conecte-se conosco


Polícia

Ex-ministro da Educação é preso em operação da PF que investiga esquema de liberação de verbas no MEC

Publicados

em

Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação do governo Bolsonaro - Foto: Reprodução/Web

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta quarta-feira, 22 de junho, o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro. O mandado de prisão preventiva foi expedido no caso sobre a atuação de pastores no MEC.

A operação da PF também cumpre mandados de busca e apreensão contra os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. O pastor Gilmar Santos também já foi preso pela PF.

A PF investiga Ribeiro por suposto favorecimento aos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura e a atuação informal deles na liberação de recursos do ministério. Há suspeita de cobrança de propina.

O inquérito foi aberto após o jornal “O Estado de S. Paulo” revelar, em março, a existência de um “gabinete paralelo” dentro do MEC controlado pelos pastores.

Dias depois, o jornal “Folha de S.Paulo” divulgou um áudio de uma reunião em que Ribeiro afirmou que, a pedido de Bolsonaro, repassava verbas para municípios indicados pelo pastor Gilmar Silva.

“Foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar”, disse o ministro no áudio.

“Porque a minha prioridade é atender primeiro os municípios que mais precisam e, segundo, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar”, complementou Ribeiro.

Após a revelação do áudio, Ribeiro deixou o comando do Ministério da Educação.

Em vídeo, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que botava “a cara no fogo” por Ribeiro.

Milton Ribeiro é o 1º ex-ministro do presidente Jair Bolsonaro (PL) a ser preso.

A investigação corre sob sigilo.

Estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 5 prisões nos Estados de Goiás, São Paulo, Pará, além do Distrito Federal. Outas medidas cautelares diversas, como proibição de contatos entre os investigados e envolvidos, também foram efetuadas.

O crime de tráfico de influência tem pena prevista de 2 a 5 anos de reclusão. São investigados também fatos tipificados como crime de corrupção passiva (2 a 12 anos de reclusão), prevaricação (3 meses a 1 ano de detenção) e advocacia administrativa (1 a 3 meses).

Com informações G1 e Polícia Federal

Comentários Facebook
Propaganda

Polícia

CEPE celebra seu 4º aniversário

Publicados

em

A Polícia Militar do Espírito Santo, por meio da Companhia Especializada de Polícia Escolar (CEPE), realizou nesta sexta-feira (01) a solenidade em comemoração ao 4° aniversário da unidade especializada e de homenagem aos destaques operacionais. O evento aconteceu no Palácio da Cultura Sônia Cabral, em Vitória.

A CEPE é responsável pelo policiamento ostensivo nas escolas estaduais e por difundir a doutrina de patrulhamento escolar em todo Estado. Pela atuação neste tipo de policiamento, durante a solenidade, a soldado Couto e o cabo Spadeto, foram homenageados Destaques Operacionais do 1º trimestre de 2022, 2º trimestre e 1º semestre de 2022, respectivamente.

Um dos momentos de destaque do evento foi a participação dos patrulheiros escolares, que com o apoio dos estudantes, fizeram apresentações musicais, coreográficas e teatrais, a fim de mostrar para o público presente que a interação entre policiais e alunos é imprescindível para a construção de um ambiente socialmente e moralmente cooperativo.

O comandante da CEPE, capitão Eliandro, apresentou dados estatísticos que comprovam a importância do policiamento dentro do ambiente escolar. No primeiro semestre de 2022, as equipes de policiais da unidade especializada realizaram aproximadamente 2.350 visitas a estabelecimentos de ensino. Desse total, somente 40 atendimentos foram de natureza repressiva, sendo que 98,3% dos atendimentos são preventivos.

“A prevenção vai muito mais além do recurso fardado na rua. A essência do trabalho da patrulha escolar é levar o direcionamento para que cada aluno realize boas escolhas. Quando a gente consegue convencê-los que trilhar um bom caminho é a melhor das escolhas, é que de fato é feita a prevenção à criminalidade”, disse o capitão Eliandro.

Resultados como os apresentados são a prova de que o trabalho da Polícia Militar em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (SEDU) tem trazido bons frutos. O secretário Educação, Vitor de Angelo, destacou a importância desta parceria na educação: “O trabalho da Polícia Militar colabora com a área educacional e traz resultados expressivos que impactam positivamente no ambiente escolar”.

Nesse mesmo sentido, há de se destacar a promoção de um ambiente seguro junto à comunidade escolar, que visa propiciar o ensino e a aprendizagem, bem como auxiliar os profissionais da educação no processo de implantação da cultura da paz. 

O comandante-geral da PMES, coronel Douglas Caus, finalizou a solenidade agradecendo o empenho de todos os militares que compõe a CEPE. “Educação e segurança caminham juntas no sentido que a prevenção primária da criminalidade está dentro das salas de aula”.

Informações à Imprensa:

Assessoria de Comunicação da PMES:
Tenente-coronel GASTÃO DOS SANTOS ALVES JÚNIOR
Tels. (27) 3636-8717 / 3636-8718
E-mail: [email protected]

Subseção de Jornalismo PMES:
Tel. (27) 3636-8715
E-mail: [email protected]

Fonte: PM ES

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana