conecte-se conosco


Estado

ES+Criativo e RS Criativo promovem Encontro Nacional de Programas de Economia Criativa

Publicados

em

 

Falar sobre o trabalho dos empreendedores que estão por trás dos produtos culturais é essencial. Pensando nisso, o ES+Criativo, da Secretaria da Cultura (Secult), em parceria com RS Criativo – programa da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul (Sedac) –, organizou, no último sábado (12), o Encontro Nacional de Programas de Economia Criativa, com o tema “Panorama dos Programas e Políticas de Economia Criativa no Brasil”.

O debate integrou a segunda edição da Festa da Criatividade 2020, evento totalmente on-line promovido pela Secult, e discutiu a retomada das atividades culturais e traçou um panorama do ecossistema de Economia Criativa no País.

Essa é a segunda edição do encontro. O primeiro aconteceu em 2013, junto com a criação do projeto Criativa Birô – escritório que oferece suporte multidisciplinar ao micro e pequeno empreendedor criativo –, organizado, na época, pelo Ministério da Cultura.

Durante a atividade, os participantes puderam explicar os caminhos percorridos na busca da promoção e do desenvolvimento do setor. Também foram temas os desafios da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), as ações desenvolvidas em função da Lei Aldir Blanc e a necessidade de encarar a Economia Criativa como um eixo estruturante da retomada econômica, social e cultural do Brasil.

A abertura do evento foi feita pelo secretário de Economia Criativa do Ministério do Turismo, Aldo Valentim, e pelo secretário de Estado da Cultura do Espírito Santo, Fabrício Noronha. A mediação do evento ficou sob a responsabilidade do professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), Luis Paulo Bresciani.

O encontro contou com a presença de vários representantes da Economia Criativa do País, reunindo cinco governos estaduais (Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte) e três instituições de apoio (Sebrae Espírito Santo, Sebrae Alagoas e Instituto Federal do Espírito Santo).

O secretário Aldo Valentim afirmou que a Economia Criativa é uma preocupação significativa do Ministério do Turismo. “Estamos trabalhando com o desenvolvimento de pesquisas que envolvem a cadeia da Economia Criativa. Fomos surpreendidos com a pandemia, e nossos esforços se voltaram para a execução da Lei Aldir Blanc. Então, estamos, no momento, trabalhando com o redesenho das ações do próximo ano, que devem contar com a parceria dos Estados para que a gente possa avançar”, salientou.

O secretário Fabricio Noronha demonstrou otimismo com o encontro. “Diante de tamanha sinergia e de uma agenda comum, o encontro tem tudo para reverberar na formação de uma rede nacional dos nossos programas estaduais de Economia Criativa. Importante o compromisso do Governo Federal, na fala de seu representante, em encapar e contribuir com essa agenda. Temos muito o que trocar em metodologias, soluções e políticas públicas”, disse.

A gerente de Economia Criativa da Secult, Lorena Louzada, apresentou, durante o encontro, os eixos estratégicos do programa, com destaque para os quatro diálogos: Escola Criativa com capacitações e formações; Observatório da Economia Criativa que inclui pesquisas e estudos; o Hub Criativo com ações voltadas para estruturação de ambientes físicos e virtuais; e Territórios Criativos, potencializando territórios pelo Estado. “Durante a Festa da Criatividade apresentamos os resultados deste ano e realizamos diálogos de alinhamento entre as ações do programa. Foi importante também apresentar a governança compartilhada que o programa propõe, que fortalece e amplia o alcance das ações”, frisou.

A secretária de Cultura do Rio Grande do Sul, Beatriz Araújo, observou que: “A articulação entre os estados na construção de soluções e perspectivas, divulgando iniciativas empresariais e indicadores econômicos e fomentando novos empreendimentos, é fundamental para que a economia criativa seja reconhecida como uma das cadeias econômicas mais promissoras para o desenvolvimento do Brasil. Nossa população é criativa, a cultura é rica e diversificada, e as necessidades de geração de trabalho e renda são enormes, em todas as regiões. A economia criativa é a resposta para todas estas questões que ainda estão por serem resolvidas no País”.

Já a coordenadora do RS Criativo, Carolina Biberg, lembrou a importância de se criar uma rede de contato e suporte entre o setor em nível nacional. “O RS Criativo e a Sedac trabalham muito nesse formato colaborativo, e essas parcerias são fundamentais. Nosso programa é jovem e estratégico, com a ideia de que tenha transversalidade e movimento com as demais secretarias”, pontuou.

Dentre os temas discutidos pelos participantes, ganharam destaque a retomada do setor cultural, os desafios colocados no contexto de pandemia e isolamento social, as compras públicas e a governança dos programas estaduais de fomento à economia criativa.

O professor Luis Paulo Bresciani (FGV e USCS), mediador da mesa, explicou a importância do desenho de estratégias governamentais que considerem os desafios da retomada do setor cultural e das atividades inerentes à economia criativa, mas também ir além. “Necessitamos conectar a economia criativa dentro de uma trajetória de desenvolvimento, dos Estados e de suas regiões. Nessa perspectiva, a cooperação entre governos estaduais, municípios e universidades pode e deve estar no centro das estratégias de fortalecimento dos programas de fomento à economia criativa”, declarou Bresciani.

 

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Governo do Estado nomeia 401 novos policiais civis

Publicados

em


O governador do Estado, Renato Casagrande, assinou, nesta quarta-feira (20), o decreto de nomeação dos 401 candidatos que finalizaram o Curso de Formação Profissional da Polícia Civil do Espírito (PCES), do concurso público de 2018. Essa é mais uma medida de reestruturação das forças da Segurança Pública, que vem sendo feita desde o início da gestão, em 2019.

Ao todo, serão 85 novos escrivães, 147 investigadores, cinco psicólogos, além de 77 peritos criminais, 53 auxiliares de perícia médica legal, 29 médicos legistas e cinco assistentes sociais, que passam a reforçar o efetivo da instituição. Após a assinatura do decreto, os nomes dos aprovados serão publicados no Diário Oficial do Estado. Eles terão o prazo legal de 30 dias para tomar posse do cargo.

Em virtude da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a PCES firmou uma parceria com Escola de Serviço Público do Espírito Santo (Esesp) para a realização da primeira parte das disciplinas do curso, que foram ofertadas na modalidade on-line, com transmissão em tempo real.

Já a segunda etapa ocorreu de forma presencial com aulas ministradas nas dependências da Academia da Polícia Civil do Espírito Santo (Acadepol). Além disso, o início da formação policial em atenção aos protocolos de segurança biológica (afastamento e distanciamento social), proporcionou a redução de gastos financeiros com o curso, que estava orçado em R$ 7 milhões e foi finalizado com o investimento de R$ 1,1 milhão.

Durante a formatura dos novos policiais, ocorrida em Vitória, o governador Casagrande parabenizou os candidatos aprovados. “Esse momento faz parte da minha história como governador. Essa responsabilidade que eu tenho, mas faz parte da história de vocês. Vocês jamais esquecerão esse momento, de como ele é importante na família de vocês e na vida de vocês. Para ser policial é preciso ter uma característica diferente de outras profissões e de outras atividades.  Um policial, para ser eficiente, tem que ter atitude. A atitude muda o mundo, dependendo da atitude muda para o mal, mas quando a gente fala em atitude, geralmente, fazemos referência a uma boa atitude”, disse.

O governador prosseguiu: “Vocês estão entrando numa instituição que foi formada em 1808 e de lá para cá essa Polícia foi ganhando respeito e você todos estão entrando nessa instituição.  Esse Estado tem muito que avançar ainda no enfrentamento ao crime. Eu tenho visto nesses últimos meses, nesses últimos dias, um ataque muito frontal à nossa Polícia Civil e à nossa Polícia Militar que tenta desmoralizar toda a história, visando menosprezar e diminuir a capacidade das nossas instituições e das nossas forças policiais. Eu quero dizer que nós confiamos na Polícia Civil, nós confiamos na Polícia Militar, nós confiamos no Corpo de Bombeiros. Nós confiamos na capacidade das nossas forças policiais. Atacam, mas não conseguem tirar aquilo que a gente tem de mais importante que é o compromisso com o resultado neste Estado.”

Casagrande também apontou a importância do trabalho desses novos policiais no combate à criminalidade no Espírito Santo. “Eu tenho certeza que todos juntos nós poderemos elevar esses resultados para também estarmos nas primeiras posições como o estado situados na área de segurança pública. Veja como foi importante a gente ter, em 2019, o menor número de homicídios na história do Estado. Em 2020, o segundo ano com o menor número de homicídios. Em 2021, se Deus quiser, com o trabalho nosso e de vocês, vamos ter também um resultado muito bom e conivente com a redução de mortes. Temos que trabalhar e trabalhar!”, declarou.

O delegado-geral da PCES, José Darcy Arruda, também fez uma saudação aos novos policiais. “Aos formandos, digo que ser policial é manter a ordem pública e garantir a segurança da sociedade em detrimento da sua própria. Ser policial não é vestir a capa de herói, mas assumir as vestes do compromisso com a sociedade, do bem-estar dos cidadãos, da paz social e, principalmente, do fiel cumprimento da legislação. Hoje é um momento histórico para a instituição Polícia Civil e para a vida desses 400 novos policiais que, a partir desta data, realizam de forma definitiva o alcance de um sonho que começou lá trás”, citou.

O secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, lembrou que, desde o início da atual gestão, vem sendo feita a recomposição dos efetivos das polícias Civil e Militar, e do Corpo de Bombeiros Militar, no âmbito do Programa Estado Presente em Defesa da Vida. “Investindo em Segurança Pública, com ações voltadas para recomposição de recursos humanos, inteligência, equipamentos e infraestrutura, ampliamos a capacidade de resposta das agências policiais no enfrentamento ao crime e na prevenção da violência e da criminalidade, visando à proteção dos nossos jovens”, apontou.

De acordo com o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, o foco do Governo é repor o efetivo perdido com a falta de ingressos nas instituições policiais, por conta da falta de investimentos e concursos.

“Essa entrega mostra mais uma vez o cuidado do Governo em relação à Segurança Pública do Espírito Santo. Em sua primeira gestão, de 2011 a 2014, o governador Renato Casagrande entregou os quadros praticamente completos nas corporações, com a realização de diversos concursos. Em 2019, ele retorna e recebe um efetivo igual a 2009. O programa Estado Presente em Defesa da Vida é retomado e novamente e o olhar para a segurança pública também. Já temos outros concursos autorizados e seguiremos com o objetivo de retomar o caminho da redução da violência que estamos registrando nos últimos anos”, afirmou Ramalho. 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Governo
Giovani Pagotto
(27) 98895-0843

Assessoria de Comunicação da Sesp
Victor Muniz
(27) 3636-1572 / 99284-3303
[email protected]

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana