conecte-se conosco

Política Estadual

Deputado quer regras para taxa de esgoto

Publicado

O deputado Hudson Leal (Republicanos) apresentou o Projeto de Lei (PL) 828/2019 estabelecendo que a cobrança dos serviços de tratamento de esgoto seja fixada, em diferentes faixas: até no máximo 50% sobre a fatura da água, nas indústrias; até 40% nas faturas comerciais e institucionais; até 30% nas residenciais; e 0%, ou seja, isenção total, nas faturas residenciais beneficiadas com Tarifa Social.

Leal se sentiu motivado a atender as várias reclamações de consumidores do Espírito Santo, que não se conformam com o alto valor cobrado pela taxa de esgoto. “A Cesan tem feito a cobrança e tem deixado a desejar, uma vez que o valor da tarifa é excessivo e nem toda a população é atendida pelo tratamento e canalização de esgoto”, explica.

O projeto começou a tramitar e foi encaminhado para receber parecer das comissões de Justiça, Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Finanças.

Comentários Facebook
publicidade

Política Estadual

Nova lei obriga notificar casos de violência

Publicado


.

Profissionais que atuam em serviços de saúde e instituições de ensino e assistência social ficam obrigados a notificar casos de violência às autoridades sanitárias estaduais casos. A regra passou a valer nesta quarta-feira (8), com a publicação no Diário Oficial do Estado da Lei 11.147/2020, da deputada Janete de Sá (PMN).

“Essa é mais um ferramenta importante de defesa das pessoas, principalmente as mulheres, vítimas de violência em nosso Estado”, afirmou Janete, que é procuradora especial da Mulher da Assembleia Legislativa. Segundo a parlamentar, o objetivo da lei é ampliar a proteção às pessoas vulneráveis à violência, não só mulheres, mas também crianças, adolescentes e idosos. 

“Com a notificação compulsória vamos conseguir identificar as ocorrências e monitorar os casos de violência notificados, identificar fatores de risco e de proteção associados à ocorrência da violência, definir áreas de maior vulnerabilidade, monitorar os encaminhamentos para a rede de atenção e proteção integral, intervir nos casos”, pontuou Janete. 

Segundo ela, a medida vai permitir a construção de um “banco de dados unificado, articulado, sólido e amparado em um olhar multidisciplinar, facilitando, assim, a formulação de políticas públicas que tratem do problema de forma científica, amparados em dados concretos, com maior chance de assertividade nas tomadas de decisões”, afirmou a parlamentar.

A Lei 11.147/2020 é originária de projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa no último dia 15 de junho, em sessão plenária virtual. A norma recebeu vetos parciais do governador Renato Casagrande (PSB). Agora caberá à Ales analisar os vetos com base em parecer a ser emitido pela Comissão de Justiça.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana