conecte-se conosco

Cidades

Equipes operacionais estão atuando nas cinco regiões da cidade

Publicado

De: Secretaria de Defesa Social e trânsito
Texto: Vandique Magalhães| Foto: Claudiano Gomes
Criado: 22 de novembro de 2019

As equipes operacionais estão mobilizadas na manhã desta sexta-feira (22), monitorando a situação das chuvas que caem no município. O Plano Municipal de Proteção e Defesa Civil (PMPDEC) está ativado no Nível de Atenção. O índice pluviométrico chegou a 60 milímetros às 9:30 da manhã, cinco vezes mais do que a previsão inicial de 10 milímetros para o dia inteiro. Mas, não há registro de ocorrências graves.
 
As equipes da Defesa Civil já estão em campo em vistorias nas áreas de encostas nos bairros de Alecrim, Argolas e também em Cristóvão Colombo para avaliação dos riscos de escorregamento de massa. Os técnicos também visitaram o Morro da Boa Vista para acompanhar a situação da pedra que se deslocou e atingiu parte da estrutura de uma casa na noite da última terça-feira (19).
 
Em consequência das chuvas, a cidade registrou vários pontos de alagamentos em praticamente todas as regiões. Mas mesmo com dificuldade, os motoristas ainda conseguem transitar pelas vias da cidade.
 
A Defesa Civil orienta para que as pessoas que moram em áreas de risco de escorregamento de massa fiquem atentas e, ao observarem sinais de trincas e rachaduras na residências e muros, postes e arvores inclinando e rachaduras no solo, deixem suas casas e procurem um lugar seguro até que a Defesa civil possa fazer uma avaliação do local.
O órgão pode ser acionado pelo telefone 162 (Ouvidoria), 199, no 3388 – 4346.

Leia mais:  Bom Jesus do Itabapoana terá praça de pedágio com a concessão da RJ-186

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Dia de Combate à Intolerância Religiosa nesta terça (21) na Arena Procon

Publicado

O Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa é na próxima terça-feira, 21 de janeiro. O tema é tão popular que virou até enredo da escola de samba Grande Rio para o carnaval 2020.  E não é para menos, já que dados do Disque 100 revelam que em 2018 foram mais de 500 denúncias sobre o tema, e que entre os anos de 2015 e 2017, houve uma denúncia a cada 15 horas no Brasil.  

A intolerância é o ato de discriminar, ofender e rechaçar religiões, liturgias e cultos, ou ofender, discriminar, agredir pessoas por conta de suas práticas religiosas e crenças. A secretária de Direitos Humanos e Cidadania da Serra, Lourência Riane, lembra que no Brasil essa prática é considerada crime, previsto no artigo 20 da lei nº 7.716/89 e pode levar o infrator a cumprir pena de reclusão de 1 a 3 anos, além de multa.

Na Serra, a data será lembrada com um debate que vai acontecer na terça-feira (21), às 15 horas, na Arena Procon, em Jacaraípe. Qualquer pessoa pode participar do evento, que será conduzido em forma de roda de conversa por representantes da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Serra.

Leia mais:  Prefeitura contrata empresa para melhorar o serviço de salvamento aquático

Dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) de 2018 revelam que a religião que mais sofreu intolerância religiosa foi a umbanda (72 denúncias). Em seguida, vieram o candomblé (47), as testemunhas de Jeová (31), as matrizes africanas (28) e alguns segmentos evangélicos (23).

Dia de Combate à Intolerância Religiosa

O Dia de Combate à Intolerância Religiosa foi instituído em 2007 pela Lei nº 11.635 em homenagem à Gildásia dos Santos e Santos (Mãe Gilda), líder religiosa Ialorixá do terreiro Axé Abassá de Ogum, em Salvador. Ela sofreu um enfarte que causou sua morte após enfrentar situações de intolerância religiosa, no ano de 2000.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana