conecte-se conosco

Polícia

Delegado da PC de Piúma e dois soldados da PM são detidos com drogas em Vila Velha

Publicado

 

.

Um delegado e dois soldados foram encaminhados à delegacia para prestar esclarecimentos sobre uma droga encontrada com eles. Um morador ligou para a polícia, alegando que uma casa estava sendo invadida no bairro Morada do Sol, em Vila Velha. Quando a PM chegou ao local, encontrou os soldados e o delegado, que já teve processo arquivado na corregedoria da Polícia Civil.

O delegado David Santana Gomes chegou ao DPJ de Vila Velha por volta das 20 horas desta quarta-feira (27). Entrou na delegacia, retornou para o pátio e foi até um carro, de onde tirou, do porta malas, um saco preto com algo dentro. Ele entregou o material para um policial civil e entrou novamente no DPJ. Ele ainda segurava uma arma. Minutos antes, um comboio de viaturas das Polícias Militar e Civil chegou na delegacia.

O portão do local foi fechado, impedindo a presença da imprensa no pátio. Uma situação bem diferente, já que equipes sempre gravam na área externa da delegacia. No entanto, mesmo da calçada, a equipe da TV Vitória / Record TV conseguiu registrar a movimentação. A polícia fez uma varredura no carro branco que seria do delegado David Gomes, onde encontraram uma mala e, dentro dela, uma pistola. Um colete a prova de balas e munição também foram localizados.

No interior do veículo, os policiais acharam mais uma arma. Informações são de que a polícia foi acionada por um morador do bairro Morada do Sol, de que uma casa estava sendo arrombada. Quando a Polícia Militar chegou ao local, encontrou o delegado e dois soldados que estariam afastados do serviço por dispensa médica.

O trio alegou que estava atrás de um traficante. Por meio de nota a Secretária de Segurança Pública confirmou que o delegado e os militares foram encontrados nessa residência e que com eles estava uma sacola com drogas. Depois de mais de uma hora, o delegado saiu da delegacia.

Por volta das 21h30, o delegado, acompanhado de uma mulher, em um carro descaracterizado da polícia. O portão foi aberto. Sentado no banco do carona, eles saíram com com os vidros do veículo fechados.

O delegado David Gomes, segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) atua na delegacia de Piúma, no Sul do Espírito Santo. Ele já teve um processo arquivado na corregedoria da Polícia Civil.

Em dezembro de 2014, o policial foi acusado de dar a chamada “carteirada”,  durante uma festa em Guarapari. Ele teria algemado dois seguranças da casa noturna nessa mesma situação. Já em novembro de 2015, David ignorou uma abordagem da Polícia Miliar e entrou em uma casa em Jardim Camburi, que havia sido denunciada por moradores da região ao disque-silêncio. Além disso, o delegado teve o carro guinchado, pois o veículo estaria com o licenciamento atrasado.

A reportagem procurou a Polícia Militar e a Polícia Civil para saber se a corregedoria vai apurar o caso. A PM disse que irá se pronunciar sobre o caso somente após a ocorrência ser concluída. A PC informou apenas que a ocorrência está em andamento e que a corregedoria está monitorando o caso.

Esclarecimento

Por meio de nota, o delegado David esclareceu que realizava uma ação rotineira decorrente de investigação. Segundo ele, um traficante estava sendo monitorada há cerca de um mês e ia prendê-lo em flagrante. Disse ainda que a investigação pertence à delegacia de Piúma, onde é titular, por isso não precisava informar a DP de Vila Velha. “Após diligências em torno do desdobramento de procedimentos que ocorre na minha unidade, estou apurando que a casa em questão era usada como depósito de drogas. Respaldado pelo estado flagrancial, solicitei apoio dos colegas civis que, em razão de estarem ocupados não puderam me atender. Para não perder a apreensão solicitei apoio dos militares (como é de costume) que residem em Vila Velha, que prontamente me atenderam”, comenta.

Ele diz ainda que, após entrada na casa, foi confirmada a existência de drogas e quando procurava por outros ilícitos, foi surpreendido pela chegada da viatura, acionada por vizinhos que desconheciam a operação.

“Com a chegada dos policiais, foi imediatamente identificado que ali ocorria uma operação rotineira da minha unidade, diga-se de passagem, aonde chegou um nacional que se identificou como capitão da PM dizendo que a casa era de propriedade do seu irmão. Questionado para quem teria alugado a casa, ele não soube responder. Momento em que foi criado um mal-entendido. Sendo as drogas conduzidas por mim ao Departamento de Polícia Judiciária de Vila Velha. O conflito foi encaminhado à corregedoria, onde tudo foi esclarecido minuciosamente.”.

Ele finaliza dizendo que, “é de lamentar que uma ocorrência que deveria resultar em elogios e vibrações por parte da sociedade se transforme nisso”.

Sesp

Também por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) relatou que após saber do ocorrido determinou que as Corregedorias da Polícia Civil e da Polícia Militar ficassem responsáveis pela apuração dos fatos. “O delegado e os dois policiais militares prestaram esclarecimentos e foram liberados. As corregedorias irão prosseguir com as apurações para esclarecimentos. Uma perícia foi realizada no veículo encontrado com o delegado e os policais. Todas as provas estão sendo coletadas e os inquéritos policiais em andamento. Transparência, ética e compromisso com a sociedade sempre irão nortear as ações da Sesp”.

Fonte: Folha Vitória

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Polícia Civil identifica responsáveis por crianças que aparecem maltratando gatos em vídeo

Publicado

 

.

A Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente (DEPMA) identificou os familiares das crianças que aparecem maltratando dois filhotes de gato em um vídeo caseiro, que começou a circular nas redes sociais no último fim de semana. As imagens chegaram ao conhecimento da Delegacia nessa segunda-feira (29). Um Inquérito Policial foi instaurado para investigar as circunstâncias em que o vídeo foi gravado.

“Constatamos que quem aparece nas imagens são crianças com menos de doze anos. Sendo assim, identificamos os pais ou responsáveis por estes menores, bem como outros adultos que poderiam ter testemunhado os fatos. Todos foram intimados e devem comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos”, explicou o titular da DEPMA, delegado Eduardo Passamani.

O vídeo foi gravado no município de Serra. Os animais maltratados já foram resgatados por representantes da CPI dos Maus Tratos da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), junto com uma organização protetora, e levados para tratamento e abrigo.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana