conecte-se conosco


Nacional

Filho mata pai a facadas após discussão por corte de cabelo

Publicados

em

 

 

source
Filho mata pai a facadas após discussão por corte de cabelo

Filho mata pai a facadas após discussão por corte de cabelo – Reprodução

Em Manaus, no bairro de Petrópolis, João Marques da Silva, de 18 anos, matou o próprio pai, José Maria Souza da Silva, de 38 anos, a facadas depois de uma discussão por corte de cabelo. As informações foram apuradas pelo Portal Manaus Alerta.

Segundo as informações da polícia, a discussão teve início após José Maria querer que o filho corte seu cabelo, pois ele iria servir no Exército, mas o João Marques não acatou pedido. Com isso, começo a briga com um empurrando o outro.

Até que em seguida, filho pegou uma faca e golpeou seu pai três vezes, na barriga e um golpe no braço. O pai foi socorrido pelo filho mais velho e encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, porém, ele acabou não resistindo aos ferimentos e já chegou sem vida a unidade de saúde.

João Marques ainda tentou fugir pulando muros, mas acabou sendo surpreendido por uma guarda que ligou para as autoridades e a apreensão do jovem acabou sendo feita. Ele confessou crime e foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Comentários Facebook
Propaganda

Nacional

‘Queiroga com certeza será reconvocado à CPI’, diz Omar Aziz

Publicados

em


source
 'Queiroga com certeza será reconvocado à CPI', diz Omar Aziz
Reprodução

‘Queiroga com certeza será reconvocado à CPI’, diz Omar Aziz

O senador e presidente da CPI da Covid , Omar Aziz (PSD-AM), se posicionou sobre o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, como a “grande decepção” da comissão até o momento. Em relação as falas pouco objetivas, Aziz reiterou que Queiroga “com certeza” será reconvocado. As falas foram reproduzidas em uma entrevista no YouTube para o canal do historiador Marco Antônio Villa.

O motivo que levou o presidente da comissão em buscar uma nova audiência para ouvir Queiroga é a constante contradição entre as diretrizes do Ministério da Saúde e as políticas públicas do governo Bolsonaro .

Queiroga declarou inúmeras vezes que não se pronunciaria em seu depoimento pois não havia um protocolo de tratamento para a covid-19 elaborado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

Renan Calheiros declarou no último sábado (08) que a estratégia adotada pelo cardiologista comandante do Ministério da Saúde de não responder objetivamente as perguntas é uma outra maneira de “não falar a verdade”.

Aziz ratificou o posicionamento de Calheiros ao declarar que “a gente perguntava se ele era a favor da cloroquina – e ele não citava a palavra cloroquina, falava em ‘fármacos’ -, ele jogava para a Conitec”.


O presidente da CPI argumentou que o posicionamento de Queiroga visa “não magoar o chefe” e que as contradições existentes dão base para que o ministro seja reconcado”.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana