conecte-se conosco


Política

Davi Alcolumbre assume a CCJ do Senado

Publicados

em

 

O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito por aclamação nesta quarta-feira (24) para comandar a principal comissão da Casa, a de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). A vice-presidência ficará a cargo do tucano Antônio Anastasia (MG). 

Depois de ter ficado 2020 praticamente parado por conta da pandemia da covid-19, o colegiado retoma oficialmente hoje as atividades de maneira semipresencial, e assim como as outras comissões permanentes, também com possibilidade de participação remota de seus membros.

Ao ser declarado eleito para o biênio 2021/2023 pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), que ocupava a presidência, Alcolumbre fez um discurso de conciliação e pregou união no Parlamento para enfrentar os desafios do país, e prometeu tratamento isonômico aos senadores à frente da CCJ.

“Quero assumir esta missão e este compromisso com todos os membros desta comissão, sejam eles titulares ou suplentes. Nós, tanto eu quanto o senador Antônio Anastasia, vice-presidente, daremos o mesmo tratamento [aos senadores], porque é fundamental compreender que a participação dos senadores nesta comissão, na sua titularidade ou na suplência, é uma indicação partidária e, sem dúvida nenhuma, pela importância desta comissão, a gente precisa compreender esse espírito que vocês empreenderam aqui”, disse, garantindo que todos relatarão matérias no colegiado.

Tradicionalmente comandada pelo MDB, por ser a maior bancada na Casa, Alcolumbre conseguiu fechar um acordo com a maior parte dos emedebistas, com o apoio do presidente Rodrigo Pacheco (DEM-MG),
frustrando caciques da sigla que fazem oposição a ele. Em troca do apoio, a legenda ficou com outras duas comissões, a de Educação, Cultura e Esporte, que já comandava, e que agora será presidida pelo senador Marcelo Castro (MDB-PI), tendo como vice-presidente a senadora Leila Barros (PSB-DF); e a Comissão de Serviços de Infraestrutura, que até então era do DEM. Nesse caso, o senador Dário Berger (MDB- SC) deve ser confirmado no comando do colegiado nesta tarde.

Comissões

Das 13 comissões permanentes do Senado, dez já tinham sido instaladas entre ontem e hoje no início da tarde.

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) escolheu a senadora Kátia Abreu (PP-TO) como presidente, mas a escolha do vice-presidente foi adiada.

O novo presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) é o senador Otto Alencar (PSD-BA). O vice é o senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO). A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) será comandada pelo senador Humberto Costa (PT-PE), tendo como vice o senador Fabiano Contarato (Rede-ES).

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) elegeu o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) como presidente e a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) como vice-presidente.

A Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle (CTFC) escolheu o senador Reguffe (Podemos-DF) como presidente. Para a vice-presidência, foi escolhido o senador Marcos do Val (Podemos-ES).

Os senadores Fernando Collor (Pros-AL) e Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foram eleitos, respectivamente, presidente e vice da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR). Por aclamação, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) foi eleito presidente da Comissão de Agricultura e o senador Jaques Wagner (PT-BA) foi eleito presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA).

Comentários Facebook
Propaganda

Política

Em ligação, Bolsonaro pede a senador Kajuru que CPI da Covid mire governadores

Publicados

em

 

 

source
Em ligação, Bolsonaro pede a senador Kajuru que CPI da Covid mire governadores

Em ligação, Bolsonaro pede a senador Kajuru que CPI da Covid mire governadores – Reprodução

Em conversa divulgada neste domingo pelo senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), o presidente Jair Bolsonaro defende que a CPI da Pandemia no Senado investigue também governadores e prefeitos.

O objetivo da comissão, que teve a instalação determinada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), é investigar as eventuais omissões do governo federal no combate ao coronavírus. Um requerimento que pede a extensão da apuração para gestores estaduais e municipais já foi apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

“Se não mudar objetivo da CPI, vai vir só pra cima de mim”, disse Bolsonaro, acrescentando em outro trecho. “O que tem que fazer para a CPI ser útil para o Brasil: mudar amplitude dela, bota governadores e prefeitos”.

A conversa telefônica foi divulgada nas redes sociais e, segundo o senador, ocorreu na noite de sábado.

Kajuru é um dos autores da ação que levou à decisão do STF, na última quinta-feira. Ao anunciar a divulgação do diálogo, Kajuru afirmou que teve com o presidente da República uma conversa “clara e honesta” e que não aceita CPI da Covid política e revanchista. Disse que tanto ele como o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) querem investigar os demais entes da federação.

“É uma CPI completamente direcionada à minha pessoa”, disse Bolsonaro a Kajuru.

“Não, presidente. A gente pode convocar os governadores. Não abro mão de ouvir os governadores em hipótese alguma. Só não quero que o senhor me coloque no mesmo joio”, afirmou Kajuru.

Bolsonaro voltou a defender que, para convocar governadores e prefeitos, é preciso mudar o objetivo da CPI, tornando-a mais ampla. Caso contrário, a comissão parlamentar de inquérito será criada para ouvir apenas o governo federal.

“Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai para cima de mim. Tem que fazer do limão uma limonada. Por enquanto é o limão. Você tem que peticionar o Supremo para colocar em pauta o impeachment (inaudível)”, ressaltou o presidente.

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana