conecte-se conosco


Polícia

DHPP prende suspeito de ter executado Dj cachoeirense em Vila Velha

Publicados

em

Vítima Dj Thiago Silva dos Santos, o Thiago Crei

A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha, prendeu um jovem de 21 anos, no bairro Alecrim, em Vila Velha, na tarde dessa segunda-feira (27). Ele é suspeito de ter assassinado a facadas o DJ cachoeirense Thiago Silva dos Santos, de 28 anos, conhecido como “Thiago Crei”, no dia 10 de maio, no bairro Ataíde, em Vila Velha.

A informações sobre as investigações foram divulgadas em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (28), na Chefatura de Polícia Civil, em Vitória.

Coletiva de imprensa

As investigações apontaram que o executor do crime trocou mensagens com o DJ Thiago, marcando um encontro. A vítima foi até o bairro Alecrim, em Vila Velha, onde pegou o suspeito de carro e foram a um local do bairro. Lá, ambos começaram a fazer uso de entorpecentes, havendo um desentendimento pelo uso de um celular no interior do veículo da vítima, que teria desagradado o executor. Em razão desse fato, o suspeito desferiu 12 facadas em Thiago Silva dos Santos. A vítima ainda tentou fugir do executor, saindo do carro, porém foi alcançado e acabou sendo esfaqueado mais vezes.

O titular da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa de Vila Velha, delegado Tarik Souki, disse que, um dia após o crime, a equipe policial foi até o local do fato e realizou diligências, localizando um veículo da vítima que foi encontrado próximo da casa do executor. Trabalhos periciais foram feitos no interior do veículo e foram constatados vários vestígios de sangue do DJ Thiago. Já o celular não foi encontrado.

Além disso, a equipe realizou diligências na casa da vítima. “Entrevistamos testemunhas, familiares e amigos, de modo que os próprios parentes nos autorizaram a analisar o notebook do Thiago (Silva dos Santos). Ao fazermos a análise de diversos documentos, percebemos que uma rede social dele estaria aberta e fizemos o levantamento das conversas que ele mantinha na página com diversas pessoas”, explicou o delegado Tarik Souki.

De acordo com o responsável pela investigação, o executor mantinha contato com a vítima desde 2021, fato que culminou na marcação do encontro. Porém, segundo o delegado, no momento do levantamento de dados pelo computador de Thiago Silva dos Santos, o suspeito não foi identificado, pois tinha excluído a conta dele na rede social.

Em trabalho paralelo, outra equipe da DHPP de Vila Velha estava buscando imagens de videomonitoramento da região. Nas imagens, foi possível observar o executor abandonando o carro da vítima. Além disso, o nome informado pelo executor também foi analisado e, ao fazerem buscas no banco de dados, foi constatado o endereço do suspeito.

Em depoimento, o jovem de 21 anos alegou que a faca utilizada no crime não era dele, tendo encontrado o objeto no banco do carona do carro da vítima, se apossando dela e desferindo vários golpes contra a vítima.

O detido vai responder por homicídio qualificado, sendo encaminhado para a unidade prisional, ficando à disposição da Justiça.

Relembre o caso

O corpo do DJ Thiago Crei foi achado em um terreno abandonado, no bairro Ataíde, em Vila Velha, na manhã do dia 10 de maio deste ano. O local onde o corpo foi localizado é uma área frequentada por populares do bairro que praticam atividades físicas. O corpo da vítima foi encontrado por uma mulher que estaria caminhando pela região e acionou a Polícia Militar do Espírito Santo (PMES).

Comentários Facebook

Polícia

Criança de 7 anos morre após escorregar e bater cabeça em escada na Serra, de acordo com os pais

Publicados

em

Por

Uma menina de sete anos, que não teve o nome revelado, morreu dentro de casa na noite desta quinta-feira (11) em Nova Almeida, na Serra. De acordo com os pais da criança, ela escorregou em um balão cheio de água e, ao cair, bateu com a cabeça em uma escada.

Em depoimento, a mãe da menina, que preferiu não se identificar, disse que ela estava brincando com o irmão em casa quando o acidente aconteceu. A mãe não presenciou a queda, mas chegou a conversar com a filha e a levá-la para um pronto atendimento. Mais tarde, a equipe médica comunicou à família que a criança havia morrido.

Os pais foram levados à Delegacia de Homicídios para prestar depoimento. Depois, foram liberados para acompanhar o corpo no Departamento Médico Legal (DML), em Vitória.

A Polícia Civil informou que, a princípio, o caso foi registrado como morte acidental e o procedimento foi encaminhado para a Divisão de Homicídio e Proteção à Mulher (DHPM), que aguarda o resultado dos exames para definir se haverá instauração de inquérito.

Fonte: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana