conecte-se conosco


Estado

Covid-19: Em 24h ES registra 1.766 novos casos e 40 mortes; veja situação nesta quinta (16)

Publicados

em

O Espírito Santo registrou, até as 16h30 desta quinta-feira (16), 2.136 mortes por Covid-19. O número total de casos confirmados chegou a 68.118, sendo que destes, 46.216 pacientes já estão curados. Os dados são divulgados na plataforma Painel Covid-19, do Governo do Estado.

Em relação aos números divulgados na quarta (15), o aumento é de 1.766 novos casos, 40 mortes a mais e 1.697 curados.

Municípios com mais casos

Os 15 municípios com mais casos confirmados são: Vila Velha (10.555), Serra (9.643), Vitória (9.595), Cariacica (7.656), Linhares (3.472), Colatina (2.889), Cachoeiro de Itapemirim (2.580), Aracruz (1.641), Guarapari (1.429), Viana (1.200), São Mateus (1.021), Marataízes (806), São Gabriel da Palha (722), Itapemirim (641) e Nova Venécia (524). (Clique aqui e veja lista completa)

Leia também:

Brasileiros criam tecido que inativa vírus causador da Covid-19

Vacina da Covid-19 testada no Brasil pode ser liberada apenas em junho de 2021

Três tipos do novo coronavírus entraram no Brasil pela Amazônia

Mortes nos municípios

Dos óbitos, 1.202 são homens e 934 mulheres. Eles estão distribuídos nos municípios de Serra (370), Vila Velha (342), Vitória (315), Cariacica (285), Cachoeiro de Itapemirim (88), Guarapari (68), Colatina (62), Linhares (55), Viana (49), Aracruz (40), Marataízes (38), Itapemirim (33), São Mateus (24), Iúna (17), Marechal Floriano (16), Nova Venécia (15), Anchieta (14), Castelo (14), Guaçuí (11), Presidente Kennedy (11), Afonso Cláudio (10), Alegre (10), Fundão (10), Pinheiros (10), Baixo Guandu (9), Boa Esperança (9), Ibiraçu (9), Piúma (9), São Gabriel da Palha (9), Barra de São Francisco (8),  Pedro Canário (8), Rio Novo do Sul (8), Santa Maria de Jetibá (8), São Domingos do Norte (8), Muqui (7), Sooretama (7), Conceição da Barra (6), Domingos Martins (6), Ecoporanga (6), Ibatiba (6), Santa Teresa (6), Alto Rio Novo (5), Jaguaré (5), João Neiva (5), Rio Bananal (5), Santa Leopoldina (5), São Roque do Canaã (5), Alfredo Chaves (4), Ibitirama (4), Montanha (4), Pancas (4), Vargem Alta (4), Vila Valério (4), Água Doce do Norte (3), Bom Jesus do Norte (3), Jerônimo Monteiro (3), Mantenópolis (3), Marilândia (3), Mimoso do Sul (3), Muniz Freire (3), Venda Nova do Imigrante (3), Águia Branca (2), Apiacá (2), Atílio Vivácqua (2), Conceição do Castelo (2), Irupi (2), Dores do Rio Preto (1), Itarana (1), Laranja da Terra (1), Mucurici (1), Ponto Belo (1), Nanuque (2)*, Governador Valadares (1)*, Itamaraju (1)*, Nova Viçosa (1)*, Pompeia (1)* e São Miguel dos Campos (1)*.

* Nanuque e Governador Valadares ficam no estado de Minas Gerais, Pompeia no estado de São Paulo, São Miguel dos Campos no estado de Alagoas e Itamaraju e Nova Viçosa no estado da Bahia. Isso acontece, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), porque os casos foram notificados no Espírito Santo.

Leia também:

Uso de radiação nos pulmões pode acelerar recuperação da Covid-19, diz estudo

Mais de metade dos espanhóis com Covid-19 desenvolveram problemas neurológicos

O que a ciência já sabe sobre imunidade pós Covid-19

Site de inscrição para vacina da Covid-19 recebe 600 mil acessos em 24h

“Plano de Mandetta deixaria menos mortos por Covid-19”, diz ex-secretário

Ministro da CGU defende aumento da produção de cloroquina

‘Não dá para transformar os R$ 600 numa renda permanente’, diz diretor da IFI

Clique aqui e acompanhe em tempo real os números do Coronavírus no Brasil com mapa interativo atualizado pelo Ministério da Saúde.

Clique aqui e acompanhe os números da doença no Espírito Santo com dados atualizados pela Secretaria de Saúde (Sesa) no Painel Covid-19.

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Estado orienta municípios a ampliar vacinação contra Covid-19 de crianças para demais faixas etárias

Publicados

em

 

Em ofício enviado no último sábado (22) aos 78 municípios capixabas, o Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), orientou que seja ampliada a vacinação contra a Covid-19 de crianças para as demais faixas etárias.

A medida visa a acompanhar a autorização do uso do imunizante Coronavac ao público de 6 a 17 anos, divulgado na última semana pelo Ministério da Saúde. Também se ajusta ao cenário atual de disponibilidade das doses da Coronavac e do reduzido estoque de Pfizer pediátrica.

“A ampliação imediata de todas as faixas etárias de 5 a 11 anos só é possível, porque o Estado dispõe de estoque de doses da Coronavac. A autorização da Anvisa permitirá que o Espírito Santo seja um dos primeiros estados brasileiros a vacinar livremente todas as idades pediátricas”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

Dessa forma, a Sesa recomenda aos municípios que destinem as doses pediátricas da Pfizer, ainda disponíveis nas redes de frio municipais ou nas salas de vacinação, às crianças de 5 anos e as doses da Coronavac às crianças a partir dos 6 anos de idade. Ou seja, com a disponibilidade de doses da Coronavac no Estado, a vacinação de crianças sem comorbidades poderá ser ampliada.

Seguem as recomendações propostas pelo Estado aos municípios:

– Vacinar crianças de 5 anos de idade e as crianças de 5 a 11 anos imunossuprimidas com a Pfizer pediátrica;

– Priorizar a vacinação de crianças de 6 a 11 anos com doses da Coronavac;

– Vacinar os adolescentes de 12 a 17 anos de idade com a Coronavac ou Pfizer adulto;

– Vacinar os adolescentes de 12 a 17 anos de idade imunossuprimidos com a Pfizer adulto.

Com as orientações, objetivo é dar oportunidade de forma célere para que todas as crianças e adolescentes de 5 a 17 anos ainda não vacinados possam receber as vacinas. Até esta segunda-feira (24), pouco mais 13.200 doses foram aplicadas em crianças de 5 a 11 anos no Estado, segundo dados da Plataforma Vacina e Confia.

Vale destacar que, com as publicações das Resoluções Comissão Intergestores Bipartite (CIB) de Nº 011/2022 e Nº 013/2022, o Estado já havia iniciado a vacinação das faixas etárias 5 a 11 anos com comorbidades; de crianças indígenas e quilombolas; de crianças com deficiência permanente, além da vacinação de crianças de 10 e 9 anos sem comorbidades.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana