conecte-se conosco


Estado

ES registra 1.218 curados da Covid-19 em 24h; veja situação nesta sexta (14)

Publicados

em

O Espírito Santo registrou, até as 16h40 desta sexta-feira (14), 2.849 mortes por Covid-19. O número total de casos confirmados chegou a 98.106, sendo que destes, 84.302 pacientes já estão curados. Os dados são divulgados na plataforma Painel Covid-19, do Governo do Estado.

Em relação aos números divulgados na quinta (13), o aumento é de 1.157 novos casos, 26 mortes a mais e 1.218 curados.

Municípios com mais casos

Os 15 municípios com mais casos confirmados são: Vila Velha (14.178), Vitória (12.673), Serra (12.559), Cariacica (9.724), Linhares (5.256), Colatina (4.930), Cachoeiro de Itapemirim (4.184), Aracruz (2.826), Guarapari (2.373), São Mateus (1.882), Viana (1.525), São Gabriel da Palha (1.238), Marataízes (1.180), Castelo (999) e Itapemirim (868).  (Clique aqui e veja lista completa)

Leia também:

Pandemia: decreto permite entrada de menores de 10 anos em estabelecimentos de Cachoeiro

Repórter da Globo discute com entrevistado: “Não tem 100 mil mortes inventadas”; assista

“Teoria da conspiração absurda”, diz embaixador sobre China criar covid-19

Após tirar sarro de doença, filho 04 de Bolsonaro está com Covid-19, diz jornal

Mortes nos municípios

Dos óbitos, 1.599 são homens e 1.250 mulheres. Eles estão distribuídos da seguinte maneira nos municípios capixabas: Serra (456), Vila Velha (440), Vitória (384), Cariacica (360), Cachoeiro de Itapemirim (122), Colatina (96), Guarapari (91), Linhares (86), Aracruz (62), Viana (58), São Mateus (49), Marataízes (45), Itapemirim (40), Castelo (25), Nova Venécia (24), Iúna (20), Anchieta (19), Barra de São Francisco (18), Marechal Floriano (17), Presidente Kennedy (17), Fundão (16), São Gabriel da Palha (16), Afonso Cláudio (15), Alegre (15), Baixo Guandu (15), Pinheiros (15), Guaçuí (13), Piúma (13), Boa Esperança (12), Rio Novo do Sul (12), Conceição da Barra (11), Sooretama (11), Ibatiba (10), Pedro Canário (10), Vargem Alta (10), Vila Valério (10), Domingos Martins (9), Ibiraçu (9), Muqui (9), Santa Maria de Jetibá (9), Venda Nova do Imigrante (9), Alto Rio Novo (8), Ecoporanga (8), Santa Leopoldina (8), Santa Teresa (8), São Domingos do Norte (8), Jaguaré (7), Jerônimo Monteiro (7), João Neiva (7), Rio Bananal (7), São Roque do Canaã (7), Água Doce do Norte (6), Mantenópolis (6), Montanha (6), Pancas (6), Alfredo Chaves (5), Atílio Vivácqua (5), Bom Jesus do Norte (5), Irupi (5), Conceição do Castelo (4), Ibitirama (4), Mimoso do Sul (4), Muniz Freire (4), Águia Branca (3), Itarana (3), Marilândia (3), São José do Calçado (3), Apiacá (2), Laranja da Terra (2), Dores do Rio Preto (1), Itaguaçu (1), Mucurici (1), Ponto Belo (1), Vila Pavão (1), Mantena (2)*, Mucuri (2)*, Nanuque (2)*, Eunápolis (1)*, Governador Valadares (1)*, Itamaraju (1)*, Marechal Cândido Rondon (1)*, Matipó (1)*, Nova Viçosa (1)*, Pompeia (1)*, Resplendor (1)*, São Miguel dos Campos (1)*

* Nanuque, Resplendor, Matipó e Governador Valadares ficam no estado de Minas Gerais, Pompeia no estado de São Paulo, São Miguel dos Campos no estado de Alagoas, Itamaraju, Mucuri, Eunápolis e Nova Viçosa no estado da Bahia e Marechal Cândido Rondon no estado do Paraná. Isso acontece, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), porque os casos foram notificados no Espírito Santo.

Leia também:

Covid-19: pesquisa Italiana identifica como vírus entra no sistema nervoso

China e México anunciam financiamento de R$ 5 bi a vacinas; Brasil não comparece

Na pandemia, cerca de três milhões de pessoas perderam o emprego

Coronavírus: quantos casos e mortes por Covid-19 há em sua cidade?

Mercado de seguros tem queda de 3,5% no ano devido à pandemia

Tratamento para malária pode ser eficaz contra o novo coronavírus

Covid-19: mulher de 58 anos vence doença depois de duas paradas cadíacas

Covid-19: como informações falsas sobre a pandemia mataram mais de 800 pessoas

Um dia após anúncio de vacina, Rússia altera dados sobre testes

Clique aqui e acompanhe em tempo real os números do Coronavírus no Brasil com mapa interativo atualizado pelo Ministério da Saúde.

Clique aqui e acompanhe os números da doença no Espírito Santo com dados atualizados pela Secretaria de Saúde (Sesa) no Painel Covid-19.

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Instituto Ponte é pela 4ª vez consecutiva uma das 100 Melhores ONGs do Brasil

Publicados

em

Por

O Prêmio Melhores ONGs acaba de anunciar as 100 organizações brasileiras do terceiro setor vencedoras em 2021 e o Instituto Ponte (IP) é uma delas.  Na lista, já disponível no site melhores.org.br, é possível conhecer o nome das organizações reconhecidas por suas boas práticas em quesitos como governança, transparência, comunicação e financiamento.

Fundado e presidido por Bartira Almeida, o IP atua há sete anos, no Espírito Santo, oferecendo oportunidades educacionais e acesso a atividades de desenvolvimento dos aspectos acadêmicos e socioemocionais para jovens talentosos de escolas públicas, do ensino fundamental à universidade. A proposta é ajudar que esses alunos, por meio da sua dedicação e mérito próprio, ascenderem socialmente em poucas gerações e transformarem as suas vidas e de suas famílias.

“Receber esse reconhecimento e pela quarta vez consecutiva, nos enche de orgulho e, ao mesmo tempo, de muita responsabilidade. Afinal, aumenta o nosso compromisso em seguirmos como uma entidade comprometida com valores como ética, transparência, foco nos resultados e gratidão.  Estar entre as 100 melhores do país também nos impulsiona e potencializa nossa vontade de fazer ainda mais por esses jovens, que só precisam de uma oportunidade para fazer a diferença na sua própria história e na da sociedade”, afirmou Bartira.

O Prêmio

Este ano, apesar da continuidade das dificuldades impostas pela pandemia, o Prêmio teve um número recorde de inscrições: 1033 organizações. “Para a gente, 2021 é um ano muito especial, não só porque tivemos o maior número de ONGs inscritas, mas também por uma sequência de anos com melhorias significativas no nível das inscrições. São organizações cada vez mais profissionais”, afirma Fernando Nogueira, pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que coordena o processo de avaliação das concorrentes do Prêmio desde a primeira edição. “Ficamos ainda mais alegres se lembramos que este é um ano complicado, que vem depois de outro que já tinha sido difícil. Isso mostra a importância das organizações da sociedade civil, mas também que elas têm tido um reconhecimento dos doadores, das comunidades, das pessoas físicas, das empresas, que a maior parte do Brasil valoriza a atuação dessas organizações”.

A cada edição o Prêmio se torna cada vez mais conhecido no setor. “São duas alegrias: a consolidação do Prêmio e o lançamento dos melhores por estado”, afirma Marcelo Estraviz, diretor do Instituto Doar. Com esse crescimento, a expectativa para as próximas edições é poder ter metodologias cada vez mais apuradas e novas categorias específicas. “Um dia sonhamos que era possível promover o reconhecimento de pessoas e instituições dedicadas a fazer o bem. Hoje já estamos completando cinco anos e cada vez mais animados para os próximos”, completa Cássia Christe, diretora executiva do Instituto O Mundo Que Queremos.

Os destaques nas categorias especiais por tipo de causa e melhor ONG entre todas serão conhecidos durante a cerimônia oficial de premiação, que está marcada para o dia 9 de dezembro, às 18h, com transmissão pelo youtube do Canal Futura. A novidade deste ano é o reconhecimento da melhor de cada estado — além das 100 melhores, já são reconhecidas a melhor de cada causa, as dez melhores de pequeno porte e a melhor entre elas.

Maior Torcida do Brasil

Outra novidade desta edição é que, pela primeira vez, a ONG que levar mais gente para torcer por ela também vai ser reconhecida. É a campanha “Maior Torcida do Brasil”, que convoca as 100 melhores a chamar todos os seus apoiadores para acompanhar a cerimônia de premiação, mostrando também que elas têm muita gente engajada com seus trabalhos.

O Prêmio

O Prêmio Melhores ONGs é realizado pelo O Mundo que Queremos, pelo Instituto Doar e pelo Ambev VOA, com apoio de pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV), do Instituto Humanize e do Canal Futura. Reconhece, desde 2017, o trabalho fundamental prestado pelas instituições não-governamentais no Brasil e também funciona como um farol para orientar doações, alcançando grande visibilidade no setor, na medida em que se consolida como a principal referência em ONGs no país. A intenção, além de reconhecer a relevância dos trabalhos prestados, é incentivar boas práticas, contribuindo também para a melhoria na gestão de todas as participantes, incluindo as que não são premiadas.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana