Itarana (1),Mucurici (1), Ponto Belo (1), Vila Pavão (1), Mantena (2)*, Mucuri (2)*, Nanuque (2)*, Eunápolis (1)*, Governador Valadares (1)*, Itamaraju (1)*, Marechal Cândido Rondon (1)*, Matipó (1)*, Nova Viçosa (1)*, Pompeia (1)*, Resplendor (1)*, São Miguel dos Campos (1)*

* Nanuque, Resplendor, Matipó e Governador Valadares ficam no estado de Minas Gerais, Pompeia no estado de São Paulo, São Miguel dos Campos no estado de Alagoas, Itamaraju, Mucuri, Eunápolis e Nova Viçosa no estado da Bahia e Marechal Cândido Rondon no estado do Paraná. Isso acontece, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), porque os casos foram notificados no Espírito Santo.

Leia também:

Quando a pandemia da Covid-19 vai terminar?

“Curva está achatada, mas ainda não está diminuindo”, diz OMS sobre o Brasil

Por que é arriscado flexibilizar a rotina só com base em testes de covid-19

Esposa de Eduardo Bolsonaro conta que teve Covid-19 e ficou internada

Projeto prevê Brasil em cúpula de aliança mundial de vacina da Covid-19

No aniversário de 60 anos, Antônio Banderas revela estar com Covid-19

Bolsonaro seria oportunista se mudasse discurso sobre mortes, dizem aliados

Além de ozônio no ânus, outras falsas promessas de tratamento da Covid-19

“Eu dizia: meu pai não pode morrer de Covid e virar um número. Ele morreu”

Clique aqui e acompanhe em tempo real os números do Coronavírus no Brasil com mapa interativo atualizado pelo Ministério da Saúde.

Clique aqui e acompanhe os números da doença no Espírito Santo com dados atualizados pela Secretaria de Saúde (Sesa) no Painel Covid-19.

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Competências do mercado financeiro vão alavancar agronegócio no Estado

Publicados

em

Por

A experiência do mercado financeiro de grandes empresas será utilizada para alavancar o agronegócio no Estado. Tendo essa máxima como base, o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef-ES) lançou nesta sexta-feira (24) seu mais novo programa: o Ibef Agro. Reunindo mais de 100 participantes, entre autoridades, investidores e agricultores, o encontro aconteceu no auditório do Sicoob Leste Capixaba, em Linhares.

O presidente do Ibef-ES, Paulo Wanick, abriu a cerimônia explicando um pouco do trabalho da instituição. “O instituto trabalha com três grandes eixos: produção de conteúdo qualificado, desenvolvimento profissional e relacionamento com o mercado e reconhecimento. Neste sentido, os programas estruturados: Ibef Academy, CFO Connection, University, Social e agora o Agro são formatados para tangibilizar essas entregas. Além disso, temos os Comitês Qualificados de Conteúdo (CQCs), espécie de linha de produção operacional do IBEF na construção desses conteúdos qualificados. Esses programas qsão a nossa base para o desenvolvimento técnico-profissional sustentável, cada um em suas áreas de atuação”.

O diretor do Ibef Agro ES, Flávio Gianordoli, explicou que a instituição vai levar toda a expertise do mercado financeiro para o agronegócio. “O Estado e o País são dependentes do agro e o Ibef com todo o seu know how vai contribuir para desenvolver ainda mais o agronegócio, através de programas exclusivos, fazendo conexões, atuando de perto para que o setor cresça ainda mais”.

O diretor do Ibef Agro Campinas e diretor da Deloitte, Adilson Martins, apresentou a experiência do programa em São Paulo. “Cresci no agro e ter uma oportunidade dessa é um orgulho. O Ibef Agro Campinas foi criado para contribuir com o desenvolvimento empresarial do agro, promovendo qualificação profissional. Em Campinas temos o programa de coach, buscamos aproximação com meio acadêmico, fazemos parcerias estratégicas com hubs de inovação e vamos realizar eventos”.

Painel

O painel “Tecnologias digitais, agtechs e a nova onda de inovação e investimentos no campo brasileiro” contou com a participação de Mariana Caetano, head de Agronegócio da KPTL e Octaciano Neto, head de Agronegócio da EloGroup, com mediação de Vitor Alves, da NA Agropecuária.

Mariana apresentou alguns pontos importantes para o segmento. “Nós ainda estamos caminhando para melhorar nossa forma de comunicar o que somos e fazemos. Precisamos demonstrar que o agro brasileiro é imbatível. Além disso, hoje, quem manda é o consumidor, o que ele pede a gente tem de entender e se adaptar”.

Já Octaciano frisou que no agro quem deu certo foram aqueles que usaram a mecanização, a química e a biologia. “O futuro do agro agora, depende da combinação do velho paradigma, que une biologia, química e mecanização, com digitalização, agenda ESG e mercado de capitais”.

A coordenadora do Ibef Agro, Julia Bastos, destacou que o programa vai levar o conhecimento das indústrias para as lideranças do agro capixaba. “Vamos promover um circuito de imersão em finanças no agro. Serão seis módulos a serem completados em 24hs, tendo aulas de 2hs no máximo e com 20 pessoas em cada turma. O workshop será de curta duração e será 100% online. Vamos tratar sobre mercado de capitais, digitalização e agtechs e ESG voltados para o agro”.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana