conecte-se conosco


Geral

Dia da Amizade: tipos de amigos para manter distância ou para manter por perto

Publicados

em

Foto: Divulgação

Quando se fala sobre relações ‘tóxicas’ é comum citar temas como relacionamentos amorosos, ambiente familiar e trabalho. Porém, existem diferentes tipos, aqueles que são originados de amizades, por exemplo, são os menos citados entre eles.

O falso amigo faz o outro acreditar que se importa e deseja o bem, podendo demonstrar afeto e proteção. Com isso, consegue manter a pessoa maltratada leal e disponível para ser consumida por toda carga negativa de pensamentos confusos e complicados. Esse comportamento pode ser nocivo à vítima, podendo resultar em sentimentos como solidão, insegurança e esgotamento, que impactam diretamente no bem-estar e estado de humor.

De acordo com o coordenador do curso de Psicologia da Faculdade Anhanguera, professor Fábio Augusto, para identificar os sinais basta analisar como você se sente ao interagir com esse amigo. “Pessoas ‘tóxicas’ trazem de forma sutil, sentimentos confusos como estresse, exaustão e outros desconfortos nas trocas com os amigos. Esses indivíduos se sentem bem em magoar, pois buscam ativamente angustiar o outro”, explica.

Para perceber que aquela amizade já não faz mais sentido pode demorar meses ou até anos. Abaixo, o docente detalhou esses comportamentos corriqueiros que servem como alerta, confira:

O ‘amigo’ parece alguém perfeito e sem defeitos

“A amizade ‘tóxica’ é perigosa, pois nos fascina. O ser humano possui a característica de fazer tudo por aquilo que o encanta. É preciso saber identificar anteriormente essa intenção, para evitar ser capturado nesse truque”, afirma.

O ‘amigo’ é capaz de tudo por você

Amigos verdadeiros são aqueles que, em certos momentos, possuem a coragem de negar um pedido feito por nós. Somos seres imperfeitos e aqueles que buscam ajudar sem nenhuma restrição, podem ter algum interesse oculto. “Nesse caso vale recapitular as atitudes do colega, será que ele não está se esforçando para mostrar que é do seu próprio interesse?”, orienta o psicólogo.

O ‘amigo’ se dedica a alterar sua visão de mundo

O psicólogo alerta que o ‘falso amigo’ se dedica em alterar nossas intenções de acordo com a sua conveniência. “O propósito da amizade é encontrar pontos comuns e incomuns acerca das ideias da vida. Alguém que se engaja em alterá-las, pode estar interessado apenas em manipular o outro”, avalia Fábio.

Críticas construtivas que te colocam para cima

Conselhos sempre são bem-vindos, ainda mais de um amigo que não quer nos ver mal. O amigo falso sabe dizer as melhores palavras, mas vale um alerta: “a amizade real machuca e é imperfeita. Pessoas verdadeiras as vezes podem nos colocar para baixo”, aconselha.

Como lidar com laços “tóxicos”?

Pessoas consideradas ‘tóxicas’, não devem ser necessariamente afastadas da vida, pois elas também podem ensinar algo. “Dar continuidade a amizade é sempre uma opção. Mas lembre-se que cuidar da sua saúde mental também pode significar abandonar laços que não são mais saudáveis, ou mergulhar naqueles que são capazes de ensinar coisas importantes sobre a vida”, finaliza o docente.

Comentários Facebook

Geral

Dia dos Avós relembra importância de cuidar do bem-estar desses entes queridos

Publicados

em

Por

“Precisamos fazer com que os avós se sintam amados e necessários na vida dos filhos e netos”, afirma psicóloga

O Dia dos Avós, celebrado nesta terça-feira, 26 de julho, foi criado como forma de cultivar as histórias de inspiração e amor incondicional desses entes queridos que transmitem afeto e cuidado de geração em geração. A data reforça a importância da relação entre avós e netos, e da rica troca de experiências que esse contato pode transmitir.

A psicóloga da Unimed Vitória Náira Delboni orienta sobre alguns cuidados que podemos ter com os avós. “Às vezes, devido à rotina muito corrida, os parentes deixam de estar presentes não só fisicamente, mas também na atenção com eles. Nessa fase da vida é extremamente importante devolver-lhes todo o amor que já deram, com respeito e dignidade, fazendo com que se sintam amados e necessários na vida dos filhos e netos”.

É possível contribuir para a saúde desses entes motivando a prática de atividade física e uma boa alimentação, pois são cuidados fundamentais principalmente na terceira idade. No entanto, não se deve esquecer da saúde mental, um ponto que necessita de atenção especial. As limitações e os sentimentos trazidos pelas transformações do processo natural de envelhecimento podem provocar sensações desafiadoras.

Os problemas emocionais podem refletir diretamente no corpo, despertando cansaço, falta de energia e desencadeando algumas doenças. A falta de um corpo saudável pode gerar sentimentos de tristeza, ansiedade e sensação de incapacidade. Incentivar os hobbies, com momentos de lazer para os idosos, traz inúmeros benefícios e garante a interação social.

Cuidados com a mente

Ocupar seu tempo faz com que os idosos exercitem a mente e isso faz bem para a parte cognitiva. Outra prática que pode oferecer mais qualidade de vida é proporcionar uma noite de sono agradável, o que proporciona benefícios para o corpo e a mente. “Para que se sintam úteis é possível pedir a ajuda deles em atividades variadas. Vale ressaltar a importância de incluir ações simples capazes de garantir uma independência maior aos idosos para restabelecer a autoconfiança e prevenir sentimentos negativos de incapacidade, ansiedade e tristeza”, afirma Naira.

Os problemas que afetam a mente muitas vezes são silenciosos e não demonstram sintomas facilmente identificáveis ou sinais físicos. Por isso, é importante estar atento ao comportamento dos idosos para perceber alterações de irritabilidade constante, afastamento, choros e desânimo frequente, falta de energia para realizar atividades diárias, mau humor e atitudes grosseiras ou agressivas sem motivo, esquecimento e falta de apetite. Procure conversar com eles e entender o que está acontecendo.

Náira faz um alerta sobre os principais transtornos mentais enfrentados pela terceira idade: ansiedade, depressão e síndrome do pânico. “Pode-se dizer que o bem-estar psicológico dos idosos é influenciado também pelo modo de pensar e de agir. A diminuição da capacidade cognitiva-emocional pode vir ao longo da vida, associada a frustrações pela incapacidade de realizar atividades que antes eram feitas facilmente, junto do luto pela perda de entes queridos e acúmulo de experiências traumáticas, o que pode acarretar transtorno mental. A maioria desses quadros em idosos pode ser evitada, diagnosticada e até revertida, mas para isso é necessário identificar e buscar ajuda profissional”.

Dicas de cuidados com os avós:

– Dar atenção e tirar um tempo para conversar com eles, sempre tendo paciência e respeito

– Ensinar algo novo ou deixar que ensinem algo

– Sempre que possível, levá-los para um passeio

– Elogiar: às vezes, com o passar dos anos, a autoestima diminui bastante. Por isso, fazer elogios aos avós mostrará a eles o quanto são percebidos e amados

– Fazer adequações em casa para cuidar dos avós. Por exemplo, certificar que não há perigo para uma pessoa idosa na sua casa. Se necessário, instalar rampas para uma cadeira de rodas ou corrimão acessível nas escadas

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana