conecte-se conosco

Entretenimento

“Ele sabe o que aconteceu”, diz mulher que acusa príncipe Andrew de estupro

Publicado

source

A complicada relação entre o príncipe Andrew e o milionário Jeffrey Epstein , preso por tráfico de mulheres e pedofilia, que se suicidou na prisão, continua rendendo. Virginia Giuffre , que acusa o filho preferido de Elizabeth de estupro, deu uma entrevista à BBC , que vai ao ar nesta segunda, reiterando suas acusações. Ela diz que foi obrigada a transar com o príncipe por três vezes, entre 1999 e 2002. Na primeira vez, ela tinha apenas 17 anos.

Leia também: Viagem de Príncipe Harry e Meghan Markle aos EUA incomoda Rod Stewart

Virginia Giuffre arrow-options
Reprodução/Twitter

Virginia Giuffre


“Ele sabe o que aconteceu, eu sei o que aconteceu e há apenas um de nós dizendo a verdade”, disse Virginia .

As relações sexuais teriam acontecido em Nova York, Londres e numa ilha no Caribe que pertencia a Epstein. “Foi um momento assustador na minha vida”.

Leia também: Príncipe Harry processa jornais por colocarem escutas telefônicas

Por causa das relações com Epstein, Andrew foi retirado das obrigações reais e perdeu o salário anual dado pela coroa . Ele, no entanto, nega ter tido qualquer relação com Virginia, como foi dito em entrevista à BBC . “Não me lembro de ter conhecido essa senhora. Isso nunca aconteceu.”

Leia também: Príncipe Andrew: modelo ligada a caso de pedofilia deixa os EUA

No mesmo programa da BBC , foi mostrado uma foto de Andrew com Virginia, que, na época, deveria ter 17 anos. “Não tenho lembrança dessa fotografia”, disse ele, antes de questionar a veracidade da imagem.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Jornalista da CNN dá show de homofobia ao falar sobre doação de sangue

Publicado


source

Leandro Narloch virou assunto por conta de um comentário dele durante a exibição do programa “Live CNN” desta quarta-feira (8). O comentarista afirmou ao vivo que a decisão do Supremo Tribunal Federal que libera homossexuais para doarem sangue é uma “mudança pequena” na sociedade e que “gays têm uma chance muito maior de ter Aids”. 


“A mudança na verdade é pequena, ela vai restringir mais a conduta, e não o tipo de pessoa, a opção sexual (sic) do indivíduo. Toda essa polêmica começou porque, não há dúvida disso, os gays, os homens gays, eles têm uma chance muito maior de ter Aids, né? Em 2018, uma pesquisa mostrou que 25% dos gays de São Paulo eram portadores de HIV”, começou Narloch, sem citar a fonte da pesquisa em questão.

“Mesmo que esse número seja exagerado, e de fato ele parece mesmo exagerado, o fato é que é dezenas de vezes maior, maior a chance do que na população geral. A questão é que outros critérios para exclusão já restringem os gays que têm comportamento promíscuo, né?”, continuou Leandro, piorando mais ainda a situação.

Os apresentadores do programa, Marcela Rahal e Phelipe Siani, ficaram sem reação diante das frases ditas pelo comentarista. “Bom, é… A gente acabou de falar sobre essa mudança de protocolo. 2020 e só agora a gente teve retirado de fato esse impedimento de homossexuais fazendo doação de sangue”, falou Siani. “Gente!”, limitou-se a falar Marcela, mudando repentinamente de assunto.

Na internet, a fala do jornalista da CNN Brasil foi bastante criticada. “Rapaz, nunca ouvi tanta merda na minha vida. E olha que acompanho Bolsonaro desde 2013, mas essa supera todas as merdas que o presidente já disse”, disse um usuário do Twitter.


Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana