conecte-se conosco

Economia

Fixar limite para cheque especial é decisão técnica, diz Campos Neto

Publicado

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse hoje (2) que foi “técnica” a decisão fixar limite máximo de 8% ao mês para os juros cobrados sobre o cheque especial.

“Fizemos medida direcionada ao cheque especial, que foi altamente embasada em questões técnicas, não tem qualquer tipo de influência e já vinha sendo discutida com os bancos”, disse ele durante almoço de fim de ano promovido pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

Segundo Campos Neto, existem três fatores que fazem com que essa medida tenha profundo embasamento técnico. Primeiro, [o cheque especial] é um produto altamente inelástico, cuja formação de preço estava muito desconectada do custo marginal. “E, terceiro, há a questão de que quem paga mais é quem tem renda menor.” Ele negou que tenha havido qualquer tipo de ingerência ou de tabelamento do produto.

Em nota divulgada no dia 28 de novembro, a Febraban criticou a fixação do limite de 8% ao mês para os juros do cheque especial, dizendo que é preocupante “a adoção de limites oficiais e tabelamentos de preços de qualquer espécie”. De acordo com a Febraban, medidas para eliminar custos e burocracia e estimular a concorrência são sempre mais adequadas aos interesses do mercado e dos consumidores.

Leia mais:  Confiança da indústria cai em maio e empresário se mostra mais pessimista

Campos Neto reforçou ainda que o câmbio no país é flutuante e que a autoridade monetária só atua quando tem alguma disfunção. Ele disse que o movimento atual do câmbio, de desvalorização do real frente ao dólar, pode ter origem na decisão das empresas de adiantar o pagamento de dívidas em dólar, mantendo a dívida local, e relacioado também com a frustração pelo leilão de cessão onerosa, que teve baixa participação de estrangeiros.

Para o presidente do Banco Central, outra razão seria a saída de investidores que estavam alocados em renda fixa, que era muito atraente no passado. Isso gera saída dos investidores especulativos do país, mas abre espaço para a entrada de um fluxo real de recursos, explicou.

Campos Neto disse ainda que o BC espera um “fluxo grande para entrar na parte real” no ano que vem, principalmente nas áreas de saneamento e logística. “E é importante avançar com uma medida que já temos e está pronta, parada na Receita Federal, que deve ser aprovada nas próximas semanas, que é para os investidores estrangeiros investirem no país a longo prazo.”

Leia mais:  Expectativa dos consumidores para inflação anual cai em outubro

Mutirão

O presidente da Febraban, Murilo Portugal, falou sobre o mutirão de renegociação de dívidas com bancos, que teve início hoje no país. Ele destacou que, no mutirão, que abrangerá todo o país, mais de 260 agências ficarão abertas duas horas a mais por dia. “Além disso, os clientes vão poder acessar os sistemas de computação dos bancos e o site consumidor.gov.br.”

Murilo Portugal ressaltou que as condições de crédito para a renegociação das dívidas dependem de cada banco, mas são atrativas. “As condições, cada banco define a sua, mas são muito mais favoráveis.” Portugal lembrou que os clientes dos bancos que forem renegociar suas dívidas receberão dicas sobre educação financeira.

Edição: Nádia Franco

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Hub de Inovação Epicentro completa um ano nesta sexta-feira (06)

Publicado

por

O Epicentro, hub de inovação que funciona no Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), no Centro de Vitória, nasceu de um acordo de cooperação entre o Bandes e outras instituições do Estado para criar conexões e o desenvolvimento de negócios inovadores locais. Nessa sexta-feira (06), o hub completou 1 ano de funcionamento. Nesse período, o espaço sediou mais de cem atividades e recebeu mais de duas mil pessoas.

A programação relacionada ao fomento à cultura da inovação é bem diversificada. Foram diversas apresentações, palestras, seminários e diferentes treinamentos e workshops realizados no local, eventos responsáveis por impactar servidores públicos, empresários e comunidade em geral.

As diversas iniciativas realizadas tornam o Epicentro um lugar de impacto, referência para inovação da gestão pública no que diz respeito não só no fomento à cultura e empreendedorismo, como também na geração de novos negócios e abertura de novas possibilidades para a economia capixaba. “No Epicentro a inovação é promovida de inúmeras maneiras. Com ações que envolvem desde a difusão dos conceitos de metodologias ágeis para o Governo até conexões entre gestoras de fundos de investimentos com startups de tecnologia, gerando valor para todo o ecossistema capixaba”, reiterou a Coordenadora do Núcleo de Inovação, Marketing e Desenvolvimento do Bandes, Lorena Gladys.

Leia mais:  Conselho Monetário eleva limite individual de financiamentos do Pronaf

O sucesso das atividades é prova de eficácia das ações pensadas pelo Governo do Espírito Santo em prol do desenvolvimento da economia articulado com o fomento da cultura local. Além do Bandes, o acordo de cooperação do qual o hub surgiu é composto pelas Secretaria de Gestão e Recursos Humanos (Seger); da Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional (Secti); de Desenvolvimento e da Cultura. Conta ainda com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e o Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest).

Interessados em saber mais sobre o que acontece no cenário de inovação capixaba podem consultar o calendário do Epicentro nas redes sociais do Bandes, no Facebook (clique aqui), Instagram (clique aqui) ou linkedin (cliquei aqui).

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana