conecte-se conosco


Cidades

Homem desaparecido em Domingos Martins é encontrado em Guarapari

A angústia pelo desaparecimento de Robson Alves Santana, 32 anos, que saiu caminhando da obra onde ele trabalhava, no último dia 1º de fevereiro, próximo ao portal de Domingos Martins, chegou ao fim na madrugada de sábado para domingo. Robson foi encontrado pela família, em Guarapari, após pistas passadas pela Polícia Civil. O pai do […]

Publicados

em

A angústia pelo desaparecimento de Robson Alves Santana, 32 anos, que saiu caminhando da obra onde ele trabalhava, no último dia 1º de fevereiro, próximo ao portal de Domingos Martins, chegou ao fim na madrugada de sábado para domingo. Robson foi encontrado pela família, em Guarapari, após pistas passadas pela Polícia Civil.

O pai do rapaz, José Raimundo Santana, contou que após a Polícia Civil localizar o aparelho de telefone celular de Robson, na última sexta-feira (22), em Alfredo Chaves, as esperanças em encontrar o filho cresceram. Eles seguiram pistas passadas pelo delegado Geraldo Peçanha e iniciaram a procura em Guarapari.

“Passamos o sábado na região de Guarapari. Eu voltei para casa, em Vila Velha, mas uma filha e um filho foram procurar Robson de madrugada, com um carro emprestado de um vizinho. Meus filhos encontraram Robson próximo a uma praia, seguindo de Guarapari para Vila Velha”, informou José Raimundo.

Robson conta que saiu de onde trabalhava porque queria voltar para a sua casa. “No dia em que saiu, eu pedi para vir embora, e o encarregado me falou que talvez me levaria naquele dia. Então, eu peguei e saí, porque pensei que ele não me traria pra casa”, contou.

Robson confirmou uma versão passada por um funcionário da obra, de que ele não estaria conseguindo dormir direito. “Eu sentia que estava incomodando a pessoa que estava dormindo no mesmo quarto e eu não estava me sentindo bem lá. Eu estava deitado, levantava e ia para fora de casa, depois voltava”, contou.

Ele informou que quando saiu da propriedade, seguiu até a BR-262, mas caminhou em trechos de matas, onde bebeu água de rios e comeu alimentos que encontrou no lixo. “Eu saí de Domingos Martins e peguei a pista (BR-262). Onde eu passava, parece que era cada vez mais longe o trajeto”, disse.

O delegado Geraldo Peçanha, da delegacia de Polícia Civil de Domingos Martins, contou que após encontrar o aparelho celular de Robson, na última sexta-feira (22), ele seguiu até Guarapari fazendo perguntas em postos de combustíveis e em locais próximos da praia.

“Duas pessoas falaram que teriam visto ele em Guarapari na última sexta-feira. Mesmo estando de folga, me empenhei nas buscas. Eu vi o sofrimento da família e, para mim, o mais importante era encontrar o Robson. Sai fazendo essas buscas e, quando encontrei as pistas, orientei a família para se concentrarem em Guarapari”, contou o delegado.

Desde que desapareceu, no último dia 1º de fevereiro, o pai e um irmão do rapaz, que moram em Vila Velha, subiam todos os dias para procurar o desaparecido no meio das matas próximas do local onde ele sumiu. Uma irmã dele também veio da Bahia para ajudar nas buscas pelo rapaz. Cães do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar também foram usados por diversas vezes para tentar achar pistas de Robson.

Texto: Julio Huber / Foto: Divulgação

Comentários Facebook
Propaganda

Cidades

Prêmio Anchieta Arte e Cultura será retomado com apoio da Secult

Publicados

em

Por

Anchieta foi um dos primeiros municípios capixabas a receber recursos do Programa de Coinvestimento da Cultura – Fundo a Fundo, do governo do Estado. O plano de ação do município prevê a retomada do Prêmio Anchieta Arte e Cultura, que teve apenas duas edições nos anos de 2010 e 2011.

Em 2022 a ideia será revista e pretende premiar 14 fazedores de cultura, com prêmios que variam de R$ 5 mil a 20 mil. O edital, que será a terceira edição do Prêmio Anchieta Arte e Cultura, está previsto para ser lançado em julho, exclusivo para os artistas de Anchieta.

Segundo a gerente de Cultura e Patrimônio Histórico de Anchieta, Maria Fernanda Barros, o prêmio foi uma ferramenta de grande incentivo às artes e cultura na cidade. “Na época, eu como artista participei do prêmio e pude executar importantes passos em minha carreira. A retomada será importante para a cultura local e também uma homenagem ao ex-prefeito Edival Petri, que abriu as portas para apoiar as artes locais com essa iniciativa”, declarou a gerente.

Barros, que faz parte da comunicação na Mesa Diretora do Fórum de Secretários e Dirigentes Municipais de Cultura do Espírito Santo, explica que o Estado disponibilizou para Anchieta o valor de R$ 89 mil no Programa Fundo a Fundo e o município, em contrapartida, adicionou o valor de R$ 60 mil, totalizando R$ 149 mil para investimento no Prêmio Anchieta Arte e Cultura.

O edital do Prêmio Anchieta Arte e Cultura está previsto para ser lançado em julho para todos os artistas. A decisão para utilizar o recurso estadual para execução do Prêmio Anchieta Arte e Cultura partiu da gerência com aprovação do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Anchieta.

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana