conecte-se conosco


Economia

Governador defende reforma da Previdência para reduzir desigualdades

O governador do Estado, Renato Casagrande, participou, nesta quarta-feira (20), da nova edição do Fórum Nacional dos Governadores, em Brasília (DF). A pauta do encontro foi a proposta da reforma da Previdência, encaminhada pelo Governo Federal ao Congresso. Casagrande afirma que a aprovação da medida é um consenso, mas que esta deve reduzir as desigualdades, […]

Publicados

em

O governador do Estado, Renato Casagrande, participou, nesta quarta-feira (20), da nova edição do Fórum Nacional dos Governadores, em Brasília (DF). A pauta do encontro foi a proposta da reforma da Previdência, encaminhada pelo Governo Federal ao Congresso. Casagrande afirma que a aprovação da medida é um consenso, mas que esta deve reduzir as desigualdades, apontada como a questão central para a União e os estados.

“Qualquer reforma a ser aprovada tem que apontar para o enfrentamento de nosso maior problema, que é a redução da desigualdade. Se for para ampliar ou consolidar a desigualdade, não nos interessa a votação da reforma”, afirmou o governador em sua fala durante o encontro, que teve as presenças do ministro da Economia, Paulo Guedes e do secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério, Rogério Marinho.

No encontro, o governador afirmou que recebeu bem a maior parte da proposta do Governo Federal. “Cada um de nós deve fazer uma verificação item a item do texto com suas equipes. A partir de agora, vou fazer uma avaliação da minha visão de Espírito Santo sobre a proposta e a repercussão para o Estado”, observou. 

A comissão local será criada e coordenada pelo secretário de Estado da Fazenda, Rogelio Pegoretti, além de contar com representantes da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado (IPAJM) e da Fundação de Previdência Complementar do Espírito Santo (Preves). 

Casagrande avalia que o ambiente é favorável à votação da reforma no Congresso, mas pondera que esse ambiente “não pode ser contaminado”. Segundo ele, é preciso que os governadores sejam claros quanto aos itens considerados como problemáticos na reforma, como o benefício da prestação continuada e a aposentadoria rural. Neste último ponto, o governador ilustra que o maior problema se deve às diferentes realidades encontradas no Brasil. 

Outro ponto de atenção, no entendimento de Casagrande, diz respeito ao sistema de capitalização, no qual o trabalhador faz a própria poupança para a aposentadoria. “Se ele [sistema] estiver vinculado a essa proposta ele impede que a reforma seja votada. Porque do jeito que o ministro está propondo, ele acaba com a Previdência no Brasil e consolida uma desigualdade”, afirmou o governador, que defende a manutenção da participação do empregador como forma de tornar a sustentabilidade desse novo modelo.

O governador Renato Casagrande vai compor um grupo de trabalho, formado por cinco governadores, que vai avaliar a repercussão da proposta de reforma da Previdência para o equilíbrio fiscal dos estados. 

Comentários Facebook
Propaganda

Economia

Ampliados setores que vão abrir durante lockdown no Distrito Federal

Publicados

em


O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, assinou neste sábado (27) novo decreto que amplia os setores que poderão funcionar durante o lockdown (fechamento do comércio) que entrará em vigor à meia-noite de hoje. A suspensão de atividades não essenciais até 15 de março foi determinada ontem (26) em função do aumento de casos de covid-19 e a falta de UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) disponíveis na rede pública de saúde. 

Com o novo decreto, está liberado o funcionamento de agências bancárias, lotéricas, bancas de jornais e revistas, empresas de manutenção de equipamentos hospitalares, toda a cadeia do segmento de veículos automotores e escritórios de advocacia, contabilidade e imobiliárias. 

Continuam impedidos de funcionar academias, bares, boates, casas noturnas, shoppings, feiras e clubes recreativos. Restaurantes só poderão funcionar com serviço de entrega, sem abertura ao público. 

O decreto publicado ontem liberou o funcionamento de supermercados, mercearias, postos de combustíveis, comércio de produtos farmacêuticos, clínicas médicas, odontológicas, laboratórios e clínicas veterinárias. Também estão fora das restrições igrejas e templos religiosos, lojas de conveniência, funerárias e serviços de fornecimento de energia, água, esgoto, telefonia e coleta de lixo.

Confira a íntegra do decreto do governador do DF.

Edição: Kleber Sampaio

Comentários Facebook




Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana