conecte-se conosco


Estado

Delegado de Polícia: aquele que zela pela legalidade e pela justiça

Publicados

em


O dia a dia de um delegado de Polícia não pode ser considerado, necessariamente, uma rotina. Os homens e mulheres que ocupam esta função, na Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), são os responsáveis por gerenciar equipes, apurar e investigar fatos, identificar autores, coletar provas, realizar operações policiais e elucidar crimes, dedicando-se à profissão com afinco e desejo de justiça.

Para homenagear esses profissionais – não só no Espírito Santo, como em todo o Brasil – o dia três de dezembro foi instituído como o Dia do Delegado de Polícia. No Espírito Santo, 248 servidores públicos carregam o distintivo vermelho que identifica a categoria. São 197 homens e 44 mulheres desempenhando esta importante função.

Entre eles, está Alan de Andrade, o delegado mais jovem do Estado e um dos mais novos do Brasil. Aos 30 anos, completados em novembro, ele atua como adjunto na Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha.

“Atuar como Delegado de Polícia Civil é uma honra, mas também uma grande responsabilidade. Cabe ao Delegado de Polícia, na maioria das ocorrências policiais, ser o primeiro a se debruçar sobre os fatos e analisá-los e, em muitas vezes, ainda no calor do evento. Deve o profissional aplicar o regramento legal vigente, mas nunca esquecer o social, tanto no que tange às vítimas, testemunhas e familiares quanto àqueles que são apresentados como possíveis transgressores do sistema normativo”, afirmou o delegado.

Alan de Andrade integra os quadros da PCES há seis anos e começou a construir a carreira ainda na adolescência. Aos 16 anos ingressou na faculdade de direito. Aos 23, prestou concurso público por influência de um amigo da faculdade, foi aprovado e iniciou sua trajetória como delegado titular da Delegacia de João Neiva.

Também foi delegado plantonista da 4ª Delegacia Regional de Cariacica, adjunto na Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cariacica e delegado plantonista da 5ª Delegacia Regional de Guarapari, de onde saiu em janeiro de 2019, para integrar a equipe da DHPP de Vila Velha.

“Desejo poder ajudar as pessoas, principalmente aquelas que foram vítimas de crimes ou então os seus familiares, para que elas sintam que não estão desamparadas pelo Estado e que sempre haverá alguém que zelará por elas e por seus direitos”, destacou.

Alan de Andrade ingressou na Polícia Civil com a mesma idade que Ailton Miguel Schaeffer, o delegado de mais longa carreira, ainda em atividade no Espírito Santo. Aos 64 anos, Schaeffer serve à sociedade capixaba há 40 anos como policial civil, sendo cerca de 35 como delegado.

A longa trajetória lhe conferiu a experiência necessária, para atualmente, ocupar a função de chefe do Departamento de Processos Administrativos, setor da Corregedoria da PCES que analisa a conduta dos policiais. Tanto tempo como delegado não apagou, para Schaeffer, o brilho da profissão. Ele conta que ao longo dos anos aprendeu a conviver com todo tipo de pessoas, a conhecê-las e, principalmente, a respeitá-las, agindo até mesmo como conciliador em muitas ocasiões.

“No passado, tudo que acontecia numa cidade ia para a Delegacia para resolver, porque não tinha juizado de pequenas causas, e na justiça demorava muito, então, as pessoas tinham certa resistência em procurar o juizado, e procuravam a solução mais fácil, que era a Polícia Civil. Ali, conversavam com o delegado, pediam solução… até divisa de terreno sem documentação ia parar na delegacia”, relatou Schaeffer.  

O delegado se prepara para a aposentadoria, no primeiro semestre de 2021, mas até lá, segue cumprindo sua função com empenho. Para que os mais jovens alcancem a mesma satisfação que ele obteve ao se dedicar como servidor da área de Segurança Pública, deixa um conselho.

“Primeiro, muita paciência para lidar com o público. Hoje em dia, as pessoas são muito carentes, mais do que quando eu comecei. A população tem uma carência que vai além da segurança pública, às vezes são problemas sobre os quais eles querem desabafar. Às vezes procuram uma delegacia para conversar e o papel do Servidor Público é servir a população da melhor maneira, sempre.”

Texto: Camila Ferreira

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected]

 

Atendimento à Imprensa:
Olga Samara/ Camila Ferreira
(27) 3636-1536/ (27) 99846-1111/ (27) 3636-9928 / (27) 99297-8693
[email protected]

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Estado inicia distribuição de doses para vacinação contra a Covid-19 nesta terça-feira (19)

Publicados

em


O Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), deu início nesta terça-feira (19) à distribuição das doses da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19). O Estado recebeu um total de 101.320 doses, oriundas pelo Ministério da Saúde. A Sesa encaminhou às doses da CoronaVac, do Instituto Butantan, às Regionais de Saúde para imunização da população-alvo desta primeira etapa.

As doses da vacina foram distribuídas nos seguintes quantitativos:  2.651 para Região Norte (São Mateus), 4.796 para Região Sul (Cacheiro de Itapemirim), 7.029 para Região Central (Colatina) e 17.260 para Região Metropolitana (Vitória). 

As Regionais Sul e Central receberam as doses no final da manhã desta terça (19). Para a Central, os municípios seguirão um cronograma para a retirada com previsão de que todas as cidades recebam as doses até o final de quarta-feira (20). Já na Região Sul, todos os municípios já realizaram a retirada na Regional, em Cachoeiro de Itapemirim. 

Ainda nesta manhã foram distribuídas as doses de Vitória, Cariacica e Serra. O município de Vila Velha fez um pedido especial e foi até a sede da Vigilância em Saúde, na Capital, para retirar suas doses. Os demais municípios que compõem a Região Metropolitana deverão retirar as doses diretamente na Rede de Frio, da Sesa.

Neste link, a tabela de distribuição das doses encaminhadas às Regionais de Saúde e o quantitativo de cada município

População-alvo da vacinação contra a Covid-19

A vacinação no Espírito Santo teve início nessa segunda-feira (18), em solenidade com a presença do governador Renato Casagrande e do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes. O Estado segue o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, com os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, que compreende às pessoas maiores de 60 anos residentes em instituições de longa permanência, pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em Residências Inclusivas, indígenas aldeados e trabalhadores da saúde. 

Em relação aos trabalhadores da saúde, todos os 78 municípios capixabas receberão o equivalente a 24% do número de profissionais que historicamente tomaram a vacina da gripe. Além disso, para a imunização deste público, foi pactuado e definido pelos municípios os trabalhadores da saúde a serem imunizados, os vacinadores de cada cidade, bem como aqueles que atuam na linha de frente no combate à Covid-19, como profissionais de UTIs e salas vermelhas dos Pronto Atendimentos, por exemplo.

A imunização ocorrerá em duas doses, com intervalo de quatro semanas. Para a aplicação da segunda dose, o Estado realizará uma nova distribuição às Regionais, o que deve ocorrer na segunda semana do mês de fevereiro. Além disso, de acordo com o Ministério da Saúde, o registro das doses aplicadas em todo o País – que será nominal/individualizado, por meio de CPF ou CNS [Cartão Nacional de Saúde]– deverão ser feitos no sistema de informação que será disponibilizado em breve no portal https://opendatasus.saude.gov.br/.

Está prevista para esta primeira fase, a imunização do público idoso acima dos 75 anos não institucionalizados, em conformidade com os cenários de disponibilidade da vacina.

“O objetivo é poder imunizar ainda durante a primeira fase toda a população capixaba que pertença ao público-alvo da campanha. Para esta primeira etapa da primeira fase serão atendidos parte dos trabalhadores da saúde, mas com meta de imunização dos mais de 111 mil profissionais do Estado, a depender da disponibilidade dos insumos”, explicou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis da Sesa, Danielle Grillo.

Em relação às próximas etapas de vacinação, a coordenadora ressalta que as informações serão divulgadas pelo Ministério da Saúde.

Investimentos e preparação para a vacina

Desde antes da polêmica em torno do número de seringas disponíveis no País, o Governo do Espírito Santo se organizou e adquiriu seis milhões de unidades, em processo de compra finalizado em outubro de 2020, já visando a vacinação da população capixaba contra a Covid-19. Deste total, 1,5 milhão chegaram ao Espírito Santo no último sábado (16).

Além desse quantitativo, a Sesa já contava com 1,7 milhões de seringas em estoque estadual, cerca de 800 mil unidades nos estoques municipais, e ainda está com um processo de compra tramitando para a aquisição de mais de 10 milhões de seringas. 

Todo o planejamento para que o Espírito Santo tivesse condições de vacinar a população, conforme os critérios estabelecidos pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), assim que as vacinas chegassem ao Estado.

Dentro do Plano Estadual de Imunização, a Sesa informa ainda que pactuou com os municípios estratégias como agendamento e busca ativa nos grupos que serão prioritários para iniciar a vacinação assim que as vacinas estiverem disponibilizadas.

O Governo do Estado também investiu na compra de 80 equipamentos de refrigeração que serão distribuídos aos municípios capixabas. Além disso, realizou adaptação nos caminhões frigoríficos e furgões das Regionais de Saúde com novo isolamento térmico e climatização, que estão prontas e serão utilizados para a logística de distribuição.

Municípios por Regionais de Saúde 

A Regional de Saúde do Sul compreende os municípios de Alegre, Alfredo Chaves, Anchieta, Apiacá, Atílio Vivácqua, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itapemirim, Iúna, Jerônimo Monteiro, Marataízes, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Piúma, Presidente Kennedy, Rio Novo do Sul, São José do Calçado e Vargem Alta.

A Regional Central de Saúde compreende os municípios de Águia Branca, Alto Rio Novo, Aracruz, Baixo Guandu, Colatina, Governador Lindenberg, Ibiraçu, João Neiva, Linhares, Mantenópolis, Marilândia, Pancas, Rio Bananal, São Domingos do Norte, São Gabriel aa Palha, São Roque ao Canaã, Sooretama e Vila Valério.

A Regional Metropolitana de Saúde compreende os municípios de Afonso Cláudio, Brejetuba, Cariacica, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Fundão, Guarapari, Ibatiba, Itaguaçu, Itarana, Laranja da Terra, Marechal Floriano, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Serra, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Velha e Vitória.

Já a Regional Norte de Saúde compreende os municípios de Água Doce do Norte, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Conceição da Barra, Ecoporanga, Jaguaré, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, São Mateus e Vila Pavão.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Danielly Schulthais
[email protected]

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana