conecte-se conosco

Grande Vitória

Exposição “Eu? Pretx” traz valorização do povo negro no Circuito Cultural

Publicado

Exposição Eu? Pretx

Mostra fica aberta ao público no CEU até 9 de dezembro

A segunda edição da exposição fotográfica “Eu? Pretx” vai agitar a programação do mês de novembro no Circuito Cultural de Vitória. Com uma proposta de valorização da população negra, a abertura da exposição está marcada para este sábado (9), às 14 horas, no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) Grande São Pedro, em Ilha das Caieiras.

A exposição é um projeto dos diretores de fotografia Patrícia Borges e Stel Miranda, ativistas e moradores da região. “Desenvolvemos esse projeto com o intuito de valorização do povo preto e periférico, levando ação afirmativa e empoderamento e desmistificando o esteriótipo do negro periférico como perigoso, marginalizado ou morto”, explicou Patrícia.

Para agitar o lançamento, diversos artistas ligados à luta do povo negro foram convidados, como: Pretaô, Letícia Chaves, Soltos & Prensados, Xavier, DJ Jota, Fenix Rap, Brunu O Chico, Jessica Vago, Carlos Abelhão, Marcéu Rosário e Kris Ellen.

Toda produção é feita em conjunto com o Circuito Cultural, equipamento da Secretaria Municipal de Cultura (Semc), onde também é feito o lançamento da exposição, possibilitando promoção, acesso e pertencimento dos bens culturais aos munícipes e visitantes do espaço.

Leia mais:  Dia Nacional da Cultura celebrado com posse de conselho e entrega de sistema de iluminação cênica no Frei Civitella

Pluralidade

Segundo a fotógrafa e organizadora da exposição, Patrícia Borges, para manter a pluralidade na construção estética da obra, não houve seleção de modelos, que se inscreveram voluntariamente para participar das fotos. Um desses modelos é Igor Souza Oliveira, de 23 anos.

Para o modelo, a experiência mais marcante das fotos é a contribuição para a própria autoestima. “Me senti parte de algo que me representa de fato. Acho que essa é a contribuição mais importante dessa construção. Colocar pessoas negras em lugares que as representem como imagem e elevação de traços, que as mostrem numa estética real de quem são, e não numa imagem distorcida e embranquecida”, relatou Igor.

Serviço
Exposição fotográfica “Eu? Pretx”
Abertura: 9 de novembro (sábado) às 14 horas. Fica aberta até 9 de dezembro, de segunda a sexta, das 9 às 17 horas
Local: Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) – Rua Vinte e Três de Abril, 35, Ilha das Caieiras
Visitação: segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas, até 9 de dezembro
Classificação indicativa: livre

Leia mais:  Encerradas inscrições para capacitação continuada do Programa Família Acolhedora

Comentários Facebook
publicidade

Grande Vitória

Alunos da rede municipal apresentam peças teatrais sobre sustentabilidade no Frei Civitella

Publicado

Cuidar das relações humanas também é sustentabilidade. E foi isso que as crianças e adolescentes da rede municipal mostraram na tarde desta sexta-feira (08), no Centro Cultural Frei Civitella, em Campo Grande.

A ‘Mostra Final de Teatro’ foi a culminância do trabalho exercido ao longo do ano por meio do projeto da Ecoviver, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Seme). Nesse momento, participaram as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emef) Amenophis de Assis, Manoel Melo Sobrinho, Professor Cerqueira Lima e a Escola do Campo.

“Foi trabalhado com os alunos os temas sugeridos pela Organização de Desenvolvimento Sustentável (ODS), com foco na sustentabilidade. E foi com esse projeto que os estudantes passaram a entender que ser sustentável é mais que cuidar do meio ambiente, é ter respeito pelo próximo, empatia, ser responsável”, explica a pedagoga da Gerência de Educação Integrada, Marcela Siqueira.

Cada escola apresentou um teatro, e os temas abordaram o empoderamento feminino, a violência contra mulher, a coleta seletiva e a importância do cuidado com os rios e matas. “É um impacto positivo que as crianças têm com o projeto. Eles se conscientizaram, e se integraram muito mais durante os ensaios do teatro. E na nossa escola, especificamente, os alunos sentem a importância da chuva, água limpa, já que estamos falando da zona rural, e eles têm essa responsabilidade. Sem dúvida o projeto veio somar”, conta a professora de história da Escola do Campo, Rose Roriz.

Leia mais:  Semcont recebe visita do ouvidor-geral do Ministério da Justiça

O teatro ‘A menina que guardava o fim do mundo’, da Ecoviver, fechou a tarde de apresentações. A expectativa, é que no próximo ano, mais escolas do município possam receber o projeto. “É o primeiro ano que recebemos o projeto Ecoviver, e só temos que agradecer. Esperamos repetir no próximo ano”, completa o vice-prefeito, Nilton Basílio.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana