conecte-se conosco


Destaque

Governo do Estado entrega pavimentação do trecho Itarana – Rizzi

O Governo do Estado entregou à população a pavimentação do trecho da Rodovia ES-484 entre Itarana e Rizzi. A solenidade de entrega foi realizada na comunidade de Santa Terezinha com as presenças do governador Renato Casagrande e do diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES), Luiz César Maretto Coura, além de lideranças da região. […]

Publicados

em

O Governo do Estado entregou à população a pavimentação do trecho da Rodovia ES-484 entre Itarana e Rizzi. A solenidade de entrega foi realizada na comunidade de Santa Terezinha com as presenças do governador Renato Casagrande e do diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES), Luiz César Maretto Coura, além de lideranças da região. Foram pavimentados quatro quilômetros da via com investimento de quase R$ 9 milhões.

Casagrande ressaltou a importância da ES-484 e afirmou que dará sequência às obras na rodovia no trecho entre Itaimbé a Colatina. 

“Investimento que dá oportunidade. Por isso, queremos cada dia mais investir em infraestrutura. Fico feliz em inaugurar essa obra, pois no nosso governo passado fizemos o projeto, licitamos e agora estamos inaugurando. O trecho Itambé até Colatina também iniciamos em nosso outro governo e agora precisa de uma conclusão. É uma ligação importante dessa região com Colatina. Estamos terminando a licitação”, antecipou.

O prefeito de Itarana, Ademar Schneider, lembrou do fato do governador ter iniciado a obra em sua gestão anterior. “Quem planta, colhe. Há seis anos pedimos ao então governador Casagrande essa obra. Ele nos disse que daria o projeto e a licitação. E cumpriu. A obra atrasou, pois era ele quem tinha que colher o que plantou em 2013”, afirmou.

Sobre as obras

A obra entregue neste sábado beneficiará diretamente cerca de mil famílias de comunidades nas áreas urbanas e rurais do entorno da via. Além da pavimentação, foram realizadas intervenções de drenagem, implantação de sinalização e construção de sete abrigos de ônibus. A rodovia conta ainda com 2,4 quilômetros de faixa multiuso. Entre as comunidades beneficiadas estão: Bananal, Loriato, Niterói, Penedo, Santo Antônio do Sossego, Santa Helena, Santa Terezinha e Rizzi.

“Estamos entregando uma rodovia moderna, com abrigos de ônibus, sinalizada e com sistema de drenagem. Não tenho dúvidas que trará mais agilidade aos moradores da região quando precisarem se deslocar para outros centros. Os produtores locais também terão mais segurança na hora que precisarem levar seus produtos aos pontos de distribuição e vendas em outros municípios”, destacou Luiz Maretto.

Com mais conforto e segurança, os moradores e produtores dessas localidades terão um acesso melhor à Sede do município e também a outras cidades, como Afonso Cláudio e Laranja da Terra.

Comentários Facebook
Propaganda

Destaque

Mercado financeiro prevê queda de 1,96% na economia este ano

Publicados

em

Com a pandemia de covid-19, o mercado financeiro tem piorado a estimativa para a queda da economia este ano. A previsão de recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – passou de 1,18% para 1,96%. Essa foi a nona redução consecutiva.

A  previsão para o crescimento do PIB em 2021 subiu de 2,50% para 2,70%. As previsões de expansão do PIB em 2022 e 2023 permanecem em 2,50%.

Dólar

A cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,60, contra R$ 4,50 na semana passada. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 4,47, contra R$ 4,40 da semana passada.

Inflação

As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a previsão de inflação para 2020 pela quinta vez seguida. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 2,72% para 2,52%.

Para 2021, a estimativa de inflação segue em 3,50%, assim como para 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está praticamente no limite inferior da meta que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, o limite inferior é 2,50% e o superior, 5,50%. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual em cada ano.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 3,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic tenha mais uma redução e encerre 2020 em 3,25% ao ano a mesma previsão da semana passada.

Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 4,50% ao ano. A previsão anterior era de 4,75% ao ano. Para o fim de 2022 e 2023, as instituições mantiveram a previsão em 6% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana