conecte-se conosco


“Não estou inelegível, os mesmos atores que me caluniaram na eleição passada estão mentindo novamente para tentar  enganar a população”

Elieser Rabello afirma não estar inilegível: “Estão tentando enganar a população de novo”

Publicados

em

O ex-prefeito de Vargem Alta, Elieser Rabello (MDB), afirma: “não estou inelegível, os mesmos atores que me caluniaram na eleição passada estão mentindo novamente para tentar  enganar a população”. A declaração do pré-candidato do MDB à prefeitura da cidade sul-serrana, é uma resposta às notícias falsas que circulam no município, dizendo que ele não tomaria posse caso ganhasse a eleição deste ano.

De acordo com Rabello, o que existe é uma sentença em primeira instância de improbidade administrativa. Trata-se de um processo sobre o aterro feito pela prefeitura para um Campo Bom de Bola em convênio com o Governo do Estado, na sede do município. “Houve uma denúncia e o processo está correndo em primeira instância onde houve uma sentença que ainda não foi publicada no Diário Oficial da Justiça. Vamos recorrer porque a sentença é injusta. Além disso, ela não atrapalha nem impede minha candidatura. O impedimento só com o trânsito em julgado em segunda instância”, ressalta.

“Outra calúnica é a alegação de que as contas do exércio de 2012 foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas, mas trata-se de outra notícia falsa”, afirma Rabello. “As contas referentes a 2012 estão sob recurso no Tribunal de Contas, sem data marcada para o julgamento. Há processos com a mesma jurisprudência onde vários outros prefeitos e ex-prefeitos foram absolvidos. Então, trata-se de duas mentiras que estão plantando para iludir o povo novamente. Venceram a última eleição assim, enganando a população”.

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Projeto de lei quer fixar regras para venda de facas no ES

Publicados

em

Por

Torino: proposta pretende salvaguardar a vida e a integridade física das pessoas/Foto: Ellen Campanharo

Evitar acidentes e até crimes em estabelecimentos comerciais que vendem facas, canivetes, estiletes, facões ou similares. Esta é a finalidade do Projeto de Lei (PL) 35/2021, que propõe colocar esses produtos em compartimento protegido por vidro ou acrílico e trancado por cadeado ou fechadura. A matéria do deputado Torino Marques (PSL) vai tramitar em urgência na Casa, segundo requerimento aprovado na sessão oridnária desta quarta-feira (24).

Na justificativa da proposição o parlamentar argumenta que tais objetos são considerados armas brancas e que a ideia é aumentar a segurança para os consumidores capixabas. “É comum vermos nos estabelecimentos comerciais como supermercados, lojas de conveniências, lojas de departamentos e outras, que este tipo de produto fica acondicionado em gôndolas, ao livre acesso dos consumidores, sem qualquer tipo de proteção”, aponta.

Torino conta que no início do mês uma idosa de 73 anos foi esfaqueada dentro de um supermercado em Valparaíso de Goiás (GO) e que acabou morrendo. O deputado destaca que o agressor pegou o objeto em uma gôndola do próprio estabelecimento e que é justamente esse tipo de situação que a proposta pretende impedir.

“Nas atribuições parlamentares cabe a nós, representantes do povo, agirmos com o intuito de salvaguardar a vida e a integridade física das pessoas. Decerto esse tipo de cautela não trará qualquer tipo de ofensa à livre iniciativa, mas apenas dará maior segurança aos consumidores em relação aos produtos colocados à venda”, afirma.

Por fim, o autor da iniciativa salienta que vários tipos de comércios mantêm produtos de valor mais elevado como whisky, champanhe, eletroeletrônicos, brinquedos e outros dentro de compartimentos próprios, trancados ou mesmo sendo disposto somente a embalagem vazia, cabendo a um atendente buscar o produto no estoque ou abrir o compartimento a pedido do cliente.

Em caso de aprovação do PL, a lei derivada deverá entrar em vigor na data de sua publicação em diário oficial.

Tramitação

A proposta foi lida na sessão ordinária do dia 22 de fevereiro e encaminhada para análise das comissões de Justiça, Defesa do Consumidor, Segurança e Finanças.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana