conecte-se conosco

Política Estadual

Frente discute educação física nas escolas

Publicado

Mais que momento desportivo e lúdico, a atividade física nas escolas pode ter reflexos no desenvolvimento da saúde física e mental de alunos ao longo da vida. Esse e outros aspectos da prática no ambiente escolar serão abordados na reunião da Frente Parlamentar da Educação Física que acontece nesta quarta-feira (13), às 15 horas, no Plenário Rui Barbosa. 

Foram convidados para falar sobre o tema “Projetos e Práticas para a Saúde na Educação Física Escolar” a mestre em Educação, Saúde e Meio Ambiente e coordenadora do Curso de Educação Física do Centro Universitário São Camilo, Cíntia Schiavini Beiriz, e o doutor em neurofisiologia cardiovascular e professor associado da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Fabian Tadeu do Amaral. 

A Organização das Nações Unidas recomenda que crianças entre cinco e 17 anos pratiquem diariamente pelo menos 60 minutos de atividade física moderada a intensa. Mas na primeira reunião do colegiado, em 16 de outubro, palestrantes explicaram que não existe parâmetro de carga horária mínima no país para a disciplina e, normalmente, as aulas não contemplam o preconizado pelas autoridades de saúde. 

Profissionais que participaram da primeira reunião também ressaltaram a importância da atividade física para escolares na prevenção do sedentarismo, da obesidade e problemas de saúde associados a esses fatores como hipertensão, diabetes, além de doenças cardiovasculares e problemas de ordem emocional.

Comentários Facebook
publicidade

Política Estadual

Covid: matéria autoriza uso de cloroquina

Publicado


.

Tramita em urgência na Assembleia Legislativa matéria que autoriza o uso de hidroxicloroquina, cloroquina, azitromicina e ivermectina para o tratamento da Covid-19. De iniciativa do deputado Vandinho Leite (PSDB), o Projeto de Lei (PL) 298/2020  institui um protocolo de utilização dessas substâncias em pacientes com diagnóstico clínico da doença, mesmo sem comprovação por exame laboratorial. A proposição receberá, durante sessão plenária, parecer oral das comissões de Justiça, Saúde e Finanças, antes da votação pelo Plenário. 

Conforme a proposição, o paciente ou o seu responsável deve autorizar o uso dos medicamentos após ser informado sobre a conduta experimental do tratamento. A matéria define, inclusive, a conduta profissional nesse caso, composta por notificação do agravo, emissão de receita médica e assinatura do termo de consentimento.   

Segundo Vandinho, apesar da carência de estudos mais profundos, é preciso levar em consideração a declaração de muitos médicos brasileiros que defendem a eficácia de medicamentos  no tratamento contra o coronavírus em pacientes hospitalizados.

Ao defender a autorização para uso das substâncias citadas no projeto, Vandinho ressalta a demora na comprovação científica para o uso desses medicamentos. O parlamentar cita, na justificativa da proposta, o Parecer 4/2020 do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) sobre o uso precoce da cloroquina ainda na fase inicial, de maneira a evitar a evolução e o agravamento da doença. 

“Temos de considerar a velocidade com que a doença se propaga e oferecer escolha ao paciente para ser tratado com a medicação e segurança jurídica aos médicos na emissão das receitas”, destacou Vandinho Leite.

Tramitação

Como tramita em urgência, a matéria integra a pauta de votações desta terça-feira (28). Durante sessão plenária vai receber parecer oral das comissões de Justiça, Saúde e Finanças. Esse procedimento antecederá a apreciação da proposta pelo Plenário. 

O requerimento para que tramitasse em urgência recebeu a assinatura dos deputados Capitão Assumção (PSL), Delegado Danilo Bahiense (PSL), Torino Marques (PSL), Delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos), Carlos Von (Avante) e Hudson Leal ( Republicanos).
 

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana