conecte-se conosco


política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou

Fogo amigo: Callegari pode substituir Jonas após fraco desempenho em pesquisa eleitoral

Publicados

em

Por Tiago Turini

A notícia da desincompatibilização de Wellington Callegari do cargo de técnico judiciário, em Cachoeiro de Itapemirim, feito no último dia do prazo determinado pelo TSE, mostra que Callegari tem intenção de disputar as eleições, o que pode mudar o cenário político eleitoral na Capital Secreta. Onde há fumaça, há fogo. Jonas pode ser o último a saber que não será o candidato do PL.

É oportuno recomendarmos um dos mais famosos ditados da vida pública, que diz que a política adora uma traição, mas é implacável com os traidores. Jonas que o diga, pois é um traidor nato.

Na política cachoeirense, o histórico de Jonas Nogueira não é dos mais fiéis. Ele particiou e traiu o governo Carlos Casteglione (PT), compôs chapa como vice do atual prefeito Victor Coelho (PSB) e conspirou contra o governo, e agora se transformou em conservador para se aproveitar da onda Bolsonarista que tomou conta do Brasil, e que em Cachoeiro tem mais identidade ideológica com Wellington Callegari.

A reportagem confirmando a desincompatibilização de Callegari foi divulgada pelo portal Da Hora ES, que informou que Wellington pode pintar como vice na chapa do pré-candidato a prefeito Jonas Nogueira.

Porém, Callegari e Jonas são do mesmo partido, o PL, e o fraco desempenho do atual vice-prefeito em recente pesquisa de intensão de votos divulgada pelo portal Aqui Notícias, onde Jonas apareceu empatado com o ex-prefeito Zé Tasso (MDB), que sequer é pré-candidato, pode fazer o PL optar pela pré-candidatura de Wellington, em detrimento de Jonas, uma vez que o jovem político, desde a eleição passada onde obteve destaque na sua primeira experiência eleitoral, quando foi candidato a deputado estadual e se tornou referência da direita e do conservadorismo na região Sul Capixaba após receber 3.395 votos em Cachoeiro.

Wellington agrada mais os direitistas e os Bolsonaristas do que Jonas, que atualmente ainda é o pré-candidato oficial do PL em Cachoeiro.

Desta forma, não será novidade se Jonas Nogueira for obrigado a refugar sua pré-candidatura para apoiar Wellington Callegari, que é, sem sombra de dúvidas, uma liderança em ascensão e com o apoio maciço da vertente conservadora em Cachoeiro de Itapemirim.

Como já dizia o político mineiro Magalhães Pinto, “política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”.

Comentários Facebook
Propaganda

Estado

Projeto de lei quer fixar regras para venda de facas no ES

Publicados

em

Por

Torino: proposta pretende salvaguardar a vida e a integridade física das pessoas/Foto: Ellen Campanharo

Evitar acidentes e até crimes em estabelecimentos comerciais que vendem facas, canivetes, estiletes, facões ou similares. Esta é a finalidade do Projeto de Lei (PL) 35/2021, que propõe colocar esses produtos em compartimento protegido por vidro ou acrílico e trancado por cadeado ou fechadura. A matéria do deputado Torino Marques (PSL) vai tramitar em urgência na Casa, segundo requerimento aprovado na sessão oridnária desta quarta-feira (24).

Na justificativa da proposição o parlamentar argumenta que tais objetos são considerados armas brancas e que a ideia é aumentar a segurança para os consumidores capixabas. “É comum vermos nos estabelecimentos comerciais como supermercados, lojas de conveniências, lojas de departamentos e outras, que este tipo de produto fica acondicionado em gôndolas, ao livre acesso dos consumidores, sem qualquer tipo de proteção”, aponta.

Torino conta que no início do mês uma idosa de 73 anos foi esfaqueada dentro de um supermercado em Valparaíso de Goiás (GO) e que acabou morrendo. O deputado destaca que o agressor pegou o objeto em uma gôndola do próprio estabelecimento e que é justamente esse tipo de situação que a proposta pretende impedir.

“Nas atribuições parlamentares cabe a nós, representantes do povo, agirmos com o intuito de salvaguardar a vida e a integridade física das pessoas. Decerto esse tipo de cautela não trará qualquer tipo de ofensa à livre iniciativa, mas apenas dará maior segurança aos consumidores em relação aos produtos colocados à venda”, afirma.

Por fim, o autor da iniciativa salienta que vários tipos de comércios mantêm produtos de valor mais elevado como whisky, champanhe, eletroeletrônicos, brinquedos e outros dentro de compartimentos próprios, trancados ou mesmo sendo disposto somente a embalagem vazia, cabendo a um atendente buscar o produto no estoque ou abrir o compartimento a pedido do cliente.

Em caso de aprovação do PL, a lei derivada deverá entrar em vigor na data de sua publicação em diário oficial.

Tramitação

A proposta foi lida na sessão ordinária do dia 22 de fevereiro e encaminhada para análise das comissões de Justiça, Defesa do Consumidor, Segurança e Finanças.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana